desfaço os sinais dos inventores de mentiras, e enlouqueço os adivinhos

A França proíbe vídeo com crianças com síndrome de Down para evitar “perturbar a consciência” de mães abortivas | 28Dez2016 17:40:25

Future_Mom_1_810_500_55_s_c1.jpg


Um bonito vídeo "Querida Futura Mãe" foi banido pelo Conselho de Radiodifusão e pelo Conselho de Estado francês, porque inclui crianças sorridentes com síndrome de Down.

O vídeo premiado, produzido em 2014, foi feito para encorajar e aliviar os medos das mães grávidas que receberam um diagnóstico de síndrome de Down. Mostra crianças de várias idades com síndrome de Down compartilhando detalhes sobre suas vidas.

Apesar do caráter positivo do vídeo, o Conselho de Estado francês decidiu que era ilegal para a transmissão, porque mostra crianças com Síndrome de Down sorrindo.

O Conselho de Estado confirmou a proibição do Conselho de Radiodifusão da França em 10 de novembro, afirmando que retratar pessoas com Síndrome de Down sorrindo era "inapropriado" porque isso mostrava que elas eram "felizes" e tal representação iria perturbar a consciência de mulheres que legalmente fizeram escolhas de vida pessoais diferentes."

Em outras palavras, mães que optaram por terminar seus bebés por causa da possibilidade de síndrome de Down podem sentir uma pontinha de dúvida se vissem uma criança som síndrome de Down a sorrir.

Future_Mom_2_645_410_55.jpg


Enquanto quase 90 por cento das mães grávidas na Europa que são diagnosticadas como portadoras de uma possível criança com síndrome de Down abortam o seu bebé, entre as mães francesas a percentagem é ainda maior com 96 por cento.

"Os nossos filhos, que estudos ... provaram ser muito mais felizes do que o grupo mal-humorado e rabugento que passa pela vida sem síndrome de Down, são banidos da televisão pública porque seus rostos felizes tornam as mulheres pós-aborto desconfortáveis", disse a porta-voz da Downpride, Renate Lindeman.

Lindeman diz que o tribunal está perpetuando uma mentira para justificar o aborto. "As mulheres devem continuar acreditando no mito que a sociedade e os profissionais médicos retratam: que o síndrome de Down é uma vida de sofrimento, um fardo para a família e a sociedade".

"Obviamente, se a verdade é divulgada de que 99 por cento das pessoas com síndrome de Down estão felizes com suas vidas, a sociedade pode começar a questionar a eliminação em massa sistemática ... e deliberada (de crianças com síndrome de Down) sob o pretexto de cuidados de saúde e direitos das mulheres".

Lindeman, que tem dois filhos com síndrome de Down, perguntou: "O que vem a seguir? As crianças com síndrome de Down serão banidas da escola e serão segregadas da sociedade e colocadas em instituições como nos velhos tempos, porque a sua presença perturba os pais pós-abortivos? "Ela diz que a proibição é injusta." Esta proibição é semelhante a pôr de lado as pessoas com síndrome de Down porque a sua presença "confronta" a sociedade com a realidade de sua erradicação sistemática".

Lindeman afirma que a escolha de abortar uma criança no útero diagnosticada com uma possível incapacidade não é uma decisão tomada para a criança, mas para o pai, para evitar inconvenientes."A erradicação (de bebés com síndrome de Down) não é para 'evitar o sofrimento', mas porque as autoridades decidiram que suas diferenças colocam um fardo em nossas vidas e na sociedade".

"Eu tenho uma ideia muito melhor", Lindeman sugeriu corajosamente. "Não vamos proibir o vídeo, mas torná-lo obrigatório para todo o casal que esteja a considerar fazer um aborto seletivo para o síndrome de Down. Vamos mostrar-lhes a verdade, de que as famílias com síndrome de Down têm uma enorme qualidade de vida. Vamos mostrar um futuro de esperança, amor incondicional e sim, um monte de sorrisos e felicidade. "

A discriminação judicial contra o síndrome de Down está suscitando polémica em toda a Europa. As etiquetas do Twitter # U[miechnijSiFrancjo ("SmileFrance" em polonês) e #sourireFrance ("SmileFrance" em francês), que incentivam os pais a tweetar retratos de suas crianças com síndrome de Down felizes e satisfeitas, estão ganhando popularidade.

Até mesmo o vice-ministro polaco da Justiça Patryk Jaki, cujo filho tem síndrome de Down, postou uma foto de seu adorável filho sorrindo com a legenda:

"Olá, França! P.S .: No nosso país, a democracia e a tolerância são um pouco melhores ... Não só posso viver, mas também posso sorrir".

A Fundação Jerome Lejeune, que produziu o vídeo, está apelando para o Tribunal Europeu para os Direitos Humanos e iniciou uma petição ao governo francês para intervir.

PARIS, 29 de novembro de 2016 (LifeSiteNews)

https://www.lifesitenews.com/news/france-bans-video-with-down-syndrome-kids-to-avoid-disturbing-the-conscienc?utm_source=LifePetitions+petition+signers&utm_campaign=421e2c6e00-Catholic_11_2911_29_2016&utm_medium=email&utm_term=0_c5c75ce940-421e2c6e00-400463413










Partilhar:

Artigos Relacionados
Comentários
Não existem comentários

Nome:
Endereço de email (não será publicado):
comentários:

O Futuro
Tradutor
Procura
Arquivo
Perseguição Notícias

christian_persecution.jpg

Islão: matar e submeter

Jihad_sword_index.png

Carta de Notícias

Subscreva a carta de notícias "Acordem" de Xavier Silva


Email:
Subscrever RSS

RSS url_to_submit_my_site_sites_websites_submission_rss_sm_1.jpg

Como escapar?

Rescue_Portug__sun_.jpg

PORTUG___Sheeple_37_190.jpg

David Dees galeria
Últimos Comentários
Música

Ouça música enquanto navega!

img_musica.jpg

Contacto
Online

Mortes iraquianas...

Mortes iraquianas devido à invasão norte-americana

Iraq Deaths Estimator

©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional