desfaço os sinais dos inventores de mentiras, e enlouqueço os adivinhos
(alertas RSS)

Diferenças raciais em inteligência - 27Dez2016 19:46:00



Cristãos são obrigados a falar a verdade.  Proclamar uma verdade impopular é sustentar o legado dos profetas de Deus.

Uma avaliação honesta da história afro-étnica demonstra que esse grupo raramente contribuiu ao progresso intelectual da humanidade.  Pesquisas sugerem que isso é devido à reduzida inteligência média.

O último parágrafo é heresia moderna, e simplesmente discutir essa verdade em alguns países é suficiente para ser atirado na cadeia por ?discurso de ódio?.  No mesmo ponto, porém, a verdade ser pronunciada.  A civilização ocidental não pode mais tolerar perniciosas mentiras igualitárias.

TESTES DE QI

Quase todo estudo científico conduzido confirmou que o QI médio afro-étnico é mais baixo do que as médias de asiáticos e euro-étnicos.

Testes de QI têm estudado as diferenças entre grupos étnicos por um século, [1] e as mesmas diferenças em inteligência existiram por décadas sem maiores mudanças. [2] O QI médio para americanos europeus é de 100, para afro-americanos é somente de 85. [3] Não obstante as mudanças sociais e econômicas, essa diferença persiste inalterada.

Em um livro publicado em 2006, O Professor da Universidade de Ulster, Professor Richard Lynn, concluiu que o QI médio de africanos sub-saarianos era de 67. [4] Depois de considerar essa peça de informação, a causa da disfunção da África se torna óbvia.  Africanos não são simplesmente inteligentes o suficiente como grupo para desenvolver uma civilização de Primeiro Mundo.

A antiquada definição médica de um ?idiota? é uma pessoa com um QI entre 50 e 70. [5] A África é um continente habitado com residentes mentalmente deficientes.  Cristãos podem não apreciar esses fatos, mas Deus aparentemente viu como adequado desenhar os grupos étnicos africanos com baixa inteligência média.

Um QI de 50 a 70 é associado com crianças euro-étnicas de 9 a 12 anos. [5] A África é um continente dominado pelos equivalentes mentais de crianças.  Comparações poderiam ser feitas com o ?Senhor das Moscas?.

Igualitaristas raciais poderiam negar a precisão dos testes de Lynn acusando-o de ?racismo?.  Mais importante, porém, é que a maioria dos cientistas de inteligência concorda com as conclusões de Lynn.

Em 1994, os maiores peritos em inteligência no mundo lançaram um documento para clarear suas crenças sobre inteligência e genética.  O documento intitulado ?Ciência Dominante em Inteligência? (Mainstream Science on Intelligence) foi publicado no Wall Street Journal.  Brevemente antes de sua publicação, a grande mídia começou a falsamente alegar que a ciência confirmou a igualdade étnica em QI.  Odocumento foi assinado por 52 dos principais cientistas em inteligência no campo.  Lê-se nele que:

?A curva de sino para brancos é centralizada aproximadamente no QI de 100; a curva de sino para afro-americanos aproximadamente em 85; e para diferentes subgrupos de hispânicos aproximadamente no meio entre aqueles de brancos e negros.  A evidência é menos definitiva para exatamente onde acima do QI de 100 as curvas de sino para Judeus e Asiáticos estão centralizadas?. [2]

NÃO É AMBIENTAL

Poderia ser sugerido que o QI é principalmente determinado pelo ambiente depois de observar que afro-americanos têm QIs médios mais elevados do que seus primos africanos.  Porém, essa disparidade é rapidamente explicada quando se considera que afro-americanos são misturados com euro-étnicos.  Seu DNA europeu tem os tornado mais espertos.

O Professor da Universidade de Harvard, Henry Louis Gates, escreveu em 2009 que ?Afro-americanos... são um povo racialmente misturado ou mulato ? profundamente e predominantemente.? [6]

Quanto maior ancestralidade africana alguém possua, mais provavelmente tem menor inteligência.  Cor escura geralmente indica QI mais baixo.  Uma publicação resumiu assim:

?Crianças negras com cor mais clara... têm QI médio mais elevado.  Na África do Sul, o QI das populações misturadas racialmente têm média de 85, intermediando os Africanos com 70 e os brancos com 100.? [7]

Essas conclusões politicamente incorretas têm forçado muitos euro-étnicos liberais a procurarem explicações alternativas para baixa inteligência afro-étnica.  Uma das explicações comuns é expressada como ?status sócio-econômico?.  Essa explicação assegura que se crianças afro-americanas pertencessem à mesma classe econômica que as crianças euro-americanas, a diferença intelectual atingida terminaria.  Nesse caminho é argumentado que a pobreza, em lugar da genética, seja a principal causa da baixa performance dos afro-étnicos.

Essa explicação, porém, tem sido explorada pelas ciências sociais e biológicas.  Um fato pouco conhecido é que estudantes afro-americanos provenientes de famílias com rendas anuais de mais de $160.000 pontuam menos do que aqueles estudantes euro-americanos provenientes de famílias com rendas anuais menores que $20.000. [8]

Em outras palavras, afro-americanos mais ricos são menos inteligentes do que euro-americanos empobrecidos.

O jornal ?The New York Times? expressou esse fato com pesar em 2010:

?Pobreza isoladamente não parece explicar as diferenças [em performance escolar]: garotos brancos pobres pontuam tanto quanto garotos afro-americanos que não vivem na pobreza, medida caso se qualifiquem para escolas com lanches subsidiados.? [9]

Nos anos 70, Richard Weinberg e Sandra Scarr conduziram uma investigação em que testaram e estudaram crianças pequenas afro-americanas que foram adotadas e educadas por pais euro-americanos de classe média-alta.  Os resultados foram surpreendentes.

Apesar de estarem cercados pela riqueza e cultura euro-étnica, ao tempo que as crianças tinham 17 anos seu QI era idêntico à média afro-americana em seu país natal.  O estudo sugeriu que educação e ambiente têm pouco efeito sobre inteligência, e que o QI é determinado primariamente pela genética. [10]

Como a ciência da inteligência expandiu-se desde os anos 70, cientistas têm se tornado mais e mais pessimistas a respeito dos efeitos do ambiente sobre o QI.  Hoje, a maioria dos peritos em inteligência reconhece que até os mais radicais movimentos ambientais têm pouco ou nenhum efeito sobre o QI adulto.

Em 2014, Gregory Clark, professor de economia na Universidade da Califórnia, escreveu uma coluna no New York Times explicando que economia e sucesso cognitivo eram largamente resultado dos genes herdados:

??estudos de adoção, em algumas formas a mais dramática das intervenções sociais, sustentam essa visão.  Um número de estudos de crianças adotadas nos Estados Unidos e países nórdicos mostram convincentemente que suas chances de vida são mais fortemente preditas de seus pais biológicos do que de suas famílias adotivas.  Nos Estados Unidos, por exemplo, o QI de crianças adotadas correlaciona-se com o de seus pais adotivos quando jovens, mas a correlação é próximo a zero na maioridade.  Há baixa correlação entre renda e realização educacional de crianças adotadas e aquelas de seus pais adotivos.? [11]

Se o ambiente tem quase nenhum efeito sobre a inteligência, então a performance inferior dos afro-americanos é quase certamente ligada a deficiências cognitivas produzidas pela herança genética.

Por quanto tempo o mito da igualdade intelectual étnica sobreviverá?  Por quanto tempo os americanos serão enganados sem perceberem que os afro-americanos não são intelectualmente capazes de sustentar a civilização ocidental?

Espantosamente, na medida em que a ciência têm constantemente desmantelado as falhas da igualdade étnica em inteligência pelo último século, essa idéia continua a dominar o pensamento popular.  Nas décadas precedentes aos anos 60, porém, a maioria dos americanos aceitava a verdade da desigualdade.  O mito igualitário somente representou consenso por cerca de 40 anos.

SENSO COMUM

Mesmo antes do teste de QI, escaneamentos do cérebro e registros estatísticos freqüentes, europeus sentiam intrinsecamente que afro-étnicos não eram tão inteligentes quanto asiáticos e ocidentais.

No início do século XIX, o famoso filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel desenvolveu uma filosofia de história que envolva toda região do mundo exceto a África.  Ele explicou sua lógica para excluir a África da história humana:

?O peculiar caráter africano é difícil de compreender, pela plena razão que em referência a isso, devemos abrir mão completamente do princípio que naturalmente acompanha todos nossos ideais ? a categoria da universalidade.  Na vida [negra] o ponto característico é o fato que a consciência ainda não chegou à realização de qualquer objetivo de existência substancial, - como por exemplo, Deus, ou Lei ? em que o interesse volitivo do homem esteja envolvido e em que ele perceba seu próprio ser.  Essa distinção entre si como um indivíduo e a universalidade de seu ser essencial, o africano na uniforme e não-desenvolvida unicidade de sua existência ainda não o atingiu; de maneira que o conhecimento de um Ser absoluto, um Outro e um Mais Elevado que seu individual, encontra-se inteiramente ausente.  O [negro], como já observado, exibe o homem natural em seu estado completamente selvagem e indomado.  Nós devemos colocar de lado todos pensamentos de reverência e moralidade ? tudo o que chamamos de sentimento ? se nós o compreendêssemos com razão; não há nada harmonioso com a humanidade a ser encontrado nesse tipo de caráter.  As descrições copiosas e circunstanciadas dos missionários confirmam isso completamente, e o maometismo parece ser a única coisa que de qualquer forma serve ao interior da extensão da cultura [afro-étnica]?

Nesse ponto deixamos a África, para não mencioná-la novamente.  Pois essa não é uma parte da história do Mundo; não tem qualquer movimento ou desenvolvimento a exibir.  Movimentos históricos nele ? isto é, em sua parte norte ? pertencem ao Mundo Asiático ou Europeu.  Cartago revelou ali uma importante fase de transição da civilização; mas, como uma colônia Fenícia, pertencente à Ásia.  Egito será considerado em referência à passagem da mente humana desde sua fase Oriental a sua fase Oriental, mas não pertence ao espírito Africano.  O que propriamente entendemos por África é o espírito não-histórico, não-desenvolvido, ainda envolvido nas condições da mera natureza, e que deve ser apresentado aqui somente como um limiar da história mundial.? [12]

Hegel pensava profundamente a respeito dos motivos pelos quais os afro-étnicos eram indignos de um lugar na história da humanidade.  Porém, Hegel estava somente expressando o sentimento geral de seus intelectuais contemporâneos.

Entre aqueles que concordavam com Hegel estava o famoso pensador escocês David Hume.  Ele escreveu no século anterior:

?Sou capaz de suspeitar [aqueles de descendência africana] ... sejam naturalmente inferiores aos brancos.  Nunca houve uma nação civilizada de qualquer outra aparência que a branca, nem mesmo qualquer indivíduo eminente tanto em ação ou especulação.  Nenhuma manufatura engenhosa entre eles, nenhuma arte, nem ciência.  Por outro lado, o mais rude e bárbaro dos brancos, tais como os antigos alemães, os atuais tártaros, têm ainda algo eminente a respeito deles, em seu valor, forma de governo.  Uma tal diferença uniforme e constante não poderia ocorrer em tantos países e eras, caso a natureza não tivesse feito uma distinção original entre essas raças humanas.? [13]

O afamado historiador Arnold Toynbee escreveu em seu livro de história, em 1934 que: ?será visto que quando classificamos a humanidade por cor, a única raça principal que não deu uma contribuição criativa a qualquer civilização é a raça negra.? [14]

A lista de pessoas famosas que reconheceram que afro-étnicos não eram tão brilhantes quanto eurasianos poderia ser facilmente expandida.

POR QUE IMPORTA?

Inteligência é vinculada ao sucesso e renda, violência e desviados sociais. [15] [16] Por todos os EUA, os afro-étnicos e Latinos estão sendo levados a odiar euro-étnicos americanos ?racistas? por ?reprimi-los?.  Crime, disfunção familiar, disparidades em educação e pobreza são todas culpadas de ?racismo? quando são, em verdade, causadas pelas diferenças genéticas desenhadas por Deus.

Afro-americanos são levados a detestar euro-étnicos americanos a respeito de uma situação grupal que não possuem controle.  Esse constante jogo de culpa está produzindo animosidade e ressentimento.  Afro-americanos acreditam que euro-étnicos são ?racistas?, e estes últimos se ressentem por estarem sendo culpados por algo que não podem remediar.  Muito pouco amor é possível em tal ambiente.

A verdade é a solução.  Somente depois que ambos os grupos reconheçam que o papel de Deus em criar essas disparidades pode nos mover na direção de caminhos possíveis a administrar essas desigualdades.  Se nunca aceitarmos a realidade, ódio e incompreensão crescerá.  A verdade nos libertará.

CONCLUSÃO

Antes das revoluções culturais dos anos 60, quase ninguém acreditava que os grupos étnicos eram mentalmente idênticos.  Desde o primeiro contato entre Europeus e Africanos ficou entendido que os Europeus eram os mais inteligentes entre os dois grupos.

O abandono dessa realidade é uma afronta à verdade e uma desgraça à nossa honestidade e inteligência.  Cristãos alegam servir o Deus que criou a humanidade, mas freqüentemente adoramos um ídolo igualitário que procura adulterar a criação de Nosso Senhor.

Apocalipse 22,15 ensina que aqueles que ?amam e praticam a mentira? não entrarão na Cidade de Deus.  Deus criou as disparidades genéticas em inteligência entre etnias, e Ele espera que os cristãos as reconheçam.  Podemos ser odiados por contarmos a verdade a respeito de diferenças étnicas em inteligência, mas por fazer isso assumimos o papel do profeta em uma era atéia de mentiras.

Se formos lutar contra a injustiça social, necessitamos saber o material com o qual trabalhamos.  Devemos entender o que pode ou não ser feito.  Somente depois que tivermos medido nossos recursos, seremos capazes de descobrir precisamente as soluções mutuamente benéficas para nossos problemas.

Não podemos amar nossos vizinhos sem sabermos como propriamente fazê-lo.  Não podemos ajudar os povos afro-étnicos se não entendemos a maneira comopensam.  Aprender é o primeiro passo para amar nossos vizinhos.

NOTAS

[1] Rushton, Philippe and Arthur Jensen. ?Thirty Years of Research on Race Differences in Cognitive Ability.? Psychology, Public Policy and Law (American Psychological Association). June, 2005. Via: University of Delaware. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.udel.edu/educ/gottfredson/30years/Rushton-Jensen30years.pdf

EXCERTO: ??Nem a existência nem o grau de diferenças de raça em QI são um material de disputa, somente sua causa?, escreve os autores.  A diferença entre negro e branco foi encontrada consistentemente desde o tempo do sólido teste da Primeira Grande Guerra de 90 anos atrás a um sólido estudo de mais de 6 milhões de testagens em ambientes empresarial, militar e de ensino superior em 2001.??
EXCERTO: ??As diferenças de raça revelam-se com mais de 3 anos de idade, mesmo depois de adaptação na educação maternal e outras variáveis,? disse Rushton.  ?Portanto, elas não podem ser devido à educação pobre na medida em que isso não começou a exercer efeito.??

[2] Rushton, Philippe J. and Arthur Jensen. ?The rise and fall of the Flynn Effect as a reason to expect a narrowing of the Black?White IQ gap.? Intelligence journal. March-April 2010. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0160289609001561

EXCERTO: ?Numa análise de matemática e lendo as pontuações de tais testes, tais como o NAEP e o Relatório Coleman pelos últimos 54 anos, descobrimos que não houve qualquer estreitamento da diferença tanto de pontuações de QI quanto em realização educacional.  De 1954 a 2008, negros de 17 anos consistemente pontuaram mais ou menos no mesmo nível de brancos de 14 anos de idade, superando equivalentes de QI de 85 para 1954, 82 para 1965, 70 para 1975 e 81 para 2008.  Concluímos que as predições a respeito do estreitamento da diferença entre o QI de brancos e negros como um resultado de ascensão secular não tem fundamento.?

[3] Gottfredson, Linda. ?Mainstream Science on Intelligence: An Editorial with 52 Signatories, History, and Bibliography.? University of Deleware. 1995. Acesso em 28 de Abril de 2016. www.udel.edu/educ/gottfredson/reprints/1997mainstrea m.pdf

[4] Lynn, Richard. ?Race Differences in Intelligence.? WashingtonSummitPublishers (National Policy Institute). 2006. Page: 22-21 (PDF).
EXCERTO: ?Estudos do QI dos africanos na África Subsariana encontram-se resumidos na Tabela 4.1. Explicações dos resultados arrumados na tabela são dados quando apropriados.  Linha 1 fornece um QI de 64 para trabalhadores adultos de Camarões.  Linha 2 fornece um QI de 64 para jovens homens da República Central Africana aplicando uma técnica de curso de treinamento emu ma universidade na cidade de Bangui durante os anos de 1951 a 1955.  Linhas 3 até 5 fornecem o QI de 64 para amostras do Congo-Brazzaville coletadas ao mesmo tempo nas cidades de Brazzaville e Pointe-Noire.  Linhas 6,7,8,9 e 10 fornecem o QI de 64, 68, 62, 68, e 65 para Congo-Zaire.  Linha 11 fornece um QI de 59 para Guiné Equatorial.  Linha 12 fornece um QI de 80 para adultos em Gana.  O QIexcepcionalmente alto [80 para Gana] para a África Subsariana, possivelmente por causa da amostra veio da capital da cidade de Accra; o povo nas cidades da capital freqüentemente têm QIs mais elevados do que aquelas no resto do país, provavelmente porque há uma tendência para indivíduos mais inteligentes migrarem para a capital; QIs em Londres e Paris são mais elevados do que o resto da Inglaterra e França (Lynn, 1979, 1980).  Linha 13 fornece um QI de 62 para um amostra representativa extraída de Gana por inteiro?. A mais impressionante característica dos QIs de africanos na África Subsariana é que eles são consistemente mais baixos do que daqueles dos europeus especificados na Tabela 3.1 do Capítulo 3.  A mediana é 67 e é adotada como a melhor estimativa do QI dos africanos.?

[5] Wikipedia contributors, ?Moron(psychology),? Wikipedia, The Free Encyclopedia, https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Moron_(psychology)&oldid=654205686(Acesso 28 de Abril de 2016). Original Source: Zenderland, Leila (2001). Measuring Minds: Henry Herbert Goddard and the Origins of American Intelligence Testing. Cambridge University Press, ISBN 978-0-521-00363-6.
EXCERTO: ??Moron? foi cunhado em 1910 pelo psicólogo Henry H. Goddard a partir da palavra Grega Antiga ????? (moros), que significa ?estúpido? (oposta a oxy, que significa ?esperto? (ver também: oxymoron)), e utilizada para descrever uma pessoa com uma idade mental na maioridade entre 8 e 12 na escala Binet.  Foi uma vez aplicada a pessoas com um QI de 51?70, sendo superior em um grau a ?imbecil? (QI de 26?50) e superior em dois graus a ?idiota? (QI de 0?25).?

[6] Gates, Henry Louis. ?Michelle?s Great-Great-Great-Granddaddy?and Yours.? History News Network (George Mason University). October, 2009. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://historynewsnetwork.org/article/118292
EXCERTO: ?Afro-americanos, assim como nossa primeira dama [Michelle Obama], são um povo racialmente misturado ou mulato?profundamente e predominantemente.  Fato: De forma geral, 58% do povo afro-americano, de acordo com o geneticista Mark Shriver da Morehouse College, possui pelo menos 12,5% de ancestralidade européia (novamente, o equivalente à de um bisavô). Na realidade, se eu analisei o y-DNA (que um homem herda exatamente de seu pais, e ele de seu pai etc.) de todos os jogadores negros na NBA, geralmente 1/3 (alguns entre 30 e 35%) descobriria, incrivelmente, que eram descendentes de um homem branco que engravidou uma negra, muito provavelmente uma escrava? Nos anos 60, éramos fãs em dizer que somos um ?povo africano?.  Bem, nosso DNA proclama em voz alta que somos um povo europeu, um povo multicultural, um povo tão negro quanto branco.  Deveríamos nos imaginar comoum povo afro-mulato, nossos genes recombinados naquele teste chamado escravidão.?

[7] Rushton, Philippe and Arthur Jensen. ?Thirty Years of Research on Race Differences in Cognitive Ability.? Psychology, Public Policy and Law (American Psychological Association). June, 2005. Via: University of Delaware. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.udel.edu/educ/gottfredson/30years/Rushton-Jensen30years.pdf

[8] ?Family Income Differences Explain Only a Small Part of the SAT Racial Scoring Gap.? Journal of Blacks in Higher Education. 2009. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.jbhe.com/latest/index012209_p.html

[9] Gabriel, Trip. ?Black boys score far behind white students: Poverty alone doesn?t seem to explain gap; expert cites ?racial differences.?? The New York Times. November, 2010. [The New York Times and NBC News.

[10] Jencks, Christopher and Meredith Phillips. ?The Black-White Test Score Gap: Why It Persists and What Can Be Done.? Brookings Institute. Spring, 1998. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.brookings.edu/research/articles/1998/03/spring-education-jencks
EXCERTO: ?Quando crianças negras ou mestiças são educadas em lares brancos em vez de negros, seus testes como pré-adolescentes crescem dramaticamente.  Esses pontos dos adotados parecem cair na adolescência, mas isso poderia facilmente ser porque sua ambiente social e cultural assemelha-se àquele de outros adolescentes negros.?

[11] Clark, Gregory. ?Your Ancestors, Your Fate.? New York Times. February 1, 2014. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://opinionator.blogs.nytimes.com/2014/02/21/yourfate-thank-your-ancestors

[12] Hegel, Georg. ?The Philosophy of History.? Dover Publications, 1956. Pages: 93-99. Via: University of Massachusetts. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.umass.edu/afroam/aa254_hegel.html

[13] Hume, David. ?Of National Characters.? University of Virginia. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://graduate.engl.virginia.edu/enec981/dictionary/03humeK1.html

[14] Vaughn, Leroy. ?Who Created Civilization?? Los Angeles Sentinel. October, 2000. Via: High Beam Research. Acesso em 28 de Abril de 2016. https://www.highbeam.com/doc/1P1-79456877.html

[15] Goodman, R and Simonoff and Stevenson. ?The impact of child IQ, parent IQ and sibling IQ on child behavioural deviance scores.? Journal of Child and Adolescent Psychiatry, Institute of Psychiatry. March, 1995. Acesso em 28 de Abril de 2016. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7782405
EXCERTO: ?Numa amostra epidemiológica de 411, gêmeos de 13 anos de inteligência normal, tanto os pais quanto professores relataram mais problemas ambientais entre crianças com QI mais baixo.  Isso não era atribuível aos efeitos do QI parental ou classe social e não era completamente mediado por realizações escolásticas mais baixas.?

[16] Irwing, Paul and Richard Lynn. ?The Relation between Childhood IQ and Income in Middle Age.? The Journal of Social, Political, and Economic Studies. Summer, 2006. Acesso em 28 de Abril de 2016. https://www.questia.com/library/journal/1P3-1151105721/the-relation-between-childhood-iq-and-income-in-middle

EXCERTO: ?O presente estudo examina se esse resultado pode ser reproduzido na Grã-Bretanha.  Os dados são reportados para uma amostra nacional cuja inteligência foi obtida na idade de 8 anos e cuja renda foi obtida na idade de 43 anos.  As correlações entre QI e renda eram 0.368 para homens (n = 1280) e 0.317 para mulheres (n=1085).?


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/12/diferencas-raciais-em-inteligencia.html

Duplafala: um dicionário cabalista - 27Dez2016 19:41:00



Linguagem política não é somente designada para criar mentiras que soam verdadeiras, mas para criar uma falsa nova realidade baseada na doentia agenda oculta e política cabalista.

O mal-estar humano é devido ao fato que os banqueiros cabalistas desejam depor Deus.

Na prática, isso significa que a realidade deve ser revolucionada.  Eles, e não Deus (Realidade), definem "Verdade".  Eles definem-na em termos de suas perversões e megalomania.  Como Otto Kahn admite abaixo, eles estão usando o povo Judeu como instrumento para impor uma servidão permanente à espécie humana.

"Devemos purificar a idéia [de Deus], identificando-o com a nação de Israel, que se torna seu próprio Messias.  O advento dele será facilitado pelo triunfo final de Israel... " (Otto Kahn).  Em outras palavras, a liderança Judaica, os banqueiros cabalistas, são Deus, e Judeus (e Franco-maçons) seus instrumentos.

Um sistema que revoluciona a realidade é satânico.  Mentiras são aceitas como verdade; mal é bom; doença é saúde; feio é belo e anti-natural é natural.  Judaísmo cabalista é um culto satânico que defende todas essas coisas.  Judiaria organizada e franco-maçonaria são seus instrumentos.

Como a humanidade é induzida à irrealidade, a própria linguagem inevitavelmente é invertida e se torna uma parte dessa opressão.

Abaixo, eu darei alguns exemplos do dicionário cabalista deturpado:

1. Um "Terrorista" é qualquer um que não tenha uma força aérea.  Terroristas que são treinados e financiados pelos cabalistas não são terroristas, mas "insurgentes".  Palestinos que atiram foguetes e matam 1 a 2 israelenses são "terroristas".  Eles têm "túneis do terror" embora nenhum ataque de terror tenha emanado deles.  Israelenses, que em 2014 usaram aviões, mísseis e bombas para matarem mais de 2.000 civis, incluindo 500 crianças e demolem edifícios não são "terroristas".  Eles estão "se defendendo".

Quando a Al Queda supostamente atacou o World Trade Center, eles são "terroristas".  Quando eles derrubaram a Síria de Assad, eles são "insurgentes".

2. "Ódio" e "discurso de ódio" é qualquer resistência ao plano de ódio em combustão de desumanizar e escravizar a espécie humana.  O Talmud que trata não-Judeus como animais destinados a servirem os Judeus é o ódio verdadeiro, mas nunca reconhecido como tal.  Ao invés disso, eles invertem a realidade e simulam que resistir a sua agenda Talmúdica seja is "ódio".

3. "Anti-Semitismo" é supostamente um preconceito racial.  Porém, banqueiros Judeus admitem usar os Judeus para substituir Deus, abolir todas as demais raças, nações e religiões, e estabelecerem uma distribuição satânica na terra.  Usar Judeus em seu modo é o verdadeiro "anti-semitismo".  A palavra-talismã cabalista "anti-semitismo" é na realidade resistência a esse ataque sobre Deus e o homem.

4. "Homofobia" é na realidade resistência ao ataque Judaico-cabalista sobre identidade sexual à guisa de "direitos gays".  O ódio real é heterofobia, o ataque sobre instituições heterossexuais como casamento e família.  Há quatro milhões de links para "homofobia" no Google, 25 vezes mais do que para "heterofobia" (160.000.)  Heterofobia é raramente reconhecida como uma palavra, um exemplo de como a linguagem é manipulada para transformar a sociedade.

5. "Racismo"  supostamente é a hostilidade para com outras raças.  Em verdade, quando eles não alegam ser superior, os assim-chamados "racistas" são os melhores amigos de outras raças, porque gostam de outras raças e não querem que elas desapareçam.  Eles celebram diferenças e reconhecem que a humanidade é uma família. Obviamente, ninguém deveria ser esperado fortificar sua herança racial e cultural para satisfazer a doentia agenda Sionista.  "Anti-racistas" favorecem miscigenação de forma que todas as raças menos os Judeus Israelenses desapareçam.

6. "Sexismo" é supostamente a hostilidade às mulheres.  Na realidade, sexismo é heterossexualidade.  Por reconhecerem as diferenças entre os sexos, sexistas são os melhores amigos da mulheres.   Similarmente, "feminismo" simula lutar pelas mulheres, enquanto negam sua feminilidade, encorajando o lesbianismo e privando-as de seu papel social especial de mãe e esposa.  Rejeitar o "sexismo" é odiar as mulheres, negar suas diferenças sexuais inerentes e defender as mulheres a comportarem-se feito homens.

7. "Diversidade" alega celebrar todas as diferenças étnicas e sexuais.  Na realidade, é voltado a conter a genuína diversidade, erradicando a influência da cultura (heterossexual) cristã européia.

8. "Isolacionista" é alguém que se opõe em usar os recursos de seu país e jovens para promover a agenda imperialista satânica dos banqueiros.  "Lutar pela liberdade" é na realidade lutar pela escravidão (despendendo os recursos nacionais travando guerras forjadas para enriquecer banqueiros e matar goyim).

9. "Direitos humanos" são privilégios conferidos a pessoas que podem ser usados para privar outras pessoas de seus direitos humanos.  "Direitos gays", por exemplo, são usados para minar a identidade heterossexual e da família de 98% da população, convencendo-os que doença é saúde e anti-natural é natural.

10. Ato "Patriótico". O nome usa a operação de bandeira falsa cabalista do 11 de setembro para destruir direitos humanos e justificar guerra e vigilância constante.  É o "Ato de Traição". Verdadeiramente, entramos numa orwelliana era da duplafala.

Cabalistas são, na realidade, criadores.  Eles criam realidade através de seu domínio no sistema educacional e nos mass media.  Naturalemente, eles se utilizam da linguagem para inverter a realidade e difamar seus oponentes.  Em suas mãos, a linguagem é nossa inimiga.

Vamos aproveitar essas palavras-talismãs e dizermos: sou orgulhoso de ser um "anti-semita, homofóbico, sexista e racista" porque isso significa que estou resistindo à tirania e defendendo minha identidade.  Eu quero diversidade real, direitos humanos e patriotismo, não duplafala?.

O único "ódio" e "terror" reais originam-se dos cabalistas que odeiam tanto o homem quanto Deus.

Eu saúdo suas sugestões para o dicionário cabalista.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/12/duplafala-um-dicionario-cabalista.html

Um Plano Judaico de Dominação Mundial - 27Dez2016 19:36:00




Um artigo publicado no Paris Review, Le Contemperain de 1º de Julho de 1880, intitulado 'Um Relato por John Readcliffe dos Eventos Político-Históricos Registrados nos Últimos 10 Anos' propunha ser uma conferência dada por um grande Rabino, Reichorn, em um Segundo encontro do círculo interno dos líderes Judaicos em Praga, em 1869, sobre a tumba do grande Rabino, Simeon-ben-Jehuda.  O documento é hoje difícil de encontrar.

Como de costume, os simpatizantes dos Judeus têm sido ligeiros em desacreditar o documento que é dito ser um protótipo para os Protocolos de Sião, embora seja totalmente diferente.  Em ?The Role of Conspiracy Theory in Shaping Modern History? (?O Papel da Teoria Conspiratória em Moldar a História Moderna?), de 2009, David Aronowitch alega que John Retcliffe foi o pseudônimo de Hermann Goedsche cujo romance "Biarritz" contém um capítulo "No Cemitério Judaico de Praga" que forma a base de seu ultimo relato.  Isso é similar a sua artificial desmitificação para ?Os Protocolos? envolvendo Maurice Joly.

La Via France, número 214, relatou que Readcliff foi assassinado brevemente depois da publicação do discurso.  O Judeu, Lisal, que lhe foi apresentado, morreu em um duelo.  Eis aqui alguns excertos do texto, comoeditado por the Britons, 40 Great Ormond Street, Londres, Inglaterra, as pessoas que publicaram os Protocolos:

Citação:

"Nossos padres delegaram aos líderes escolhidos de Judá o dever de encontrarem-se pelo menos uma vez em cada século ao redor da tumba do grande mestre Caleb, o Rabino santo, Simeon-ben-Jehuda, cujos aprendizados foram transmitidos aos eleitos de cada geração, poder sobre todo o mundo e autoridade sobre todos os descendentes de Judá.

Já agora, por 18 séculos tem durado a Guerra do povo de Judá contra esse Poder que foi prometido a Abraão, mas que dele foi arrancado pela 'Cruz', pisado sobre os pés, humilhado por nossos inimigos, constantemente sob o medo de morte ou perseguição ou roubo e de violação de todos o gênero.  O povo de Judá, porém, por nenhum meio sucumbiu.  E se nós somos dispersos pelo mundo inteiro, é porque o mundo inteiro nos deve pertencer.  Desde vários séculos atrás, nossos instruídos homens têm estado lutando bravamente e com a perseverança que nada pode destruir a 'Cruz'.

Nosso povo está gradualmente chegando ao topo e a cada dia nosso poder aumenta.  A nós pertence o deus de hoje, que Aarão nos construiu no deserto; esse bezerro de ouro, que é o deus universal dos dias atuais.  Desde o momento quando deveríamos ter feito de nós os únicos possuidores de todo ouro do mundo, o real poder passaria a nossas mãos, e então deveriam estar cumpridas as promessas feitas a Abraão.  O ouro é o maior poder no mundo.  O ouro, que é força, recompense, e os meios para todos os prazeres, tudo que o homem teme e cobiça; ali você tem o mistério; o profundo conhecimento do espírito que governa o mundo; ali você tem o futuro.  Dezoito séculos pertenceram aos nossos inimigos, mas o presente século e os futuros séculos deverão nos pertencer, o povo de Judá, e seguramente nos pertencerá.

Essa é a 10ª ocasião durante os 1000 anos da incessante e feroz batalha contra nossos inimigos que se encontraram no cemitério, diante da tumba de nosso grande mestre Caleb, o Santo Rabino, Simeon-ben-Jehuda.  Os líderes eleitos de Judá, no intuito de desenvolver meios de colocar a nosso favor os sérios erros e pecados que nossos inimigos, os Cristãos, estão sempre cometendo.  Em cada ocasião, o novo Sinédrio proclamou e pregou a luta sem misericórdia contra esses inimigos.  Mas em nenhum dos séculos precedentes nossos ancestrais tiveram êxito em concentrar em nossas mãos tanto ouro e, desta forma, tanto poder como no século XIX, que foram os anos de 1800, que quase já passaram.  Nós podemos, portanto, nos elogiar sem medo de nos enganar, que nós obtivemos nosso objetivo e podemos olhar com confiança para o futuro.  Os tempos de perseguição e humilhação, aqueles tempos sombrios e dolorosos, que o povo de Judá suportou com tal heróica paciência, felizmente se passaram graças ao progresso da civilização entre os Cristãos.  E esse progresso é o melhor escudo por trás do qual podemos ocultar e trabalhar no intuito de limpar com firmeza e cadenciar o espaço que ainda nos separa de nosso objetivo final.

Vamos simplesmente lançar nossos olhos sobre o estado material da Europa e examinar os recursos que os Judeus conseguiram coletar desde o início do presente século, somente pela concentração em nossas mãos do vasto capital que controlamos hoje nesse momento.  Assim, em Paris, Londres, Viena, Berlim, Amsterdam, Hamburgo, Roma, Nápoles etc., e entre os Rothschilds por toda a parte, os Judeus são os mestres da situação financeira pela posse de vários milhares de milhões.  Isso, sem contra que em cada localidade de medida de secundária ou terciária importância, há aqueles que mantêm fundos em circulação e em toda parte sem os filhos de Judá, sem sua direta influência, nenhuma transação financeira, nenhum trabalho importante pode ser realizado.

Hoje, todos os imperadores, reis e príncipes reinantes são esmagados pelas dívidas contraídas para a manutenção de imensos exércitos permanentes para empurrá-los até seus tronos rasgados.  O mercado financeiro calcula e regula essas dívidas e nós somos, em uma grande medida, os mestres do mercado financeiro por toda parte.  Nós devemos estudar, portanto, para encorajar esses empréstimos mais e mais de forma que possamos nos tornar os únicos controladores de todos os mercados e, tanto quanto possível, tomar para si como proteção ao capital que temos abastecido os países a exploração de suas estradas de ferro, minas, florestas, fundições, fábricas; desta forma, o próprio estado e o controle da tributação.

A agricultura sempre permanecerá a grande fonte de riqueza em todos os países.  A posse de grandes propriedades carrega consigo honra e influência para os proprietários.  Segue-se, então, que nossos esforços deveriam ser dirigidos em fazer dos Judeus ímas de imensos territórios.  Nós devemos, portanto, apressar o desmanche dessas grandes propriedades para que possamos adquiri-los muito mais rápida e facilmente.  Sob a pretensão de ajudar as classes trabalhadoras, devemos colocar todas as taxas sobre os grandes proprietários.  E quando essas propriedades devessem cair em nossas mãos, todos os trabalhadores e proletariado cristão se tornará para nós a fonte de imenso ganho.

Pobreza é escravidão, disse um poeta.  O proletariado é o mais humildes servo da especulação.  Mas opressão e influência são os mais humildes servos da mente que inspira e estimula a esperteza.  Quem, então, recusará aos filhos de Judá a inteligência, prudência e perspicácia?  Nosso povo é ambicioso, orgulhoso e ganancioso por prazer.  Onde há luz, há também sombra.  E não é sem razão que o nosso deus deu ao seu povo escolhido a vitalidade da serpente, a esperteza da raposa, a visão do falcão, a memória do cachorro, a solidariedade e o instinto gregário do castor.  Nós nos desenvolvemos no cativeiro da Babilônia e nos tornarmos poderosos.  Nossos templos foram destruídos e reconstruímos milhares de templos em seu lugar.  Durante 18 séculos nós fomos escravos e no presente século ascendemos sobre todos os demais povos.

É dito que inúmeros de nossos irmãos de Judá foram convertidos e batizados comoCristãos.  O que importa? Os batizados podem tornar-se muito úteis para nós.  Eles podem se tornar nossos auxiliares para marchar até novos horizontes, que ainda nos são desconhecidos.  Pois esses convertidos ainda nos pertence apesar do batismos de seus corpos, seu espírito e sua almasempre permanecerá fiel a Judá.  Em um século não haverá filhos de Judá que desejem ser cristãos, mas, ao reverso, cristãos que afluirão para nossa fé.  Mas, então, Judá os repelirão com desdém.  A igreja Cristã sendo uma de nossos mais perigosos inimigos, nós devemos trabalhar com perseverança para enfraquecer sua influência.  Nós devemos enxertar tanto quanto possível sobre a inteligência daqueles que professam a religião cristã, idéias de liberdade de pensamento, de dúvida, de cisma e provocar disputas religiosas.  Assim, naturalmente provocar divisões em seitas do Cristianismo; naturalmente devemos começar por desacreditar os ministros de sua religião.  Vamos declarar Guerra aberta sobre eles; sugerir suspeitas comosua devoção de sua vida privada e ridicularizá-los e zombá-los.  Nós devemos obter o melhor da consideração ligada ao estado e ao figurino.

O inimigo natural da igreja é a luz que vem da instrução e é o inevitável resultado de uma multiplicação de escolas.  Vamos nos preparar para ganhar influência sobre os jovens pupilos.  A idéia de progresso carrega consigo a igualdade de todas as religiões que, em sua volta, conduz à supressão na escola de lições de Cristianismo.  Os Judeus, pela sutileza e aprendizado, obterá sem dificuldade cadeiras e posições como professores nas escolas cristãs.  Por esses meios, a educação religiosa sera deixada ao círculo familiar e, comoem muitas famílias, não haverá tempo para cuidar desse ramo de instrução.  O espírito religioso enfraquecerá, pouco a pouco, e desaparecerá completamente.

Cada Guerra, cada revolução, cada choque político ou religioso, que vem a suceder no mundo Cristão traz mais próximo o momento em que nós deveremos obter o objetivo rumo ao qual estamos pressionando.  Comércio e especulação, dois fatores férteis de vasto ganho, nunca devem estar fora das mãos dos Judeus.  E, primeiro de tudo, devemos fazer um monopólio de álcool, manteiga, pão e vinho.  Através disso, nós deveremos nos tornar os mestres absolutos da agricultura e de a inteira posição econômica rural.  Nós deveremos ser os distribuidores de milho em tudo.  Mas se uma certa quantidade de descontentes devesse suceder ascendendo da miséria do proletariado, seria fácil atirar a responsabilidade no governo.

Todos os cargos públicos devem ser abertos aos Judeus, e uma vez instalados, nós deveremos saber comopenetrar direto na origem da genuína influência e poder.  Isso, por meio da atividade e astúcia e nossos bajuladores.  É de ser entendido que tudo isso somente se aplica às posições de honra e poder e privilégio, pois comorecompensas àqueles cargos que requerem conhecimento, trabalho e problema, essas devem ser deixadas aos Cristãos.  A magistratura é para nós uma instituição de primeira importância.

A carreira de advogado, mais do que qualquer outra, desenvolve a faculdade de civilização e mantém-se em contato com os negócios de nossos inimigos naturais, os Cristãos.  E é por conta disso que nós somos capazes de deixá-los a nossa misericórdia.  Por que os Judeus não deveriam se tornar ministros de instrução pública quando eles supostamente controlarem os cargos de finanças? Os Judeus devem também aspirar aos postos dos legisladores de forma que eles possam trabalhar destruindo as leis feitas pelos gentios, pecadores infiéis; contra os filhos de Judá, que são os únicos fiéis pela constante obediência das leis de Abraão.  Em relação ao restante desse assunto, nosso planoé um plano de sucesso completo em progresso, pois, por quase toda parte, reconheceu-se e consentiu-se os mesmos direitos de cidadania aos Cristãos.  Mas o que é importante obter e que deve ser objeto de nosso constante esforço é uma lei menos severa sobre a falência.  Nós deveremos torná-la uma mina de ouro, mais rica do que já foram as minas da Califórnia.

O povo de Judá deve dirigir suas ambições rumo ao alto grau de poder de onde fluem preferências e honras.  O caminho mais efetivo de obter êxito é ter uma firme mão sobre todas as associações: industriais, financeiras e comerciais.  Ao mesmo tempo, resguardando-se cuidadosamente contra qualquer armadilha ou tentação que poderia nos expor a processos legais.  Nós devemos nos conduzir, portanto, com esses tipos de especulações, com essa cautela e tato que marcam nossa especial atitude para os negócios.

Devemos ser estrangeiros para tudo que merece uma posição de distinção na sociedade: filosofia, medicina, direito, música, poítica, economia.  Numa palavra, todos os ramos da ciência, da arte e da literature são um campo vasto.  Onde o sucesso deve nos tornar muito importantes e exibir nossa atitude.  Esses ambientes são inseparáveis da especulação.  Assim, uma composição musical, não importa se medíocre, nos dará uma desculpa plausível para preparar um pedestal, envolvendo com uma auréola o Judeu que foi o autor.  Quanto às ciências, medicina e filosofia, eles deveriam também formar parte de nosso domínio intelectual.  Um doutor é iniciado nos segredos familiares mais íntimos, e tem comotale m suas mãos a saúde e a vida de nossos inimigos mortais, os Cristãos.

Nós devemos encorajar os casamentos entre Judeus e Cristãos.  Pois o povo de Judá, sem arriscar perder o contato, não pode senão ganhar por essas alianças.  A introdução de uma pequena gota de sangue impuro em nossa raça, escolhida por Deus, não poderia por qualquer meio corrompê-la, e nossos filhos e filhas suprirão por esses casamentos alianças com as famílias Cristãs na posse de alguma promoção e poder.

Em troca de dinheiro que nós deveremos dar, é justo que nós devamos obter o equivalente em influência sobre aqueles que nos cercasse.  Essa linhagem com os Cristãos não impõe qualquer desvio do curso que nós traçamos.  Pelo contrário, com um pouco de diplomacia, isso nos tornará, de alguma maneira, soberanos de seu destino.  É desejável que os Judeus devessem se abster de ter mulheres de nossa santa religião comoamantes e que eles devessem escolher para esse papel entre virgens Cristãs.  Trocar o sacramento do matrimônio numa Igreja por um simples contrato diante de alguma autoridade civil seria um assunto de grande importância para nós; pois a partir daí as mulheres Cristãs fluiriam para nosso campo.

Se o outro é o primeiro poder nesse mundo, o Segundo sem duvida nenhuma é a imprensa.  Mas o que pode o segundo sem o primeiro? Na medida em que  nós não possamos perceber tudo que já foi dito e planejado sem a ajuda da imprensa, por conseguinte nosso povo deve dirigir todos os diários em cada país.  A posse do ouro e a esperteza em usá-lo para untar a palmadas mãos daqueles abertos ao suborno nos tornará árbitros da opinião pública e nos dará domínio sobre as massas.

Avançando desta forma, passo por passo nesse caminho, e com a perseverança que é nossa grande virtude, nós deveremos recuar os Cristãos e aniquilar sua influência.  Nós deveremos ditar ao mundo naquilo que eles deveriam ter fé, o que eles devem honrar e amaldiçoar.  Talvez alguns indivíduos se prepararão contra nós e nos condenarão e amaldiçoaram; mas as massas dóceis e ignorantes nos escutarão e tomarão nosso lado.

Uma vez mestres absolutos da imprensa, nós deveremos ser capazes de alterar nosso gusto por todas as idéias de honra, virtude, sinceridade de caráter, e fazer o primeiro ataque e quebrar o primeiro golpe naquela instituição, até aqui secreta, nomeadamente, vida familiar; e assim realizar sua destruição.  Nós deveremos ser capazes de apagar a crença e fé em tudo que nossos inimigos, os Cristãos, têm até aqui venerado.  Então forjando para nós como uma arma o cultivo das paixões, nós deveremos declarar Guerra aberta sobre tudo que ainda é respeitado e venerado.

Permitam todos os precedentes serem entendidos e pontualmente registrados.  E deixe cada filho de Judá absorver esses princípios.  Então nosso poder crescerá como uma árvore gigante cujos ramos darão o fruto que é chamado riqueza, prazer, alegria, poder como compensação pelo repugnante estado pelo qual o povo de Judá passou por vários séculos.

Quando um dos nossos dá um passo à frente, deixe outro segui-lo de perto.  Se um Judeu é saudado diante das cortes do país, deixe seu irmão vir comoseu assistente; mas somente quando este ultimo agir em concordância com as leis que Judá estritamente observou por tantos séculos.

Nosso povo é conservador, fiel às cerimônias religiosas e aos costumes passado pelas gerações por nossos ancestrais.  Nosso interesse requer que pelo menos simulemos um zelo pelas questões sociais que são a ordem do dia; aqueles acima dos quais preocupam o aprimoramento das condições dos trabalhadores.  Mas, em realidade, nossos esforços devem ser dirigidos a tomar posse desse movimento de opinião pública (p.e. a emancipação das classes trabalhadoras, o Movimento Trabalhista) e usá-los para manipular a política pública.  A cegueira das massas, a facilidade com que elas são influenciadas pela eloqüência que, tão vazia quanto ruidosa ? fez delas instrumento de adestramento e presas fáceis de besteiras e trapaças.  Nós deveremos ser capazes de achar entre nosso povo aqueles que são capazes de falsificar o sentimento e comandar na mesma medida a eloqüência quanto sinceros Cristãos tenho-no em seu entusiasmo.

Nós devemos tanto quanto possível desviar o proletariado e submetê-los aos manipuladores das finanças.  Através disso, nós deveremos fazer as massas ascenderem quando quisermos.  Nós os empurraremos a insurreições e revoluções, e cada uma dessas catástrofes avança nossos interesses secretos e nos traz rapidamente mais próximos ao nosso grande objetivo, nomeadamente aquele de reinar sobre todo o mundo, comofoi prometido ao nosso pai Abraão.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/12/um-plano-judaico-de-dominacao-mundial.html

Yom Kippur, o Feriado dos Mentirosos - 27Dez2016 19:30:00


por Michael Hoffman

Yom Kippur começa quinta à noite, dia 22 de Setembro, de maneira que o mundo ocidental observará respeitosamente como ?Judeus piedosos? supostamente ?implorando a misericórdia divina?, enquanto supostamente ?aspiram pela justiça?.  Sem dúvida que o Antipapa de Roma e os chefes das igrejas fundamentalistas protestantes transmitirão sua estima pela cerimônia de Yom Kippur como realizada pelo "Povo de Deus".

No Yom Kippur, o infame Kol Nidrei tem lugar, quase sempre explicado ao púbico externo como uma cerimônia sagrada de súplica a Deus por perdão por juramentos que foram violados, contratos que foram rompidos e promessas que não foram mantidas no ano precedente.  O problema é que o retrato de piedade é uma fraude.

Em verdade, o Kol Nidrei é uma cerimônia na qual:

1. Todo perjúrio que você irá cometer no ano vindouro e

2. Todos os contratos que você firmará e violará no ano vindouro, e

3. Todas as promessas que você empenhará no ano vindouro

- são absolvidos, sem nenhuma punição celestial acrescida pelo resultado.

Essa é a realidade do rito do Kol Nidrei do Yom Kippur, e esta é a única razão pela qual o Yom Kippur é a mais freqüentada de todas as cerimônias na sinagoga do Judaísmo. Talmudistas apreciam ter uma burla e durante o Yom Kippur isso representar tornar Deus como um parceiro mais velho na trapaça.

A verdade a respeito da liturgia do Kol Nidrei é costumeiramente liberada pelos rabinos e sua mídia obsequiosa como uma "ficção anti-semita repulsiva".

Eles arremessam sua acusação mentirosa na expectativa que o público ficará tão intimidado por medo de ser rotulado como "anti-semita" que não irão consultar a documentação, e, ao invés disso, aceitarão o valor de face da palavra dos nobres rabinos e da sempre verídica mídia.

Do livro ?Judaism Discovered?, pp. 912-916:

?A mídia norte-americana exibe de forma reverencial a piedosa extravagância das amostras Farisaicas de penitência e purificação, jejum e orações do Yom Kippur, que supostamente evidenciam o suposto relacionamento especial dos Talmudistas com Deus.  Uma bastante gritante amostra é feita do confessionário Viduy, compreendendo o Ashamnu e o Al het, o catálogo de pecados insignificantes como uma forma de auto-acusação, a partir das súplicas integrais dos Judeus, sejam eles realmente culpados ou não de transgressão.

Depois da declamação de cada transgressão, golpeia-se o lado esquerdo do tórax de alguém com seu punho direito.  Isso é seguido pela oração de súplica, Avinu malkenu e o Alenu, o assim-chamado "kaddish para os defuntos."

Tudo isso torna impressionante o acompanhamento da noite de Yom Kippur até a quebra das promessas do Kol Nidrei e demonstra, em lugar, que simulando-se mais íntimos a Deus, essas cerimônias movam Judeus que são aderentes do Judaísmo por mais tempo, tornando Deus um cúmplice do engano e da violação de juramentos, cercado por uma amostra hipócrita de piedade e suplício.

O Talmud no Mishnah Hagigah 1:8(a) admite que não há qualquer base bíblica para o rito do Kol Nidrei.

O Rabino Moses Maimonides confirma que o rito do Kol Nidrei não é de forma alguma bíblico: "A absolvição dos juramentos não tem qualquer base na Torá Escrita" (Mishneh Torah, Sefer Haflaah, Hilkhot Shevuot 6:2).

A lei Talmúdica concernindo o rito do Kol Nidrei é a seguinte:

"E aquele que deseja que nenhum desses juramentos feitos durante o ano devesse ser válido, deixe-o sustentar no início do ano e declarar, 'Todo juramento que eu faço no futuro deverá ser nulo." (Babylonian Talmud: Nedarim 23a and 23b).

Note que o Talmud declara que a ação anuladora de juramentos é para ser tomada no início do ano e com respeito a promessas feitas no futuro.  Essa distinção é crítica, na medida em que contradiz o que os impostores reclamam ser um serviço penitencial para obter perdão pelas promessas quebradas no passado, em vez do que é: uma anulação feita antecipadamente para juramentos e promessas que ainda serão feitas (e deliberadamente quebradas com impunidade).

Essa "promovida estipulação" é chamada de bitul tenai e é a base para um Judeu ser absolvido por adiantar uma promessa quebrada que tomará no futuro, ou para utilizar o jargão rabínico de advogado: "declaração de intento para a invalidação antecipatória de futuros juramentos."

Isso corresponde à lição Talmúdica que Deus retribui aos mentirosos espertos (Kallah 51a).

Você deve ter piedade do povo enlaçado nessa sórdida charada de seduzir Deus para ajudá-lo nessa trapaça.

Pouca dessa dura realidade virá a superfície nos próximos dias, de qualquer forma.  Ao invés, a mídia corporativa jorrará siluetas confusas e ingênuas a respeito do Yom Kippur como parte do dissimulado disfarce através do qual o Judaísmo eleva-se ainda mais no Ocidente, enquanto seus aderentes afundam na torpeza moral.

Para todos aqueles "Cristãos" que, em vez de procurarem resgatar os desgraçados Judeus que estão cativos a esse sistema de desonestidade religiosa institucionalizada, em vez de abandoná-lo, podemos apenas dizer: possa Deus ter misericórdia de você pela detestável parte que você está tomando em cooperar com os rabinos Ortodoxos em permitir que mais almas Judaicas sejam perdidas ao Pai das Mentiras.?



Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/12/yom-kippur-o-feriado-dos-mentirosos.html

O abate dos Goym - 27Dez2016 19:27:00


Adaptado de Anon

A elite global tem uma agenda.  Eles desejam iniciar uma Guerra cataclísmica entre o "Ocidente" e o "Islã".  Ela indubitavelmente incendiará o mundo todo, matando muitos.  Fora das cinzas desse inferno na terra, eles conduzirão a Nova Ordem Mundial, escravizando aqueles que sobrevivem de uma vez por todas.

O neo-conservador da elite governante Samuel Huntington revela corajosamente os desejos de seus mestres sob o título de seu manifesto globalista, "Choque de Civilizações".

No intuito de fazê-lo, eles precisam de duas coisas. 1. Fazer o Ocidente detestar o Oriente (nações muçulmanas); e 2. Fazer o Oriente detestar o Ocidente.

Para criar esse profundo ódio ao Ocidente, eles bombardearam sem misericórdia civis das nações muçulmanas pelos últimos 20 anos.  A maior tragédia humana foi o Iraque.  Quantas vezes uma criança viu seus pais se explodirem em pedaços numa festa de casamento por um drone insensível que sobre eles despeja morte? Houve centenas de milhares de defeitos de nascimento de Urânio esvaziado que a maioria dos iraquianos hoje respira constantemente.  Isso é apenas a ponta do iceberg.  Leia a respeito Fallujah, onde soldados chegavam de porta em porta atirando em todo homem, mulher e criança em seu caminho.

Então, eles radicalizaram os psicopatas nessas sociedades criando uma mistura de gangsters e criminosos ao estilo Mad Max.  Glenn Greenwald faz um grande trabalho em expor o papel dos EUA e da CIA na ascensão e armamento do ISIS.

O terror islâmico é uma criação da elite global.  Qualquer um que vilifique o Islã ou o Ocidente está agindo de acordo com suas mãos.  A civilização Ocidental não bombardeou o Iraque e formou o ISIS ? os globalistas o fizeram.  Eles não são civilização Ocidental.  Eles são a antítese disso.  Eles construíram esses grupos do Islã Radical, os armaram, os manipularam, e agora estão os manipulando para cobrir a outra parte de suas maquinações:

Criar ódio no Ocidente aos Muçulmanos

A elite global está fazendo um trabalho muito bom em localizar sociopatas e criminosos sedentos por sangue para forçar uma interpretação que, de outra forma, não existiria.  Toda cultura, raça e religião têm uma população psicopata marginalizada.  Costumeiramente, eles terminam na prisão, ou ocultam-se entre nós.  O terrorismo islâmico é simplesmente a elite global manipulando sociopatas do mundo islâmico.  Eles admitem abertamente que os libertaram das cadeias da Líbia e do Iraque.

No sentido de difundir a mensagem de "ódio ao Muçulmano", a elite global tem aperfeiçoado uma gloriosa máquina de propaganda.  Alex Jones e Paul Watson tornaram-se uma saída neo-conservadora para vilificar Muçulmanos e Islã.

Observe Paul Joseph Watson no youtube.  Ele é tão cheio de ódio, é chocante! Ele promove o a mensagem de choque do cartel de banqueiros globais com perfeição concentrada.  Ele postará freqüentemente estórias anedotais da "incompatibilidade do Islã" e civilização ocidental.  O argumento pela anedota é uma ferramenta para patifes.

Há milhões de muçulmanos construindo pontes, criando tecnologia, fazendo medicina e agregando herança comum à criadora civilização ocidental.  Há bilhões, derramando lágrimas e acendendo velas por vítimas inocentes de todo o terror.  Descontextualizar é a única tática de um manipulador.  Infelizmente há vários demônios globalistas inundando milhões de dólares para psicopatas muçulmanos.

Um terrorista não tem qualquer base moral.  Mas ao apontar isso, e não entender que bombardear um país (Iraque, Líbia) em pedacinhos, é uma base moral bem mais corroída, é um tipo patológico de hipocrisia e ignorância.

Talvez o Sr. Watson deveria postar vídeos de crianças iraquianas perdendo seus pais às bombas de MOAB que são tão poderosas, que fervem seus órgãos à distância de centenas de metros.  Ou talvez fornecer a história da CIA intrometendo-se nesses países pelos últimos 50 anos, financiando e armando seu ?ditador do mês? para seus próprios propósitos.

O ponto é que essas ações não são eventos orgânicos.  Eles são insidiosamente criados e forjados para criar ódio e vilificar os muçulmanos.  Como se poderia ser tão estúpido e sem senso crítico para cair nessa armadilha parece impossível.  Quando você vê entende o que os globalistas estão fazendo ? você quererá alimentar uma aliança entre cristãos e muçulmanos.

Watson e Jones são sócios da Nova Ordem Mundial.  Eles são vendedores de ódio e falsos profetas do apocalipse.

Concluo com uma pequena dose de esperança.  Entre todo esse caos e confusão, no estádio do mundo, há um homem que vejo como a última esperança da humanidade e seu nome é Vladimir Putin.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/12/o-abate-dos-goym.html

Satanismo governa o Ocidente - 27Dez2016 19:23:00


por Henry Makow Ph.D.

A sociedade Ocidental se tornou um culto satânico.  Crescentemente, nossa cultura popular é a cultura de um culto satânico, promovendo doutrinação satanista.

As pessoas geralmente estão inconscientes de como se comportar.  Muitos vêem a TV, filmes e vídeos musicais por orientação.  Esses têm se tornado crescentemente pornográficos por causa da depravação sexual que é a marca do Satanismo.  As pessoas foram ensinadas a demandar satisfação lasciva.

Pornografia explícita está disponível em imagens do Google e no YouTube.

Até aproximadamente uns cem anos, o Cristianismo foi o espírito do tempo dominante.  Era uma ética que via a humanidade como uma família dedicada ao bem estar e realização de tudo de seus membros, baseada na crença que nossa alma vem de Deus.

Por causa do controle Satanista da educação e das mídias de massa, poucas pessoas notaram que esse pernicioso espírito do tempo foi dirigido à "mudança social" desde então.  O Espírito do Tempo Satanista é o mesmo que o Comunismo, "um sistema que transforma a pessoa numa ferramenta nas mãos, tal como um escravo." (George Solomon, Among the Red Autocrats, 1935, p.5)

Os Satanistas foram capazes de disfarçar sua agenda como ?progresso social? racional e natural.  Porém, o objetivo tem sido destruir tudo de benéfico e positivo baseado nessa herança Cristã.  Isso se explica porque é desconhecido à maioria que Judeus e Franco-maçons; que o Judaísmo Cabalista é um culto satânico cujo objetivo é escravizar e explorar a humanidade.  A menos que haja uma drástica mudança de curso, estaremos no rumo de uma Terceira Guerra Mundial.

Um Orwelliano estado escravo mundial com uma enormemente reduzida população emergirá de suas cinzas radioativas.

EVIDÊNCIA ANEDOTAL

O espírito do tempo está prestes a redirecionar a humanidade do propósito de Deus e reduzi-la ao nível da imundície.  Isso requer que todos os valores sejam invertidos: mal é o bem; feiúra é beleza; fraqueza é força; verdade é falsidade; artificial é natural; doença é saudável; ódio é amor; insanidade é sanidade etc.

1. Doença é saudável.  O sexo masculino e feminino é universal por toda a natureza e fundamental à sobrevivência de todas as espécies.  Por toda história, culturas cultivaram essas diferenças de gênero para o benefício de todos.  Em sua tentativa de escravizar a sociedade, os Cabalistas travaram guerra contra os sexos que inclui a vertente do feminismo e do homossexualismo.  Agora que o ?casamento? gay é aceitável, eles estão tentando apagar o conceito de sexo inato dizendo que você deve se identificar com seja o que for, não obstante a biologia.  Esse ataque se estende aos banheiros.  Novas leis tornarão um "direito humano" ter o sexo flexível e punir aqueles que recusam reconhecer esse status.  Os Cabalistas são responsáveis por 100 milhões de mortos no último século.  Você realmente acha que eles se importam com os "direitos" de um punhado de gente perturbada? Isso é um ataque psicológico sobre a sociedade.  Um culto satânico controla e explora as pessoas tornando-as doentes e vendendo-lhes a "cura".  Eles dizem que sexo é uma "construção social" a menos que, obviamente, alguém queira trocar, então não é inato.

2. Feiúra é belezaDe acordo com Dr. Radio, pacientes obesos estão agora acusando os medicos de "constrangimento" caso lhes recomendem perder algum peso.  A Cabala é tudo a respeito de fortalecer disfunção e doença.

3. Fraqueza é força ? Uma igreja na minha cidade erigiu um impressionante "jardim memorial" em seu primeiro andar para um antigo mendigo que faleceu. "Por que despender vosso dinheiro naquilo que não alimenta?" (Isaías 55) é o que diz o monumento.  Você pode imaginar se eles erigiram tal monumento para alguém que realmente fez a obra de Deus?? Mas isso não é o que as igrejas fazem mais.  A religião nada mais é do que uma aparência hipócrita da preocupação pelos desgraçados.  A comunista ?Broadcasting Corporation? (CBC) aqui no Canadá não cessa de divulgar doenças, minorias e oprimidos.  Eles nunca mostram o forte, feliz e o saudável.  Nunca há qualquer exemplo positivo.

4. Falsidade é verdade ? Nunca em minha vida vi um candidato presidencial mais obviamente sinistro do que Hillary Clinton.  Com a ajuda da msm, ela normalizou a fraude e a corrupção.  Há rumores que ela seja uma sumo-sacerdotisa pedófila e satânica.  Não obstante, a elite governante Cabalista está determinada para elegê-la, e milhões de norte-americanos estão sinalizando sua lealdade para o culto votando nela.

5. Traição é altruísmo ? Por toda minha vida, admissão num país dependia das prioridades nacionais.  Era assumido que, em caso contrário, quem viesse do Terceiro Mundo naturalmente entraria.  Agora, os traidores satanistas reclassificam imigrantes econômicos como "refugiados" e retratam traição como um ato de maldade.  A solução, obviamente, é para o Ocidente Sionista, cessar de destruir suas pátrias.

6. Guerra é Paz ? A chicana e o cinismo na política externa do Ocidente também parece sem precedentes.  A devastação persiste na Síria, Iraque e Ucrânia.  Eles nos convenceram que a guerra é normal.  A Guerra é a expansão da plantação dos banqueiros centrais.  Rússia parece estar resistindo a essa expansão, mas isso poderia simplesmente ser um pretexto para uma ainda maior.

CONCLUSÃO

Comunismo é Satanismo, que é o Judaísmo Cabalista.  A sociedade está assumindo feições de um culto satânico.  Em acréscimo ao que foi dito, vemos a arregimentação social implicada pelo "politicamente correto" que não passa de conformidade satânica.  Num culto, quem se desvia está sujeito a blasfêmia, calúnia, intimidação física e perda do sustento.  É o que ocorre hoje.

O que ocorreu a respeito ao indivíduo e amor à liberdade? Nós atingimos o ponto onde distingüir entre o bem e o mal é considerado "ódio".



Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/12/satanismo-governa-o-ocidente.html

O Messias Judeu é o Anticristo - 14Nov2016 16:07:00


O Plano: Saturar a Terra com Mal, p. 61-68
por Texe Marrs
(excertos por henrymakow.com)

O que os Judeus tentam fazer, então, para realizar o Plano na Kabbalah para dominação mundial e um governo terrestre do Reino dos Judeus, é saturar a terra inteira com mal.  Fazendo isso, eles estão invocando as simbólicas "Forças de Deus" que está para vir como profetizado pelo profeta Daniel.  Seu desejo pela aquisição de dinheiro seria instrumental nessa busca.  "O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males", diz a Bíblia (I Timóteo 10).

Para seu deus satânico, o deus das forças, Daniel profetizou que os Judeus acumularão grandes tesouros.  O dinheiro gera mal e abastece o pecado, e o mundo inteiro está em vias de se tornar um planeta do mal.  É através o mal máximo que a Serpente Sagrada dos Judeus deverá ser empoderada para conquistar.

Edward Hendrie comenta que nessa terrível doutrina cabalística, isso de cometer o máximo mal, o demônio perceberá seus objetivos finais:

"Certamente Satã tem um fim em mente para a construção de tal sinistra doutrina religiosa.  Realmente tem, não é nada menos do que subjugação de todos homens sob o governo ditatorial do Anticristo! Ele se utiliza da escalada do pecado e do crime na sociedade para produzir mais governo, regulação e controle sobre as massas..."

John Torell, em seu extenso estudo do cabalismo e a religião dos Judeus, amplifica os achados de Hendrie:

"Essa doutrina maligna também pode ser vista no Talmud, onde incesto, fornicação, adultério etc. são promovidos como virtudes e algo a ser desejado. É difícil para o mundo Gentio compreender totalmente o que está ocorrendo no subterrâneo Judaico da conspiração, a não ser que eles entendam a natureza do Judaísmo Cabalista.  É uma religião baseada na promoção, propagação e cometimento do pecado como meio de dominação mundial." ("Showdown in Jerusalem," The Dove, winter 1995)

Agora vamos recapitular esses estranhos e além de tudo bizarros ensinamentos dos Judeus cabalistas.  Seus livros sagrados nos contam que o inefável e distante ?Deus? (Ein Sof) bateu-se em retirada em si mesmo e deixou um vazio, um abismo sem fundo (o "kelipah") no qual a divindade dos Judeus, a Serpente Sagrada, Leviatã, é aprisionada junto com incontáveis espíritos maus e entidades demoníacas.  Esses muitos espíritos e entidades os Judeus não reconhecem como demoníacos, mas como instrumentos que ajudam a atingir a perfeição e sacralidade.

Ali, na escuridão e no terrível abismo, a Serpente Sagrada esforça-se para se libertar.  No futuro, ela emergirá ao mundo material, a Terra, através do poder gerado tanto pelas boas obras e pelos pecados e maldades cometidas pelos Judeus aqui na Terra.  Ascendendo fora do abismo sem fundo e chegando em seguida à superfície de Terra, emergindo, desta forma, do abismo sem fundo, a serpente e seus seguidores, os Judeus, deverão conquistar e deverão reinar supremos como a "Luz do Mundo"...- Apocalipse 9, 1-11

Os Judeus chamam sua divindade "Leviatã" e honram essa divindade serpente como seu obscuro Messias espiritual.  Os livros de Jó e Isaías no Antigo Testamento identificam Leviatã como a "serpente perfurante" e dizem que o verdadeiro Deus da Bíblia e do Cristianismo destruirá o maligno Leviatã nos últimos dias.

Em Apocalipse 13, Leviatã é descrito simbolicamente como a besta que emerge do mar.  Comparamos isso com os ensinamentos da Cabala, que retrata o Messias Judeu, sua grande Serpente Sagrada, ascendendo ou emergindo do ?abismo sem fundo?.

Finalmente, vemos em Apocalipse 9 que os demônios que residem na abismo sem fundo tem um rei sobre eles, "cujo nome na língua hebraica é Abadom."

Os Judeus alegam total desconhecimento do livro do Apocalipse, não obstante seus livros sagrados exaltarem Abadom como uma emanação de Deus, a ser honrado como uma divindade.  Mas, espere aí: até o Antigo Testamento ensina que Abadom é o Demônio e que: "A região dos mortos está aberta diante dele, os infernos não têm véu." -- Jó 26, 6

QUEM É ABADOM?

Cristãos sabem estudando o livro profético do Apocalipse que "Abadom" é um nome para Satã.  A palavra hebraica, Abadom, significa "O Destruidor".  Mas, recorde que Deus é tanto criador quanto destruidor.  Portanto, nós supomos que o Judaísmo ensine que Abadom é ainda um outro nome para seu ?deus? divino.  E, na realidade, entre as dez divindades (Sefirots) da cabalista Árvore da Vida, encontramos o nome "Nezah", que a Cabala revela que é, na prática, o mesmo que "Abadom".

Desta forma, Glenn Barken, um professor de Kabbalah, em um curso online, Angeologia 112 ? ?Quem é Abadom?? escreve que Abadom é a entidade positiva que "socorre o espírito humano a caminho do Abismo em seu caminho rumo a divindade".  Atinge-se o Deus supremo atravessando esse obstáculo final.  Abadom (Nezah), diz Barken, é realmente o arcanjo do abismo, ou buraco.

Em meus estudos, tanto o culto ?Cristão? das Testemunhas de Jeová quanto a Franco-maçonaria, descobri como Satã está usando esses falsos sistemas cabalísticos para exaltar o divino arcanjo Abadom.  Na Loja Maçônica, uma senha secreta é utilizada chamada a Palavra Sagrada.  A Palavra Sagrada é Abadom.

Entretanto, uma das mais reverenciadas figuras na religião das Testemunhas de Jeová, o Juiz Joseph Rutherford, começando já em 1930, ensinava que Abadom é, na verdade, um sinônimo para Jesus!

Abadom, Leviatã, Nezah ? essas descrições são todas à mesma criatura, que vem disfarçada em numerosas aparências.  Essa criatura, a quem os Judeus chama a Serpente Sagrada, as Escrituras chamam de "... o grande Dragão, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás ..." (Apocalipse, 12, 9).  Nessa mesma mensagem profética no Apocalipse, somos contados que é ?o sedutor do mundo inteiro. Foi precipitado na terra, e com ele os seus anjos."

Que poder encontramos demonstrado nos livros proféticos de Deus! Imaginem, Apocalipse 12 e 13 nos dá um retrato claro e tremendo de Satã e seus anjos sombrios como ascendendo do abismo sem fundo e destruindo a terra fazendo sua obra diabólica de destruição.  E a Kabbalah Judaica é uma cópia fiel dessa mesma série de eventos.  Quem pode negar que os Judeus sabem exatamente a quem servem: Satã! Seu símbolos, seus livros sagrados, parecem ter sido produzidos direto de um plágio do livro do Apocalipse.

É cômico que os Judeus são indomáveis em insistirem que os Protocolos dos Sábios de Sião são uma fraude.  Mais que nos Protocolos, descobrimos que seus livros sagrados da Kabbalah imitam o livro do Apocalipse do Novo Testamento.  Paralelos similares são descobertos nos livros de Jó, Isaías, e nos quarto evangelhos.  A diferença é que as Escrituras identificam esses positivos ?deuses? Judaicos como demônios.

Certamente, o demônio não apenas não pode escapar de seu destino patético, e nem podem o mesmo os revoltosos, odiadores de Cristo e assassinos de Cristo! É decisão de Deus que esses usurpadores da verdade, esses bandidos mundiais e criadores de casos, devam seguir um "T": o padrão da profecia deixada e escrita há 2 mil anos nos livros sagrados da Bíblia Sagrada. Os Judeus não podem escapar de seu destino.  Seus líderes muito tempo atrás fizeram tragicamente um "Pacto com a morte" e uma "Concórdia com o inferno".

Leviatã, a inspiração de Satã, garantirá que eles obedecem o acordo que eles firmaram.  E Deus deverá supervisionar e afiançar o assunto.

Que os Judeus fizeram um pacto e concordaram com a morte e o inferno ficará até mais claro nos próximos capítulos.  Olhemos agora ao homem a quem os Judeus honrarão e reverenciarão no future como seu grande líder e Novo Rei David.

Nós Cristãos o conhecemos como o Anticristo, o maligno possuído e encarnado pelo próprio demônio.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/11/o-messias-judeu-e-o-anticristo_14.html

Excepcionalidade Americana é o Narcisismo Judaico - 14Nov2016 15:52:00


by Henry Makow Ph.D


Graças a Barack Obama, o termo "Excepcionalidade Americana" está em voga.  Essa doutrina sustentou que os EUA são únicos nos anais da história, e, portanto, está imune a quaisquer padrões morais ou racionais (porque ele os define de acordo com seus próprios interesses).

Quem o faz lembrar disso? Na era moderna, impérios vieram e foram, mas todos tinham algo em comum.  Eles são mandatários de banqueiros centrais Judeus Cabalistas e seu programa para dominação e escravização mundiais.  Por séculos, esses banqueiros mudaram seus quartéis-generais desde Veneza até Amsterdam, para Londres e Nova Iorque.

Quando as nações combinaram seus interesses com os dos banqueiros, eles prosperaram.  A dívida dos EUA é de vinte trilhões de dólares? Sem problemas! Ponha no seu cartão de crédito.

Porém, quando nações tais como a Rússia Czarista ou a Alemanha imperial provaram-se teimosas, foram liquidadas.

O Ocidente foi colonizado por esses banqueiros em virtude de seu controle de crédito do governo.  A elite política e cultural é grosso modo uma velada administração colonial escolhida das fileiras dos cabalistas (satanistas) franco-maçons.  Apesar das aparências, nós vivemos num ZOG (Governo Ocupado Sionista).  Estamos satanicamente possuídos.

Hoje, os Estados Unidos são seu preferido instrumento para roubar o mundo muçulmano.  O Mossad e a CIA fornecem o pretexto ? 11 de setembro e terror de operação de bandeira falsa.  Líderes americanos e satanistas da OTAN de um perímetro menor destruíram as vidas de milhões de inocentes.  Dissimulando compaixão pelos "refugiados", estão usando imigrantes econômicos para invadir o Ocidente.

Dificilmente alguém retrata o imperialismo Americano nesses termos.  Comentaristas como Paul Craig Roberts ou Gerald Celente ou Noam Chomsky castigarão os EUA como se este país não fosse ele mesmo um país ocupado e fantoche de um poder alienígena oculto.

Muitos políticos e comentaristas na Rússia observam que a política norte-americana parece estar divorciada da realidade.  Mas eles também temem mencionar a razão.  É porque eles também têm um banco central de Rothschild? Putin tem que pisar cautelosamente? É oposição controlada?

Os EUA não são nada senão uma ferramenta de satânico "Messianismo" Judaico, em outras palavras, a doutrina que banqueiros Judaico-Maçônicos deverão controlar tudo disfarçado de "uma nova era de justiça, paz e fraternidade".

"Justiça" é submissão ao poder Judaico Cabalista.  Esses comentaristas estão perpetuando a narrativa que os EUA é o culpado.  Repetindo, os EUA são uma colônia do cartel do banco central.

EXEPCIONALIDADE AMERICANA

Excepcionalidade Americana é uma reflexão de como a Judiaria organizada se reconhece.  De acordo com a Wikipedia, "Excepcionalidade Americana é uma das três idéias relacionadas.  A primeira é que os EUA são inerentemente diferentes de outras nações, o que o cientista político [Judeu] Seymour Martin Lipset chamou de "a primeira nação nova" com uma ideologia unicamente Americana, "Americanismo", baseada em liberdade, igualitarismo, individualismo, republicanismo, democracia e laissez-faire para negócios.  Essa mesma ideologia é freqüentemente referida como "Excepcionalidade Americana."

Caso ignorarmos o significado do "Americanismo", como políticos americanos fizeram, temos a idéia Judaica de uma Nação Escolhida, favorecida por Deus.

"Segundo é a idéia que os EUA têm uma missão única para transformar o mundo.  Como Abraham Lincoln acentuou no discurso de Gettysburg (1863), Americanos têm um dever de ver que o "governo do povo, pelo povo, para o povo, não deverá perecer da terra."

Novamente, os Judeus Cabalistas disfarçam sua agenda predatória pretendendo ter uma missão divina.

"Terceiro é o sentido que sua história e sua missão dão aos EUA uma superioridade sobre as outras nações."

Precisamos dizer algo mais?

A política externa norte-americana somente faz sentido como uma mandatária para dominação Judaica mundial.  Eles destruíram o Iraque, Líbia e Síria sem qualquer razão senão pavimentar a estrada para a expansão de Israel e a Nova Ordem Mundial.  Hillary Clinton admitiu que eles fizeram isso por Israel.  Os EUA e a OTAN estão ameaçando a Rússia sem qualquer razão senão para provocar uma Guerra mundial que matará milhões.  Nada cessará esses psicopatas senão os expondo como realmente são.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/11/excepcionalidade-americana-e-o_65.html

Rabinos concordam com Jesus: seu deus é Satã, a serpente sagrada - 14Nov2016 15:52:00



Texe Marrs

?porque vossas mãos estão manchadas de sangue e vossos dedos de crimes; vossos lábios proferem mentira, vossa língua entretém pérfidas conversas.  Pessoa alguma cita em justiça com razão, ninguém pleiteia de boa fé: apóiam-se sobre falsos argumentos, pretende-se aquilo que não é. Concebeu-se a intriga e gera-se o crime.  Chocam ovos de áspide, e tecem teias de aranha. Se se comem seus ovos, morre-se, se se quebra um, sai dele uma víbora.? (Isaías 59, 3-5)

No Evangelho de Mateus, Jesus chamou diretamente os Judeus religiosos de ?serpentes? e ?víboras? (Mateus 12 e 23).

?Como escaparão da danação do inferno?? disse Jesus.

Desde os tempos de Jesus, um rabino após outro provou que ele estava certo.  A maioria admite a sua dignidade pela Serpente.  Os rabinos até colocam seu mal na escrita, declarando em seus livros mais santos, o Talmud e a Kabbalah, que a Serpente é sua ?companheira? e ?mulher?.  Tão santa e sagrada é a Serpente em sua religião Judaica, que os rabinos sustentam que ela é sua ?redentora? e ?Messias?.

Agora, somente no caso de alguém de fora não possa acreditar que qualquer religião, não importa quão má e corrupta seja, pudesse considerar a Serpente ? isto é, o Demônio ou Satã ? ser sua companheira, redentora e Messias, vamos fornecer prova dessas coisas.  Realmente, vamos nos dirigir aos próprios rabinos nominalmente e descobrir o que seu sistema de crença e ensinamentos estão em respeito a assim-chamada ?Serpente Sagrada?.

No ventre da Serpente Sagrada

Primeiramente, vamos até o Zohar, um dos cinco livros que são os livros centrais da influente Kabbalah.  O Zohar ensina que a letra central na Torá (primeiros cinco livros da Bíblia) é ?vav?, que significa a sexta letra no alfabeto Hebraico.  A letra vav é conhecida como a ?serpente?.  Pela gematria (numerologia) é dito significar que ?A serpente é sistema nervoso que é o centro das letras da Torá.?

Os rabinos dizem que ?vav? é a evidência tanto da divindade quanto da Serpente Sagrada, e registram que essa letra hebraica sobrenatural é encontrada exatamente no ponto central da Torá, em Levítico 11, 42, que é dito ser o ventre da serpente.

Agora, o povo Judeu é ele mesmo reivindicado ser representado pelas palavras da Torá.  A doutrina cabalista é no sentido que os Judeus podem ser encontrados para viver e existir totalmente no interior das palavras interpretadas da Torá.  A Serpente, também, reside no interior da Torá e, na realidade, dizem os rabinos, confina a Torá e o universo inteiro.  Descendendo e ascendendo no interior da Árvore da Vida, que a Torá também representa, os Judeus finalmente chegam na essência do mundo espiritual.  Desta forma, o Rabino Joel David Bakst declara: ?viajamos até o centro do mundo e aportamos no ventre da serpente?.

O Messias e a Serpente são um e o mesmo

O Rabino Michael Ezra, a seguir, declara: ?Nossos sábios explicam que na Gematria, as Palavras Hebraicas, Moshiach (Messias) e nachash (Serpente), têm o mesmo valor numérico.?

O Rabino Jacob ben Cohen declara abertamente que ?O Messias é uma cobra?.

O Rabino Elijah ben Solomon, talvez o mais famoso dos rabinos históricos, conhecido como o Vilna de Gaon, concorda entusiasticamente com as conclusões do Rabino Cohen.  Não somente é a serpente o Messias e redentor dos Judeus, o Zohar declara: ?A Serpente Sagrada é origem, fonte, e essência para toda luz revelatória sagrada de Deus?.

Lembre, no Novo Testamento, descobrimos que Jesus é a ?luz do mundo?.  A Kabbalah?s do Zohar discorda.  O Zohar ensina que a Serpente é ?a fonte da luz universal?.

A Serpente tem poder iluminador

O Rabino Michael Ezra, argumenta que ?A Serpente tem o poder transformativo no desenvolvimento espiritual?.

O Rabino ben Eliezer concorda, declarando que: ?Leviatã (um nome Judaico para a Serpente Sagrada) possui grande poder iluminador?.

O Rabino Geoff Dennis escreve: ?A Serpente é auxiliadora do homem, que fornece iluminação?.

O Rabino Michael Laitman ensina com entusiasmo que: ?A Serpente é o anjo da ajuda.  Nós deveríamos ser gratos à Serpente.?

Rabbi Yitzhak Ginsburgh declara que ?A cobra positiva representa o epítome do bem? e acrescenta que ?O Messias é referido como a Cobra Sagrada?.

Beit Ha Derek, um popular grupo religioso Judaico, publicou um artigo, ?A Revelação da Cobra Sagrada?.  De acordo com esse grupo de estudiosos Judeus, citando o Zohar (11-54a), somos contados que ?A Serpente é sábia e é uma conselheira de Deus?.

Os rabinos e seus livros sagrados do Talmud e Kabbalah concordam que a Serpente é uma grande ajudante e amiga do homem.  O Rabino Ibn Ezra declara que ?Serpentes colocam-se como servas para fazer sua vontade?.

O Talmud, o livro mais sagrado para os Judeus, ensina que ?Serpentes circundam os Justos durante suas vidas, ocupando-se de suas necessidades e guiando suas ações?.

?No Sabbath?, diz o Talmud, ?permite-se encantar cobras e serpentes? (Sanhedrin 101a, 101b).  Como tal, as serpentes sairão para atacar inimigos e proteger o Judeu.

O Talmud conclui que ?A Serpente é a grande serva do homem? (Sanhedrin 50b).

Obviamente, o Talmud está se referindo somente aos Judeus como ?homem?, porque ele descreve os não-Judeus como ?bestas? inferiores e ?animais?.  Gentios também devem servir os Judeus e farão isso, de acordo com o Talmud, no mundo futuro.

A Serpente em toda sua glória e temerosidade

Para o cauteloso Judeu que, possivelmente, sente uma dor aguda de medo em amigar-se com a Serpente Sagrada, o Rabino Joel Bakst oferece uma dose de conhecimento tranqüilizador.  Embora se possa ver a serpente de forma negativa, o rabino escreve que ?Nos tempos messiânicos e no mundo vindouro, a Serpente será redimida e revelada em toda sua glória e temerosidade?.

Isso, então, é quintessência em burla e fraude satânicas.  O rabino está nos dizendo que, nos ?tempos messiânicos?? isto é, no future mundo vindouro quando os Judeus dominarem o mundo ? a serpente maligna será vista por todos como redentora e será ?revelada em toda sua glória e temerosidade?.

Impressionante! A feia, mentirosa serpente (Satã) reinará, no futuro mundo Judaico profetizado, sobre todos como uma esplêndida, bela e gloriosa criatura!

As profundidades do engano

Agora, caros amigos, você consegue ver e compreender a profundidade do engano sendo perpetrado pelos rabinos?  O fato é que os Judeus em sua religião não acreditam no pecado original, mas na benção original.  Eles negam que a serpente enganou Eva, levando-a a arrastar Adam ao pecado e à queda.  Ao contrário, a serpente prestou ao homem um grande favor no Jardim, ajudando-o em seu esforço para chegar à santidade.  Os Judeus dizem que a Serpente Sagrada, no fim das contas, levará e conduzirá sua raça à realização de seu objetivo.  Eles deverão ser como deuses no Reino Judaico vindouro.

O Novo Testamento claramente pinta para nós um quadro honesto e próximo da Serpente.  O Livro do Apocalipse chama-a de ?Satã, e do Demônio? (Apocalipse 12, 9).  Jesus disse que ela é o ?pai das mentiras?.  Jesus estigmatizou os Judeus como?guias cegos? e os reportou como?repletos de impurezas?.

Os profetas e apóstolos, igualmente, avisaram dos ensinamentos dos rabinos, os quais Jesus disse serem ?tradições humanas? e ?não de Deus?.  São Paulo disse que aqueles que caem vítimas dessas mentiras são ?enfeitiçados? (Gálatas 3).  Isaías declarou que os Israelitas ?desprezaram? a Palavra do Senhor e, portanto, a ?Verdade caiu pelas Ruas?.

São João Batista, percebendo que os Judeus religiosos vieram até ele para o batismo comoum faz-de-conta, furiosamente questionou-os ?Raça de víboras, quem de vós escaparás do castigo vindouro??

Jesus, também, chamou-os de ?víboras? e ?serpentes? e Ele disse que eles eram ?do seu pai, o demônio?.

Condenados pelas suas próprias palavras

?Pelas suas palavras?, disse Jesus, ?vós serais condenados?.

Por favor, note as palavras completas dos rabinos.  Suas palavras ? alardeando e gabando-se de seu grande amigo, redentor e messias, a Serpente Sagrada ? não os condenam?

Meu novo livro, Serpente Sagrada dos Judeus, demonstra essas e muitas outras palavras ateístas utilizadas pelos rabinos em respeito a sua admiração e veneração de seu messias, Satã, a Serpente Sagrada.

Os Judeus ? na realidade, o mundo inteiro ? são, portanto, confrontados com uma clara escolha: servir Jesus Cristo como Mestre e Senhor, ou cair na danação, nas palavras mortais dos rabinos.

Jesus ou Satã? Essa é a escolha.  Nós não temos outra opinião, e o tempo está se esgotando.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/11/rabinos-concordam-com-jesus-seu-deus-e.html

Judeus cabalistas são seu próprio deus - 08Nov2016 20:56:00



por Henry Makow Ph.D.

Semana passada eu registrei que os soviéticos arrasaram milhares de igrejas mas pouparam sinagogas.

Se os comunistas consideravam a religião "o ópio das massas", por qual motivo eles não incluíram o Judaísmo? Cristãos e Judeus adoram o mesmo deus? Há uma afinidade entre Comunismo e Judaísmo? Talvez a elite Judaica tenha um deus diferente...

Um leitor, "George," conheceu a herdeira de uma rica oligarquia bancária "não os Rothschilds, embora sua família tenha vivido em um palácio vizinho aos Rothschilds."

"Leah era uma de minhas alunas na Universidade de Geneva (Suíça) onde eu estava estudando psicologia.  Ela era uma loira atraente de olhos azuis. ...Como ela estava ostentando uma Estrela de David, eu perguntei se ela era uma crente.  Ela respondeu "sim e não" e acrescentou que ela acreditava num deus dos Judeus que estava servindo os judeus em vez de ser servido por eles.  Eu imediatamente perguntei se ela estava falando de um egregore ... Sua única resposta foi "sim", no que rompeu a conversa.  Nunca mais nós mencionamos o assunto."

De acordo com a Wikipedia, "egregore" é um conceito oculto representando uma "forma de pensamento" ou uma "vontade coletiva", uma entidade psíquica autônoma fictícia, influenciando os pensamentos de um grupo de pessoas.  O relacionamento simbiótico entre um egregore e seu grupo foi comparado aos conceitos mais recentes, não ocultos, da corporação (como uma entidade legal) e o meme."

George especula que a elite de Judeus criou o deus judeu como seu "egregore", ou seja, um instrumento de sua vontade coletiva; seu desejo para vencer os pagãos e dominar tudo.

"Poderia ser possível que os antigos sacerdotes levitas encontrassem uma forma de criar uma entidade sobrenatural da mente coletiva da tribo de Judá? Uma entidade nascida de uma mente coletiva que os levitas estavam moldando num auto-isolacionismo e segregacionismo, também chamado como etnocentrismo? ...Uma entidade desenhada para ajudar o "povo escolhido" a destruir as nações "alienígenas" e abastecer-se de recompensas materiais? Uma entidade resultando de magia negra dos sacerdotes levitas que, como os primeiros ateus doutrinados, vinham negando o Deus universal de Moisés porque não quiseram submeter-se a um "Senhor e Mestre", mas em vez disso tornarem-se "Senhores e Mestres" através de seu deus escravo "egregório"?"

Esse "egregore" é Lúcifer, e os Judeus da elite fizeram-no o mestre meme da Nova Ordem Mundial.  Os Judeus da elite são a "Internacional Comunista e Capitalista", as endogâmicas oligarquias bancárias Judaico-Alemães que, de acordo com Christian Rakovsky, incluem os Rothschilds, Warburgs, Schiffs e muitos outros.

Eles, além disso, se casaram com as corruptas elites gentias da Europa e América, muitos dos quais pensam ser Judeus.

O DEPRAVADO ESPÍRITO DE NOSSO TEMPO

Na medida em que o egregore Judaico está também por trás da Nova Ordem Mundial, somente os "crentes" são humanos; tudo o mais é um animal a ser explorado e/ou abatido.

Nicholas Lysson, em seu brilhante ensaio sobre o Holocausto Ucraniano, fornece exemplo desse "nós versus eles" pensando no Talmud e no Antigo Testamento.  Por exemplo: Isaias 60:12 (" . . . Porque a nação ou o reino que recusar servir-te [Israel] perecerá, e sua terra será devastada" ); Isaías 61:5-6 (". . . virão estrangeiros apascentar vosso gado miúdo, gente de fora vos servirá de lavradores e vinhateiros. . . : Vós vos alimentareis com as riquezas das nações. . .")

Lysson prossegue:

"A hostilidade etnocêntrica dos Judeus ? consistentemente comentada sobre os povos que os encontraram pelo milênio ? pode ser traçada no fim das contas até as origens do Judaísmo apresentada na Torah, por exemplo em Gênesis 9:25 ("Maldito seja Canaã, disse ele; que ele seja o último dos escravos de seus irmãos!"); Êxodo 17:14-16 e 34:12-13 ; Números 24:8 ("Deus os retirou do Egito, e lhes deu o vigor do búfalo. Devora os povos inimigos; quebra-lhes os ossos e criva-os de flechas"), 25:6-13 (em que Deuselogia Finéas por sua iniciativa em lançar um dardo no ventre de um Judeu e uma Gentia casados), 31:7-19 e 33:50-56; e Deuteronômio 2:33-35 ("[sobre a ordem de Deus] Tomamos-lhe então todas as suas cidades, que votamos ao interdito, com os homens, as mulheres e as crianças, sem deixar escapar ninguém."), 3:4-7, 7:1-5 ("tu deverás . . . destruí-los totalmente"), 7:14-26 ("teu olho deverá não ter qualquer piedade"), 20:10-17 ("tu não deverás salvar nada que respire") e 25:19."

"ANTI SEMITISMO"

Não precisa ser um gênio para reconhecer que esse "egregore" é a causa do anti-semitismo.  Líderes Judeus usam o anti-semitismo para manipular os Judeus que são ensinados que são ultrajados sem qualquer razão.  As reais razões para o anti-semitismo são ocultas.  Como Nicholas Lysson aponta, as passagens mais destrutivas do Talmud são amaciadas ou não traduzidas.  Informação a respeito do sistema "Arendar" é suprimida.  Esse sistema causou o massacre de quase 250 mil Judeus pelo Cossaco Ucraniano Bohdan Khmelnytsky em 1648-1654:

"Os Judeus na época dos massacres estavam servindo à Polonesa szlachta (nobreza) e o clero Católico Romano em seus latifúndios ucranianos como arrendatários ? coletores de impostos, cobrador de rendas, licenciados de monopólios feudais (isto é, banqueiros, fresagem, depositários e destilação e venda de álcool) e como acoitadores anticristãos que até coletavam dízimos nas portas dos camponeses, igrejas ortodoxas gregas e taxas para abrir aquelas portas para casamentos, batismos e funerais.  Eles tinham poderes de vida e morte sobre a população local (a forma típica de execução sendo o empalamento), e nenhuma lei acima deles a qual essa população tinha recurso... os arrendatários emprestavam propriedades por termos de somente dois ou três anos e tinham todo incentivo para arrancar os camponeses sem misericórdia, sem respeito a conseqüências de longo-prazo."

Os Judeus ainda contam que esses pogroms eram devido a ódio gratuito.  Assim, a dinâmica egregore é perpetuada na medida em que os Judeus normais apóiam as políticas Sionistas.  Por exemplo, eles militam pela guerra contra o Irã, não obstante as desastrosas conseqüências para a humanidade.

Nicholas Lysson assinala que as lideranças Judaicas provocaram ativamente o anti-semitismo visto ser ele indispensável para a coesão e sobrevivência Judaicas.  Estariam eles dizendo que, sem seu "egregore", em outras palavras, sua agenda predatória, os Judeus não teriam qualquer raison d'être comum? Obviamente esse segredo é mantido desde os recrutas, como na Franco-maçonaria que Rakowsky disse ser planejada para realizar "o triunfo do Comunismo".

O EGREGORE COMUNISTA

O maior assassinato em massa na história não foi o holocausto Judaico, mas o Holodomor Ucraniano.  Sob a própria estimativa de Stalin, dez milhões de Ucranianos morreram, a maioria dos quais nas mãos dos bolchevistas Judeus.

O relato de Lysson sugere que essa guerra foi o resultado de uma contenda de vários séculos em que Judeus falharam em aceitar sua humanidade comum com os não-Judeus.  Ela continua a ser o registro mais mortal do século XX, obscurecido pelas perdas Judaicas, como se somente Judeus fossem humanos.

O Holodomor teve lugar porque os Bolcheviques confiscaram todos os grãos.  Lysson escreve: "Um quarto da população rural, homens, mulheres e crianças, caíram mortos ou morreram em um grande alcance do território com cerca de quarenta milhões de habitantes, como um vasto Belsen. O restante, em vários estágios de debilitação, não teve qualquer força para enterrar suas famílias ou vizinhos, [como em Belsen] bem-alimentados esquadrões de polícia ou oficiais do partido supervisionavam as vítimas.?

O extermínio de Kulaks Ucranianos foi dirigido do Kremlin, onde a liderança Bolchevique vivia em apartamentos de família e mantinham uma atmosfera fraternal coberta pelo idealismo coletivista, em outras palavras, seu egregore.  Isso é como o historiador Simon Sebag Montefiore, o descendente de uma família Judaica da elite britânica, descreve a cena durante o Holomodor.  Obviamente, ele não menciona que a maioria dos principais atores era composta por Judeus.

"O Partido era quase um negócio de família.  Os completes clãs eram membros da lideranças?  Essa fraternidade cruel vivia em um incessante frenesi de excitação e atividade, dirigida por adrenalina e convicção.  Estimando-se como Deus no primeiro dia, eles estavam criando um novo mundo em um frenesi de calor vermelho... " (Stalin: ?The Court of the Red Tsar?, p. 40, 45)

CONCLUSÃO

Os soviéticos não destruíram as sinagogas porque o Comunismo foi uma expressão do Judaico "egregore".  Cristãos e Judeus aparentemente não adoram o mesmo deus.  O Deus Cristão representado por Jesus é amor universal e fraternidade.  O deus Judeu foi suplantado pelo egregore cabalístico que "serve" os Judeus da elite.  Ele representa sua compulsão sociopática brutal pela dominação do mundo.  O mesmo egregore ? o desejo de suplantar Deus ? anima a Nova Ordem Mundial.

O Comunista Judeu ou não-Judeu médio era um tolo idealista.  Marxismo, igualdade etc. eram apenas uma janela alinhada a ocultar a real agenda: a destruição de raça, religião, família e nação; a acumulação de todas as riquezas e a escravidão da espécie humana.  Os métodos mudaram, mas a agenda não.

O Sionista médio é também um tolo idealista.  Como muitos percebem, "a Terra Natal dos Judeus" era simplesmente um passo rumo ao governo mundial, "uma ocorrência num plano de longo alcance" para usar as palavras de Louis Marshall.  O objetivo desse plano é escravizar mentalmente a humanidade se não fisicamente.  Sionistas Cristãos são os mais tolos de todos.

O mesmo idealismo sucedâneo infunde o movimento governo mundial, que é cheio de pios oportunistas que venderam sua herança por um assunto num banquete globalista.


Em muitos casos, a acusação de "anti-semitismo" e "ódio" são tentativas desviadas para proibir a oposição à Tirania.  Não vamos nos infantilizar.  Nós estamos testemunhando um mal diabólico, crueldade, depravação, assim como esperteza.  Judeus e não-Judeus devem juntar as mãos para banir Lúcifer e declarar que o único Deus é Deus, Ele é Moral e nós O servimos.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/11/judeus-cabalistas-sao-seu-proprio-deus.html

Exagero olímpico destaca realidade amarga - 08Nov2016 20:53:00



por Marcos

Os Jogos começaram e o que vimos foi o usual lixo globalista na esfarrapada cerimônia de abertura.

Muitos discursos marxistas, os usuais símbolos ocultos e o Brasil sendo apresentado como um lugar "exótico" onde o povo pobre promíscuo é feliz vivendo nas favelas e cheirando os odores da floresta tropical, como macaquinhos comendo bananas e fornicando uns com os outros.  Isso foi seguido pelas advertências globalistas sobre mudança de clima, sustentabilidade e apoio ao problema dos "refugiados".  A pira olímpica foi feita menor de forma que consumisse menos combustível fóssil.

Desde que essa cerimônia foi planeja pelo agora defunto governo marxista, o discurso completo foi esquerdista: dois cantores fora de modo que são leais apoiadores do Partido dos Trabalhadores (e que receberam muito dinheiro do governo), um deles um ex-ministro da Cultura.  Defensores dos direitos dos negros e índios, feminismo e até um cenário de favelas em lugar do clássico Pão de Açúcar e Cristo Redentor.

Durante a cena celebrando a construção de nosso povo, imigrantes italianos, alemães e outros imigrantes europeus foram deixados de fora.  O espectador pensaria que o Brasil foi criado por índios, negros e, ironicamente, apenas o povo japonês.

Foi uma festa ou uma reunião política?

A REALIDADE

Uma recente pesquisa demonstrou que 76% dos cariocas (cidadãos do Rio) não censuram os Jogos.  Que resultado numa cidade que foi envolvido com sua preparação por anos! No resto do Brasil, esse número deve estar extensão de 90%.  A multidão excitada que o mundo assistiu na TV no estádio pagou milhares de dólares por um tíquete, assim eles estariam melhores sorrindo bastante, mas não representam o povo daqui.

Moradores locais conhecem a situação miserável de sua cidade depois de 14 anos de governo marxista e corruptos líderes municipais e estaduais alinhados com eles.  Em somente seis meses, eles testemunharam 97.177 assaltos, 534 por dia.  Isso é um aumento de 59% sobre 10 anos atrás, a despeito de R$ 40 BI sendo investidos na prevenção do crime na última década.

Por que os brasileiros celebrariam? O governo federal gastou R$ 3.8 BI (US$ 1.1 BI) em 2016 somente com os Jogos.  As acomodações dos atletas terminaram custando 5 vezes mais do que o esperado e a linha de metrô 21 vezes mais.  Na medida em que os negócios envolvidos com os Jogos não pagaram impostos, pode-se dobrar essa quantia.  Compare isso com os insignificantes R$ 708 MM gastos em saneamento e esgoto no país (dez vezes mais).  Quase metade dos brasileiros não tem coleta de esgoto.

Poderia se pensar que a esquerda tentaria elevar os padrões de vida do pobre depois de 20 anos no poder, mas ao invés disso eles glorificam a pobreza, de forma que o povo permaneça ignorante e fácil de se manipular.

Eles alegam que os únicos legítimos brasileiros são os favelados, preferencialmente negros, ignorando o restante.  Eles explicitamente dizem que odeiam a classe média.  Em vez de remover o povo das favelas e fornecer educação, ONGs esquerdistas ensinaram as crianças a batucar.  Turistas europeus em incursões na favela adoram.

CONCLUSÃO

Semana passada, centenas de milhares de brasileiros novamente manifestaram-se em 20 estados pedindo um fim à corrupção do governo e cadeia para o presidente Lula.  Os Jogos, obviamente, ofuscaram esse evento.

De qualquer modo, está se tornando mais difícil para a elite nos dizer que está tudo bem quando obviamente não é o caso.  Sua única solução efetiva será censurar completamente a internet, como os Chineses farão logo com seu novo sistema de identificação "web score".  Nossa janela de oportunidade para mudança está se fechando, assim nós fizemos o máximo.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/11/exagero-olimpico-destaca-realidade.html

Desconstruindo o ?racismo? - 08Nov2016 20:48:00



Em seu livro de 1930, ?A História da Revolução Russa?, o revolucionário marxista Leon Trostsky cunhou o termo ?racista?. [1]

Trotsky estava atacando grupos étnicos (particularmente os Eslavos e Alemães) que queriam reter seu tradicional modo de vida em vez de integrar sua conspiração comunista atéia.  Ele alegou que eles eram ?retrógados? por escolherem apoiar seus próprios grupos familiares (raça), e rotulavam-nos como ?racistas?.

Hoje, o termo de Trotsky é utilizado com fervor pelos marxistas culturais cristãos aspirando por desacreditar tradicionais americanos e europeus que valorizam sua identidade ancestral.

ORIGEM DO RACISMO

O que é racismo? Esse autor sustentaria que o conceito de racismo é uma tecnologia social e desenvolvida em meados do século XX como parte de um esforço para executar uma agenda social de esquerda nos Estados Unidos e em outros países ocidentais.

Que prova existe para tal afirmação? Considere o uso dos termos.

As modernas idéias de ?racismo? e ?racista? não foram apresentadas em qualquer idioma até sua invenção por Trotsky em 1930.  Na língua inglesa, as palavras ?racismo? e ?racista? explodiram em uso durante a década de 60, porém antes de meados do século XX nenhum desses termos existia.

Pode-se perguntar: havia qualquer termo alternativo sendo usado para descrever o racismo antes que as palavras ?racista? e ?racismo? fossem inventadas?

Para o conhecimento desse autor, o conceito moderno de racismo não pode ser dito ter existido antes dessas duas palavras.

O único termo comparável é ?racialismo?, que foi usado no início do século XIX.  Antes de meados do século XIX, porém, ?racialismo? simplesmente significava o estudo das raças, do reconhecimento de diferentes grupos raciais.  Não carregava qualquer conotação negativa.

ESCOLA DE FRANKFURT

Trotsky pode ter cunhado os termos, mas provavelmente foram seus leitores co-marxistas que desenvolveram profundamente os conceitos.

A Escola de Frankfurt consistia de vários pensadores marxistas que trabalhavam no meio do século XX, e se associaram com o Instituto de Pesquisa Social.  Eles são melhores conhecidos por criarem o moderno politicamente correto.

Esses pensadores sabiam que a postura revolucionária comunista violenta falhou em se difundir como predita, assim eles tentaram arquitetar a ascensão do comunismo na América criando uma revolução cultural.

Para inspirar essa revolução cultural, os pensadores da Escola de Frankfurt propuseram numerosas recomendações filosóficas e práticas.  Abaixo estão onze das mais importantes:

"(1) A criação de ofensas raciais, (2) contínua mudança para criar confusão, (3) o ensino do sexo e do homossexualismo às crianças, (4) minar a autoridade das escolas e professores, (5) gigantesca imigração para destruir a identidade, (6) promoção da bebedeira, (7) esvaziamento de igrejas, (8) um sistema legal irresponsável com preconceito contra vítimas de crime, (9) dependência do estado ou benefícios estatais, (10) controle e simplificação da mídia, e (11) encorajar a ruptura da família." [2]

Em algum perímetro, todas essas sugestões foram implementadas na América moderna.

A Escola de Frankfurt foi loucamente popular entre o movimento da contra-cultura da década de 60.  O termo ?Faça amor, não guerra? foi cunhado pelo teórico da Escola de Frankfurt School de nome Herbert Marcuse.[3]

Como o comentarista conservador, Andrew Breitbart, escreveu sobre a agenda de Herbert Marcuse:

?[Enquanto] Marcuse? via os movimentos ?anti-colonialistas? do Terceiro Mundo como evidência que Marx estava certo ? ele reconheceu que nos Estados Unidos não havia um tal levante pela classe trabalhadora.  Ele, portanto, precisava de um diferente arranjo de grupos de interesses para derrubar o capitalismo usando sua teoria crítica.  E descobriu esses grupos nos grupos raciais, étnicos e sexuais que detestavam a antiga ordem.  Esses grupos de interesse vitimizados justificadamente se opuseram a todas as belezas da sociedade ocidental ?com todo desacato, ódio e alegria das vítimas rebeldes, definindo sua própria humanidade contra as definições dos mestres.?

A missão de Marcuse foi desmantelar a sociedade Americana usando diversidade e ?multiculturalismo? como alavancas com as quais se bisbilhota a estrutura à parte, peça por peça.  Ele queria colocar os negros em oposição aos brancos, colocar todos ?grupos-vítimas? em oposição à sociedade em geral.  A teoria de grupos-vítima de Marcuse como o novo proletariado, combinava-se com a teoria crítica de Horkheimer, considerada um desabafo na academia, que se tornou a base para o movimento pós-estruturalista Estudos de Gênero, Estudos LGBT, Estudos Afro-Americanos, Estudos Chicano etc.  Todos esses ?Estudos Sem Interesse? astuciosamente descrevem sua missão de destruir os valores cristãos e as aceitas tradições da cultura ocidental, e colocar em seu lugar um relativismo moral que iguala todas as culturas e todas as filosofias ? a não ser a cultura e a filosofia da civilização ocidental, que são ?exploradoras? e ?más?. [4]

A invenção das ?ofensas de racismo? foi um componente de uma estratégia mais ampla para destruir a civilização Ocidental e minar o Cristianismo.

Marcuse condenou o que ele chamava de ?tolerância repressiva? que é utilizada pelos esquerdistas para argumentar que os conservadores são ?intolerantes? enquanto eles mesmos estão simultaneamente sendo hipocritamente intolerantes a qualquer opinião conservadora.

Como disse Marcuse em 1968:

??Eu sugeri em ?Tolerância Repressiva? a prática de tolerância discriminatória numa direção inversa, como meio de desviar o equilíbrio entre Direita e Esquerda, restringindo a liberdade da Direita? A tolerância seria restrita com respeito aos movimentos de um demonstrável caráter agressivo ou destrutivo... Tal discriminação também seria aplicada aos movimentos opondo a extensão da legislação social ao pobre, fraco, inapto.  Na medida em que, contra as virulentas denúncias que uma tal política aboliria o sagrado princípio liberal da igualdade para ?o outro lado?, eu sustento que há assuntos onde tanto não há qualquer ?outro lado? em qualquer sentido mais formalista, ou onde ?o outro lado? é demonstravelmente ?retrógado? e impede possível aprimoramento da condição humana.  Tolerar a propaganda para a desumanidade perverte os objetivos não somente do liberalismo, mas de toda filosofia política progressista.? [5]

Em outras palavras, todas as crenças tradicionais são ?retrógadas? e ?desumanas? e deveriam ser reconhecidas como intoleráveis para discussão.

Dessa forma, tudo que concerne à identidade cristã euro-étnica é hoje condenado como ?racismo? intolerável.  Mas porque a consciência étnica na parte das ?oprimidas? minorias (como afro-americanos, latinos e a comunidade LGBT) promove a revolução social de Marcuse para derrubar a civilização ocidental, eles são aceitos e celebrados.

Isso explica o motivo pelo qual os afro-americanos podem organizar a Convenção Partidária Congressional Negra e criar o NAACP, mas uma ?Convenção Partidária Congressional Branca? seria condenada como ?racista? e insuportável.

Racismo é uma tecnologia social aplicada às pessoas de descendência européia com a intenção de desgraçá-los na elevação artificial de grupos minoritários.  Essa elevação, então, deve minar a civilização cristã por dentro e conduzi-la a um estado marxista.

Racismo foi criado da mesma maneira que ?homofobia? encontra-se agora sendo construída como um meio para repudiar e marginalizar aqueles que se opõe aos estilos de vida LGBT.

ELEMENTOS DO ?RACISMO?

Toda tecnologia é criada pela combinação de diferentes recursos e elementos.  O que, então, compõe o racismo?

Parece que racismo foi criado pela conexão com o pecado cristão de ódio pessoal com a prática natural de estereotipar para criar a idéia de ?ódio massivo? (a idéia que pode-se odiar um grupo de pessoas destacando-se do ódio de suas partes individuais).
A idéia de ódio massivo pode ter se originado com o conceito marxista de opressão burguesa do proletariado.

O ódio massivo tem sido retroativamente e seletivamente aplicado a vários movimentos e pessoas que apóiam a tradicional estrutura da civilização ocidental.

Por exemplo, cristãos são vistos como tendo ?ódio massivo? às minorias do Terceiro Mundo (conquista espanhola dos astecas, colonização da África etc.), as Cruzadas, que salvaram a Europa da invasão islâmica, são vistas como o ?ódio massivo? aos muçulmanos.

Combinando essas supostas ocorrências de ódio massivo com racialismo (a visão que raça é real), esquerdistas inventaram o ?racismo?.

CONVENÇÃO MODERNA

Essa origem explicaria o motivo pelo qual os liberais de hoje aparentemente desvincularam ocorrências de tradicionalismo como ?racistas?.  Por exemplo: oposição a um controle do governo de assistência médica, oposição ao casamento do mesmo sexo.

O conceito de racismo foi forjado para ser elástico dessa forma porque foi criado arbitrariamente para o único propósito de destruir a sociedade tradicional.

Subconscientemente, liberais internalizaram o uso do racismo como uma arma contra a Civilização Ocidental, e imediatamente sabem rotular alguém de ?racista? quando ela apóia a ordem tradicional.

NOTAS

[1] Um homem chamado Richard Henry Pratt e uma mulher chamada H. Gaston Mery são supostamente os primeiros a terem utilizado os termos ?racismo? e ?racista? em 1902 e 1895.  Porém, depois de avaliar diagramas documentando o uso daqueles termos é aparente que essas invenções mais precoces não tiveram qualquer impacto no idioma.  O uso de ?racismo? e ?racista? somente cresce em uso regular seguindo a reconstrução de Trotsky do termo ?racista? em seu livro de 1930.

[2] Matthews, Timothy. ?The Frankfurt School: Conspiracy to Corrupt.? Catholic Insight. March, 2009. Accessed December 18, 2015. http://whale.to/c/frankfurt_school1.html

EXCERTO: ?A Escola incluiu entre seus membros o guru da Nova Esquerda dos anos 60, Herbert Marcuse, Max Horkheimer, Theodor Adorno, o popular escritor Erich Fromm, Leo Lowenthal e Jurgen Habermas ? possivelmente o representante mais influente da Escola.  Basicamente, a Escola de Frankfurt acreditava que enquanto o indivíduo tivesse a crença ? ou mesmo a esperança ? que seu dom divino da razão pudesse resolver os problemas enfrentados pela sociedade, então essa sociedade nunca atingiria o estado de desesperança e alienação que eles consideravam necessário para provocar a revolução socialista.  Sua tarefa, portanto, era tão rapidamente possível minar o legado cristão.  Para fazer isso, exigiam a crítica mais negativa e destrutiva possível de toda espera da vida que seria forjada para desestabilizar a sociedade e derrubá-la, o que chamam como ordem ?opressora?.  Suas políticas, esperavam, se difundiria como um vírus ? ?continuando a obra dos marxistas ocidentais por outros meios? como um de seus membros registrou.?

[3] Phillips, Robin. ?The Illusionist: How Herbert Marcuse Convinced a Generation that Censorship Is Tolerance & Other Politically Correct Tricks.? Salvo Magazine. Spring, 2012. Accessed December 18, 2015. http://www.salvomag.com/new/articles/salvo20/herbert-marcuse-censorship-is-tolerance.php

EXCERTO: ?Marcuse foi adotado como o guru intelectual do movimento hippie, e ele, a seguir, abasteceu a geração mais jovem com uma corrente estável de propaganda para santificar seus impulsos rebeldes. (Foi Marcuse que inventou a maxima ?Faça amor, não faça guerra.?).?

[4] Breitbart, Andrew. ?Righteous Indignation: Excuse Me While I Save the World.? Grand Central Publishing, 2011. Pages: 120-121. Via: http://www.marcuse.org/herbert/booksabout/haters/haters.htm Acesso 28 de Abril de 2016.

[5] Marcuse, Herbert. ?Repressive Tolerance.? Marcuse.org. 1965 & 1968. Acesso 28 de Abril de 2016. http://www.marcuse.org/herbert/pubs/60spubs/65repressivetolerance.htm


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/11/desconstruindo-o-racismo.html

Comunismo (Satanismo) é "A Utopia Judaica"? - 13Set2016 21:24:00


24 de Maio de 2016


De acordo com o Rabino Higger, na tradição Judaica os Judeus estão destinados a governar a humanidade.  Os "injustos", em outras palavras, todo aquele que resistir à dominação Judaica, deverá perecer.  Essa é a Nova Ordem Mundial.

A maioria das guerras pode ser vista como genocídio Gentio.  Assim é a guerra sobre gênero e migração.  Gentios precisam acordar.  Os cabalistas estão avançando rumo à Terceira Guerra Mundial.  O 11 de setembro e o "terrorismo" são apenas pretextos para invadir o mundo muçulmano e esculpir um estado policial.  Judeus comuns têm uma escolha.  Renegar essa ideologia demente ou serem considerados culpados disso.

Não se engane.  O "Deus" de Higger é Satã.  Seus "justos" são satanistas.  Isso não é escusa de Deus.  É Satã.  Satanistas invertem tudo.  A humanidade está satanicamente possuída.

por Michael Collins Piper

Excerto de ?The New Babylon?
(resumido por henrymakow.com)

Em 1932, o Rabino Michael Higger, Ph.D., [1898-1952] publicou um livro intitulado a Utopia Judaica, ...[baseado na] "soma total das profecias, ensinamentos e planos e interpretações dos principais rabinos Judeus e líderes tribais num período de uns 2.500 anos..."

O livro falava dos "justos" e "injustos".  Ao fim, de acordo com Higger, os "injustos" deveriam perecer...

E, é claro, por todos os escritos de Higger os "justos" seriam os Judeus e os servos dos Judeus; e os "maus" serão aqueles que são percebidos pelos Judeus a sustentarem-se em oposição aos seus interesses!

As palavras de Isaías serão cumpridas: "Portanto, eis o que diz o Senhor Deus: meus servos comerão e vós tereis fome, meus servos beberão e vós tereis sede, meus servos se rejubilarão e vós ficareis envergonhados." (Is. 65, 13)

Higger prossegue: "Todos os tesouros e recursos naturais do mundo virá no fim das contas à posse dos justos."

Isso, disse ele, estaria em concordância com a profecia de Isaías: "Porém, os lucros, que lhe trouxer seu comércio, serão consagrados ao Senhor, em vez de serem entesourados; seu comércio aproveitará àqueles que habitam na presença do Senhor, a fim de que tenham com que se nutrir com abundância e se vestir magnificamente." (Is. 23, 18)

Em resumo, isso é o extermínio em massa daqueles que resistem à Utopia Judaica ? a Nova Ordem Mundial.  Ele continua:

"Todas essas nações injustas deveriam ser chamadas ao julgamento diante deles e serem punidas e condenadas.  A sentença severa de sua condenação será pronunciada sobre eles somente depois de ser-lhes dado um julgamento justo quando se tornará evidente que sua existência atrapalharia o advento da era ideal."

"Desta forma, na chegada do Messias, quando todas as nações justas prestarão homenagem ao líder justo ideal [o Anticristo] e lhe oferecerão presentes, as nações más e corruptas, percebendo a aproximação de sua condenação, trarão similares presentes ao Messias.  Seus presentes e pretenso reconhecimento da nova era serão sutilmente rejeitados, pois as nações realmente más, como os indivíduos realmente maus devem desaparecer da terra antes que uma sociedade humana ideal de nações justas possa ser estabelecida."

E quando se considera o fato que o conceito Judaico de Messias é freqüentemente avaliado ser aqueles dos próprios Judeus, o que Higger descreveu impõe uma conseqüência até maior.

ARMAGEDOM

Armagedom, na tradição Judaica, é a batalha final em que os Judeus estabelecerão de uma vez e por todas seu domínio absoluto sobre a terra...

De acordo com Higger, não haverá espaço para os injustos no meio de Judeus ou não-Judeus no Reino de Deus.  Todos eles terão desaparecido diante do advento da era ideal nessa terra.  Israelitas injustos serão punidos igualmente com as nações más entre outras.  Todos os justos, por outro lado, entre Hebreus e Gentios, compartilharão igualmente felicidade e abundância da era ideal.

Em contraste ao que o Cristão Americano médio pensasse, ou percebesse no contexto da fé Cristã, que aguarda ansiosamente um reino universal de Deus no Céu, o paraíso referido por toda a Utopia Judaica descrevendo a "nova era ideal" ? a Nova Ordem Mundial ? é "um paraíso universal da humanidade ... estabelecido nesse mundo", sem qualquer referência ao futuro mundo qual seja.

Quem governará essa Nova Ordem Mundial? De acordo com a avaliação de Higger da tradição Judaica: "Ele será um descendente da Casa de Davi."

GOVERNADOR

A tradição talmúdica diz que "um descendente da Casa de Davi surgirá como o chefe da ?era ideal? somente depois que o mundo inteiro ter sofrido, por um período continuo de nove meses, a partir de um governo mau e corrupto como o histórica e tradicionalmente mau Edom."

(Nota: Hoje há uma formalmente organizada organização Judaica, Dinastia Davídica, trabalhando abertamente para capturar e reunir todos os descendentes da Casa de David.  Isso não é "teoria da conspiração".  É fato.  Sabendo o que o Talmud ensina a respeito de quem deverá dominar o globo, talvez possamos entender a motivação desse grupo.)

O mundo inteiro "virá gradualmente à concretização que santidade é idêntico à justiça", e Deus "apega-se a Israel e que Israel é a nação justa ideal."

De acordo com esses ensinamentos rabínicos que estão fundados para a era dourada do sonho Judaico do estabelecimento da Nova Ordem Mundial, os povos da terra proclamarão então aos governadores Judaicos: "Iremos contigo, pois nós ouvimos que Deus está contigo."

Assim é que, com proclamam os rabinos: "O povo de Israel conquistará espiritualmente dos povos da terra, de forma que Israel será elevado acima de todas as nações em orgulho, em nome e em glória."

Note o conceito de "conquista" ? como em batalha.  Note o conceito de Israel elevado acima de todos os outros ? como em supremacia e superioridade.  Violência e racismo aos não-Judeus: tão simples como isso.

RELIGIÃO GLOBAL = JUDAÍSMO

Haverá finalmente uma religião global, o Judaísmo, ou o Cabalismo.  Isso foi parte da profecia: "As nações primeiro se uniriam para o propósito de apelar para o nome do Senhor e servi-lo."

Realmente, haverá o poder global Judaico, com assento em Jerusalém, encabeçado por um descendente da Casa de Davi, referido como o "Santo" ? que dividirá a propriedade do mundo.

Quem obterá essa propriedade? "Aos justos pertencerá toda a riqueza, tesouros e lucros industriais e outros recursos do mundo.  Aos injustos, nada lhes pertencerá."

As nações injustas "não terão parte na era ideal. "Seus domínios serão destruídos e desaparecerão antes da introdução da Nova Ordem Mundial.  A "maldade" dessas nações consistirá principalmente em acumular dinheiro pertencente ao "povo" e por oprimir e roubar "o pobre".

Embora Higger não expresse isso enfaticamente, aqueles que são familiares com a tradição Talmúdica, o "povo" e o "pobre" são os Judeus.  O Talmud ensina que somente os Judeus são a humanidade e os outros são animais, assim, obviamente, somente os Judeus podem ser "povo".  O "pobre" é ? obviamente ? os Judeus que pintaram-se para sempre como as vítimas e os oprimidos ? como em "os pobres e perseguidos Judeus."


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/09/comunismo-satanismo-e-utopia-judaica.html

A agonia da Suécia - 13Set2016 21:20:00


By Erik Larssen
(henrymakow.com)


Guerra geralmente é associada com armas e mísseis, mas uma Guerra civil mental onde homens e mulheres, ricos e pobres, locais e imigrantes, políticos de esquerda e direita, lutam uns com os outros é tão devastadora quanto qualquer guerra física.

A Suécia desponta na Nova Ordem Mundial e tem uma mídia de massa marxista totalmente dedicada, tentando minar as famílias nucleares suecas e todas as formas de cultura e religião tradicionais.  Voltaire disse que quem quer que não seja permita criticar é aquele que o domina.  A Judiaria Cabalista domina e oculta-se sob o escudo do Judaísmo, uma religião que eles destruíram junto com numerosos Judeus comuns.  Depois de quase 100 anos de Guerra na Suécia, assistimos os efeitos devastadores hoje.

Suécia é amplamente considerada um país graduado no topo em vida familiar.  Não obstante, a Suécia é também um país líder mundial em termos de taxas de divórcio (47%), famílias de pais solteiros e depressão entre jovens.

Deveras, Suécia é um lugar terrível para as crianças hoje ? essa é a verdade.  A principal razão é que os pais suecos não reconhecem valores familiares e não criam seus filhos no caminho correto, na medida em que tiveram suas mentes lavadas pelo Marxismo.  O resultado é uma geração de crianças fracas e doentes, sem conhecimento básico a respeito da vida humana.

Em 2015, somente 23,8% das crianças suecas nasceram de pais casados.  Um impressionante percentual de 47% de todos os suecos vive em lares solteiros.  Em 20 anos, a taxa de depressão entre crianças suecas triplicou.  A maioria dos garotos é anti-social, viciada em jogos de computador e não aprendeu o básico sobre auto-disciplina.  Além do mais, a maioria dos pais suecos envolve-se em todos os esquemas de vacinação, tornando as crianças mais fracas.  A Suécia recebeu mais imigrantes (per capita) do que qualquer outro país ocidental, fazendo as crianças suecas sentir-se ainda mais desorientada.

COLAPSO DA FAMÍLIA NUCLEAR E DAS CRENÇAS TRADICIONAIS

Muitos suecos são crédulos, reservados e bondosos.  Se você quer ver verdadeiro mal, faça um exame minucioso da mídia de massa sueca, que hoje promove LBTG, ateísmo, materialismo, sexismo, feminismo, discurso anti-Putin e medo em enorme escala.  A mídia de massa sueca é controlada pela Nova Ordem Mundial, especialmente através de famílias cabalistas Judaicas ? e ninguém ousa criticá-los.  Em primeiro lugar, a família Bonnier (Judeus Bilderberg) domina as maiores partes da mídia e televisão suecas e, em segundo lugar, há os criptojudeus Hjörne dominando uma grande parte.  Outros atores são tanto controlados pelos EUA (Schibsted) ou por políticos ou uniões suecas (Mittmedia).

Na Suécia, você é tratado como tolo se você crê em Deus ou na criação divina.  Isso é devido a uma ideologia marxista destruindo o sistema escolar, crianças, Estado, Igreja e políticos influentes. Os assassinatos/?suicídios?/desaparecimentos de Ivar Kreuger, Raul Wallenberg, Olof Palme, Anna Lindh e KSI (agente secreto do serviço de inteligência) levaram Lars Ericsson a colocar combustível na fumaça negra da Suécia.  O protocolo da autopsia de Palme ainda é mantido em segredo enquanto o assassinato de Lindh parece uma operação psicológica com um jovem assassino muito confuso, alegando que foi controlado por uma voz interior durante o assassinato (que nós jamais tivemos condições de confirmar no filme).

O partido "Democrata da Suécia" está erguendo-se rapidamente e são contra a imigração em massa ? mas eles são oposição controlada por Sionistas.  O mesmo ocorre com mais alternativos sites da mídia.  O povo sueco está assustado e não reage mesmo quando ossos de esqueletos espalham-se no quartel-general maçônico em Estocolmo.  Basicamente, há uma falta de coragem e informação no homem sueco.

FEMINISMO SUECO: ATAQUE MARXISTA À FAMÍLIA

"Qualquer um que saiba qualquer coisa da história sabe que grandes mudanças sociais são impossíveis sem sublevação feminina? incluindo as mais feias."(Karl Marx)

Cinqüenta anos atrás, suecas eram consideradas as mais belas do mundo.  Hoje, as suecas levaram uma lavagem cerebral para serem carreiristas e a ?igualdade? tornou-as despojadas de qualidades femininas.  Muitas mulheres comportam-se, andam e vestem-se como homens.  Um estrangeiro perguntou-me por qual motivo as suecas são terríveis enquanto os suecos são bons.

Outro estrangeiro perguntou-me por que bebês suecos são tão sujos.  Uma francesa contou-me que o estilo de se vestir sueco é diferente (mais feio) do que de outros países.  Não podemos culpar suecas, mas hoje em dia elas não entendem o que é importante na vida ? uma família harmoniosa e crenças tradicionais.  Obviamente, há exceções.

Suecas são costumeiramente ditadoras em casa e os homens serão efeminados.  Suecos calmamente sofrem sua miséria até ela desejar um divórcio.  Um amigo do Norte contou-me que nenhuma sueca quer permanecer mais ali, assim seu povoado é cheio de esposas tailandesas e russas.

Se você passear na Suécia, você verá muita gente desalmada, com expressões faciais miseráveis e fones de ouvido.  Você vem um monte de gente sueca obesa e o festival de Orgulho em Estocolmo é enorme.  Enquanto os suecos alegam ser ?felizes?, são na realidade miseráveis e solitários.  Suecos não podem imaginar o que está acontecendo além das vistas e estão completamente inconscientes das forces do mal por trás de suas mídias de massa, Governo e Polícia Secreta.  Algumas pessoas bem informadas chamam-no do mais corrupto governo na terra controlado pelo Mossad/CIA.

O PRÓXIMO PASSO ? OPERAÇÕES PSICOLÓGICAS, LEI MARCIAL E ÁGUA EVENENADA

O governo e mídia suecos estão lutando contra o povo sueco.  Não importa qual partido você vote, eles são todos controlados pelo mesmo poder maligno, de sorte que o resultado final é o mesmo.

A marca de uma nação dirigida pelos Judeus cabalistas é que o governo tenta destruir a cultura tradicional e famílias nucleares.  A atual previsão para a Suécia é mais operações psicológicas para instilar medo dos muçulmanos.  Isso resultará em lei marcial e num ditador fantoche da sionista Nova Ordem Mundial.  O povo sueco apoiará qualquer um que prometa "segurança dos muçulmanos".

Tenha cuidado ao beber água ? grandes cidades serão alvos fáceis e suecos bebem as torneiras de água em grandes cidades.  A água envenenada será um assunto global e é o caminho mais fácil para reduzir a população.

UNIDADE E FÉ SOMENTE ESPERANÇA

Um país sem patriotas, sem homens corajosos, unidade, religião ou princípios tradicionais está condenado.  Muitos suecos são bondosos, mas estão inconscientes da lavagem cerebral marxista que os destrói.

Todo mundo pode ver aonde a Suécia está rumando.  Se patriotas suecos trabalhando em serviços secretos tais como KSI, MUST, SÄPO e FRA percebem que eles e seu país estão sendo destruídos por seus próprios empregadores marxistas ? a Nova Ordem Mundial ? talvez pudesse haver notícias não esperadas da Suécia.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/09/a-agonia-da-suecia.html

Antipapa Francisco ? instrumento sionista de longa data - 06Jun2016 15:09:00


por J. Thomas Brennan


Como nos Estados Unidos, a mídia na Argentina é profundamente controlada por interesses Judaicos... Isso quer dizer as artes, cinema, teatro, pornografia e a indústria da música rock, enfim, estão todas firmemente nas mãos Judaicas...

Uma outra maior influência cultural que não deve ser negligenciada é a gnóstica influência secularizante e manipulação da sociedade através do exercício da psicanálise.  Diz-se que Buenos Aires tem a maior taxa de psicanalistas per capita no planeta.  Essa situação patética, que inclui o empoderamento anti-natural da mulher e a sistemática imposição da ideologia de gênero, é parte da bem sucedida subversão gramsciana que tem sido uma política permanente pelos últimos 30 anos.

HERESIA JUDAICO-CRISTÃ

Num país tradicionalmente católico como a Argentina, os Judeus têm manipulado para influenciar e cooptar a hierarquia Católica da Igreja promovendo uma estratégia de encontros ecumênicos blasfemos sob os auspícios do Cardeal Jorge Mario Bergoglio, atual Papa Francisco, quando ela era Arcebispo de Buenos Aires e Presidente da Conferência Argentina dos Bispos Católicos, uma política que ele prossegue hoje em Roma.

O cúmplice-chefe do Papa Francisco nessa campanha de subversão é o Rabino Skorka, que é um forte apoiador do ?casamento? homossexual e foi o mestre de cerimônia não-oficial em Israel quando o Papa Francisco estendeu uma coroa de flores na tumba de Theodore Herzl durante sua visita em 1914...

Em 2010, a Argentina foi o primeiro país na Ibero-América a legalizar o ?casamento? homossexual.  Essa lei iníqua avessa à Ordem Moral, bem como a promoção de lei pró-aborto em Saúde Reprodutiva, foram aprovadas pelo Congresso com o consentimento tácito do Arcebispo Bergoglio e característica ambigüidade (coberta com sua carta às freiras Carmelitas).  Cardeal Jorge Mario Bergoglio foi não somente um Jesuíta no mau sentido dado a essa honorável palavra pelos inimigos da Igreja.  Sua mentalidade foi enganadora em sua quintessência, envolvendo duplos padrões e sincero Farisaísmo quando veio a lidar com a ordem moral e assuntos Católicos (ele nunca permitiu a Missa Tradicional em sua diocese mesmo depois do Motu Proprio Summorum Ponticum de 2007 de Bento XVI.  E ele perseguiu e isolou tantos padres e leigos comprometidos à Doutrina Moral Católica e Liturgia tradicionais)

Em relação ao ecumenismo, [Bergoglio] simplesmente seguiu o script da pós-Vaticano II Nostra Aetate.  O livro profético Católico, La Iglesia Traicionada (Caponnetto, Antonio. Santiago Apostol. Bella vista. 2010), baseado em conhecimento profundo, de primeira mão do Cardeal Bergoglio, demonstrou como ele era a personificação vivente da heresia judaico-cristã; como ele construiu, incorporou e conduziu às infiéis estruturas modernistas na igreja da Argentina.

Além disso, Bergoglio foi uma parte ativa das estruturas institucionais Sionistas.  Por longo tempo, foi envolvido com a multinacional Sionista ?Fundação Raoul Wallenberg?, com ramificações em Israel, Berlim, e os quartéis-generais em Nova Iorque.  Na Argentina ela é representada pela Associação Casa de Israel en Tierra Santa, com ostensivos membros Judeus Argentinos da esquerda gramsciana como Francisco Delich ou Adolfo Gass, blasfemadores profissionais como Marcos Aguinis, ?turco-otomanos? judaico-maçônicos como Carlos Escude? ou grotescos agentes da corrupção moral social como Alejandro Romay.  Em 30 de Março de 2004, o Cardeal Bergoglio e a Fundação Wallenberg deram a Romay grandes honras na Catedral Metropolitana de Buenos Aires, enquanto participavam de uma cerimônia e liturgia especiais pluri-religiosas.

Muitos outros encontros ecumênicos seguiram o ano para comemorar o Shoah e a Kristallnacht na Catedral de Buenos Aires.  Em 9 de Novembro de 2009, Begoglio consentiu que o Rabino Alejandro Avruj, um sodomita confesso e militante pelo ?casamento? homossexual desse uma conferência no histórico Convento de Santa Catalina, acompanhado por Rafael Braun, o influente padre modernista consultor do jornal liberal-católico Criterio, cujo editor por muitos anos era o Cardeal Jorge Meji?a, outro protetor de padres sodomitas.

Curiosamente, quando João Paulo II visitou Auschwitz, o rabino que o acompanhou diante de uma questão sobre o sucessor do Papa a quem ele considerava mais em manter suas expectativas, descartou todos os candidatos, exceto o Cardeal Bergoglio, que era sua escolha.  Bergoglio sabia disso.  A publicação instantânea do livro El Jesuita (The Jesuit Conversations with Cardinal Jorge Bergoglio, S.J. Buenos Aires. Vergara 2010) por Sergio Rubin, um influente jornalista sionista é outra prova do esquema de Bergoglio para o mais alto posto da Santa Sé.

GRAU HONORÁRIO

Como Grão-Chanceler da rica Pontifícia Universidade Católica de Santa Mari?a de los Buenos Aires, o Cardeal Bergoglio deu um grau honorário a seu alter ego, Rabino Abraham Skorka em 11 de Outubro de 2012.  Nessa ocasião, Skorka fez um elogio a Bergoglio e ao Cardeal Kasper, e disse diante de uma grande platéia de professores e clérigos que o Novo Testamento havia que ser revisado em relação à questão dos Fariseus; que as raízes do Nazismo, que levaram ao "Holocausto" residiam no ensinamento da Igreja Católica; finalmente terminou seu provocativo discurso blasfemo dizendo: "apesar de tudo, estamos todos esperando o Messias." Vergonhosamente, a maioria do público, inclusive o Cardeal Bergoglio, aplaudiu a afronta (https://www.gloria.tv/?media=357609).

O novo Arcebispo de Buenos Aires, Mario Aurelio Poli, escolha de Bergoglio/Skorka para a sucessão no Arcebispado, que foi feito cardeal pelo Papa Francisco, seguiu as pegadas de Bergoglio.  Em Novembro de 2014, num encontro especialmente organizado na Catedral de Buenos Aires para comemorar a Kristallnacht, depois de vestir um kippah, Poli disse que ele era orgulhoso de seu sobrenome Judaico.  Outros prelados argentinos haviam seguido o exemplo do Cardeal Bergoglio a esse respeito.  No último Natal, católicos argentinos pagaram a conta de "Januka" e "Noite do Silêncio" apresentados pelo Rabino Marcelo Polako e o Bispo Pedro Torres Aliaga, que cantavam e dançavam juntos com grande alegria, abraçados.  Como alguma indicação do real propósito desse espetáculo degradante, o Rabino, de maneira condescendente, referiu-se ao bispo insultando-o como um "goy," durante a performance (https://www.youtube. com/watch?v=PI6J0jSwF44)


Apesar (talvez por causa) do diálogo Católico/Judaico, a subversão Judaica da cultura Argentina continua sem trégua.  O lobby do aborto na Argentina é financiado por "filantropos" Judeus como George Soros e Eduardo Elsztain.  O novo governo Macri apontou Fabiana Tun?ez como chefe do Conselho Nacional de Mulheres.  A Srª Tun?ez, uma militante defensora das exigências abortistas é a fundadora da ONG Casa del Encuentro, uma ONG pró-aborto bem financiada pelo Global Fund for Women, o Fundo de População da ONU e IRSA/ Alto Palermo, o conglomerado dominado por Eduardo Sergio Elsztain, o Judeu "pio" Argentino ex-parceiro de George Soros.  O novo governo Macri tem participado ativamente na subversão da cultura Argentina...


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/antipapa-francisco-instrumento-sionista.html

CRISTIANISMO E RAÇA - 06Jun2016 15:03:00



I. Somos realmente iguais?

Deus não criou as raças para viverem juntas em comunidade pessoal.  Ele tentou separá-las.

Em Gênesis 11, homens tentaram evitar essa verdade.  Depois do dilúvio, a humanidade construiu uma torre enorme para evitar voltar a se dispersar e se dividir.  Deus, porém, teve outros planos e dividiu as línguas da humanidade de forma que ficassem permanentemente fraturados em diferentes grupos.

Deus não atuou somente ali.  Ele dividiu as raças geneticamente.

A dissimilar informação genética que faz as raças parecerem diferentes também produz efeitos que são mais do que a coloração da pele.

Uma dessas diferenças é a inteligência.

Apesar da concepção errônea comum, há muitas diferenças em inteligência média entre as raças.  Na América, Negros têm um QI médio de somente 85 e Latinos de 89.  As médias para Brancos e Asiáticos são em torno de 100 [1].

A diferença entre negros e brancos existiu por pelo menos 50 anos sem significante alteração [2]. Em verdade, essa diferença persiste por todas as linhas sócio-econômicas.

Como um grupo, crianças brancas empobrecidas têm QI mais elevado do que crianças negras de classe média-alta [3].  Crianças negras adotadas em famílias brancas de classe média demonstraram-se regredir às médias de QI 85 de todos os negros americanos [4].  Até a adoção não tem qualquer efeito sobre inteligência adulta.

Peritos em inteligência quase universalmente concordam que essas diferenças sejam causadas por diferenças genéticas entre as raças.  Por volta de 70% da inteligência é herdada geneticamente [5]; assim mesmo que disparidades nutricionais e de renda sejam eliminadas, a diferença de QI entre negros e brancos permanecerá virtualmente inalterada [6].

A história confirma essas diferenças de inteligência.  Nenhuma sociedade negra africana nem mesmo domesticou animais [7], inventou uma linguagem escrita, o arado ou a roda [8].

Na África negra, o QI médio é de somente 68 [9].  Esse número é 2 pontos menor do que percentual mínimo para retardamento mental (70) [10].  Esse baixo nível de inteligência explica a falta de habilidade dos africanos para saírem da pobreza.  O QI mais elevado de 85 para negros americanos foi criado pela mistura das raças branca e negra no Novo Mundo.

Nenhuma quantidade de dinheiro ou recurso injetado na África fará qualquer diferença.  Uma população com um QI médio menor do que o retardamento mental nunca será capaz de criar uma sociedade civilizada.

Lições similares podem ser aprendidas para a comunidade afro-americana.  Há uma gigante diferença de inteligência entre americanos brancos e negros.  Nenhuma fração de programas ou boas intenções será capaz de elevar a ?área pobre? de sua pobreza ou fechar a diferença de êxito.

Até que nós sejamos capazes de mudar de genes, seremos incapazes de mudar a posição econômica.

Tão politicamente incorreto quanto parece, há grandes diferenças entre as raças em inteligência média.  Essas diferenças não estão indo embora e produzem diferenças em cultura, sucesso econômico, preocupações teológicas e perspectiva de vida que para sempre causarão maior conflito.

II. Qual é a perspectiva bíblica sobre raça? (Raça & Etnicidade como uma família estendida)

O livro de Gênesis nos dá um retrato claro de como grupos raciais e étnicos se desenvolveram.

A palavra grega traduzida ?nação? é a palavra ?ethnos? da qual deriva nosso termo étnico grupo [11].

Em Gênesis 10, descobrimos que cada etnia é uma família estendida (Versículo 5: ?Destes saíram os povos dispersos nas ilhas das nações, em seus diversos países, cada um segundo sua língua e segundo suas famílias e suas nações.?)

A nação/etnia de Israel foi unida pelo fato que seus membros eram geneticamente descendentes do homem físico Israel (Jacó).

Falando biblicamente, a etnia é simplesmente uma família estendida.

Famílias modernas possuem casas e propriedades reservadas para elas como lares privados.  Da mesma forma, famílias estendidas, na forma de grupos étnicos, formaram países que servem como componentes de família reservados a seus membros.

Esse princípio é demonstrado mais claramente pela nação de Israel.  Deus fala aos Israelitas a expulsar os estrangeiros de seu meio e criar um Estado-Nação homogêneo.

Se Deus apoiou a criação de países homogêneos etnicamente para seu povo no passado, por que então deveria Ele agora nos pedir para criar o exato oposto?

São Paulo diz em Colossenses 3, 11: ?Aí não haverá mais grego nem judeu, nem bárbaro nem cita, nem escravo nem livre, mas somente Cristo, que será tudo em todos.?  O Senhor escolheu seu povo de todas as classes, geografias e etnias no planeta.  Enquanto o povo escolhido de Deus é agora tomado de todas as nações ou etnias (em lugar apenas dos Judeus) isso não significa que eles deveriam todos ser representados da mesma congregação ou estado político.

Favorecer a própria família é algo bom.

Um pai que distribui seus salários igualmente a toda família pode vir a ser culpado de negligenciar a sua própria esposa e filhos.

São Paulo declara que se alguém não provê sua família estendida não pode chamar-se de Cristão: ?Quem se descuida dos seus, e principalmente dos de sua própria família, é um renegado, pior que um infiel.? (I Tim 5, 8).

Os pais favorecem seus filhos quase inteiramente por causa da conexão genética que eles compartilham com eles.  Usando o mesmo princípio, Deus desenhou dois membros da mesma etnia em favor de outro baseado nas suas próprias similaridades genéticas.

Deus espera que Cristãos favoreçam sua própria raça e etnia.  Ele desenhou a humanidade dessa maneira.

Numerosos estudos científicos concluíram que crianças com cerca de 15 meses experimentam preconceito racial [12].  Deus infundiu em toda pessoa um saudável desejo inato de proteger suas próprias estendidas famílias raciais.  Isso é a perspectiva bíblica.

III. Pode um relacionamento ser construído numa mentira? (Multiculturalismo & Ressentimento)

Nenhum relacionamento pode ser erigido sobre uma mentira.

Mas o relacionamento entre as raças nos tempos modernos foi construído em vários enormes enganos.

Estão contando aos negros e latinos que seu fracasso econômico e social é o racismo dos brancos.  Os brancos estão constantemente sendo responsáveis pelo fracasso das minorias.

Naturalmente, minorias acreditam que brancos os odeiam, e brancos se ressentem de serem responsáveis pelas situações que eles têm pouco controle.

Terminar com ressentimentos raciais requer que comecemos primeiro a falar a verdade.

Primeiro, seres humanos não foram criados por Deus para operarem em comunidades multi-étnicas.

Segundo, disparidades econômicas entre negros e brancos por todo o mundo são causados pelas diferenças genéticas criadas por Deus na inteligência média populacional.

Terceiro, a Bíblia não pede integração racial sobre o nível da comunidade.  Em verdade, Deus iniciou a divisão étnica na Torre de Babel.

Quarto, generalizações raciais são apoiadas na Bíblia.  Deus não as condena como pecaminosas.

No interior da Bíblia, podemos encontrar várias exceções.  De vez em quando, mulheres como Rahab trocaram grupos étnicos e integraram um novo povo.  Essas exceções podem ser toleradas e endossadas.  Mas são EXCEÇÕES porque elas rompem a regra geral.  Integrar indivíduos não é o mesmo que integrar grupos raciais inteiros.

Desumanizar um grupo de pessoas é errado.  Provocar ódio é errado.  Sociedades multi-raciais são a causa de muito ódio, ressentimento e desumanização.

Esperançosamente, todos os cristãos acreditarão com a Bíblia que a humanidade foi criada de um homem feito à imagem de Deus.  Mas a charada do multiculturalismo foi longe demais.

Uma compreensão básica da pesquisa científica sobre comunidade e inteligência levará a pessoa a desprezar os fantasticamente instáveis fundamentos do multiculturalismo.

Enquanto o multiculturalismo pode sustentar poder temporário na América e no Ocidente, a tendência está mudando.

As recentes eleições européias viam os cidadãos depositando suas fichas em partidos anti-multiculturais na Grã-Bretanha (UKIP), França (Front National), e por toda a Europa [13].  Essa ascensão em sentimento anti-imigrante etnocêntrico explica a falha da rebelião do multiculturalismo contra a organização étnica ordenada por Deus.  O mundo está acordando.

Notas:

[1] Linda S. Gottfredson. ?Mainstream Science on Intelligence: An Editorial With 52 Signatories, History, and Bibliography.? University of Delaware. [Udel. edu].

[2] J. Philippe Rushton, Arthur R. Jensen. ?The Rise and Fall of the Flynn Effect as a reason to expect the narrowing of Black-White IQ gap.? Intelligence (Multi-Disciplinary Journal). [Psychology. uwo. ca].
Excerto: ?Numa análise de pontuações matemáticas e de leitura a partir de testes tais como o NAEP e o Coleman Report pelos últimos 54 anos, demonstramos não haver qualquer estreitamento da diferença tanto em pontuações de QI quanto em realização educacional.?

[3] ?Family Income Differences Explain Only a Small Part of the SAT Racial Scoring Gap.? Journal of Blacks in Higher Education (JBHE). [Jbeh. com].

[4] Gregary Clark (University of California). ?Your Ancestors, Your Fate.? New York Times. [Nytimes. com].
Excerto: ?Nos EUA, por exemplo, o QI das crianças adotadas correlaciona-se com o dos pais adotivos quando eles são jovens, mas a correlação é próxima a zero na maioridade.  Há uma pequena correlação entre os rendimentos e a realização educacional de crianças adotadas e aqueles de seus pais adotivos.?

[5] Thomas J. Bouchard Jr. David T. Lykken, Matthew McGue, Nancy L. Segal, Auke Tellegen. ?Sources of Human Psychological Differences: The Minnesota Study of Twins Reared Apart.? Science (Journal). [Web.missouri. edu].
Excerto: ?Como o anterior, estudos menores de gêmeos monozigóticos criados separados, cerca de 70% da variação em QI foi descoberta estar associada com variação genética.?

[6] Linda S. Gottfredson. ?Mainstream Science on Intelligence: An Editorial With 52 Signatories, History, and Bibliography.? University of Delaware. [Udel. edu].
Excerto: ?Se todos os ambientes tivessem que se tornar iguais para todos, hereditariedade subiria em 100%...?

[7] Jared Diamond. ?Guns, Germs, and Steal: The Fates of Human Societies.? W.W. Norton & Company. Page 389-400.
Excerto: Animais domesticados: ??Primeiro, com respeito aos animais domésticos, nós já vimos que aqueles da África Subsariana vieram da Eurásia, com a possível exceção de alguns do Norte da África.  Como resultado, animais domésticos não chegaram à África Subsariana até milhares de anos depois que começaram a ser utilizados pelas civilizações emergentes Eurasianas.  Isso é inicialmente surpreendente, porque pensamos a África como o continente de grandes mamíferos selvagens??
Excerto: Escrevendo: ??escrever não aparece independentemente no resto da África, onde isso, em lugar, foi trazido de fora pelos Árabes e Europeus? [Depois de explicar que isso surgiu do Norte da África não-negra e importado da Arábia a Etiópia].

[8] Dinesh D?Souza. ?The End of Racism.? Free Press Paperbacks. Page: 54. Books.google.com.
Excerto: Roda: ??sua invenção [roda] é usualmente creditada à Mesopotâmia Antiga, onde há evidência de seu uso antes de 3500 AC.  Porém, mais do que 5.000 anos depois, a roda foi desconhecida em virtualmente toda África Negra.?
Excerto: Arado: ?Virtualmente nenhuma comunidade nas Américas nem África Negra conheciam o arado até os Europeus o introduzirem na era moderna.?

[9] Richard Lynn (University of Ulster) Gerhard Meisenberg (Ross University). ?O QI médio de Africanos Subsarianos: comentários de Wicherts, Dolan e van der Maas.? Intelligence (A Multidisciplinary Journal). [reseachgate. net].
Excerto: ?Os quatro dados agrupados podem ser medidos para fornecer um QI de 68 como a melhor leitura do QI na África Subsariana.?

[10] ?Diagnostic criteria for Mental Retardation.? [BehaveNet.Behavenet. com].
Excerto: ?Significantemente abaixo da média funciona um QI de aproximadamente 70 ou abaixo sobre um teste de QI administrado individualmente??

[11] John Piper. ?Bloodlines: Race, Cross, and the Christian.? Crossway Publishing. Pages: 152-153.
Excerto: ?Ele fez de um homem todas as nações [etnia Grega] da humanidade viverem em toda a face da Terra.? Note duas coisas desse texto.  Primeiro, Deus é o criador dos grupos étnicos... Grupos étnicos não sucedem pela insignificante mutação genética aleatória.  Elas ocorreram pelo desenho e propósito de Deus.  O texto diz simplesmente, ?Deus fez todas as etnias?.

[12] Monica P. Burns, Jessica A. Sommersville. ?I pick you?: the impact of fairness and race on infants? selection of social partners.? Frontiers in Psychology (Journal). [Ncbi.nlm.nih. gov].
Excerto: ?As seleções sociais de crianças caucasianas variavam como uma função da raça do receptor favorecido pelo injusto distribuidor.  Especificamente, crianças eram mais prováveis selecionarem o distribuidor justo quando o receptor injusto favorecia os receptores asiáticos (versus os Caucasianos).  Esses achados fornecem evidência que crianças selecionam parceiros sociais na base de prévio comportamento justo e que crianças também levam em conta a raça de distribuidores e receptores quando fazem suas seleções sociais.?

[13] Ian Traynor. ?Front National wins European parliament elections in France.? The Guardian (UK). [Theguardian. com].


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/cristianismo-e-raca.html

Raças são uma construção social? - 06Jun2016 14:42:00



Recentemente tornou-se moda alegar que a afiliação étnica é meramente uma construção social.  Tão popular quanto parece tal noção, porém, não está de acordo com a ciência.  A herança étnica efetua bastantes traços anatômicos e cognitivos.  Afiliação étnica é muito mais que a cor da pele.

QUATRO FATOS

São cinco as seguintes razões para acreditar que afiliação étnica esteja inscrita em nosso DNA:

(1) Testes de DNA de perícia forense podem predizer uma raça de uma pessoa com 100% de precisão.  Os testadores nunca vêem nem falam às pessoas que identificam.  Além do mais, testes de DNA predizem com 99% de precisão a diferença entre o povo chinês e japonês. [1] Genes não mentem.  Raça é real.

(2) Mulheres de diferentes raças têm períodos de gestação diferentes. [2] Mulheres caucasianas carregam seus filhos uma semana mais tarde que asiáticos e afro-étnicos.

(3) Médicos reconhecem maiores diferenças médicas entre as raças.  Anemia de célula falciforme não afeta povos de descendência européia, [3] e o FDA certifica certas medicações para o coração somente para afro-étnicos. [4]

(4) As raças diferem em sua habilidade atlética.

Toda corrida de 100 metros rasos desde 1968 foi vencida por um atleta afro-étnico. [5] Quase todo recorde de levantamento de peso foi obtido por um homem euro-étnico.  Nado e ginástica são dominados pelos Eurasianos. [5]

Eurasianos são mais fortes e têm melhor controle muscular, enquanto Subsarianos são mais rápidos.  Essas diferenças são causadas pelas disparidades em movimentação lenta e rápida das fibras musculares.

?TODOS SOMOS IGUAIS?

Um argumento comum feito para desacreditar a idéia da raça é que as raças lentamente se misturaram noutra na medida em que se movimentaram pelo globo.  Por exemplo, pessoas que vivem nas estepes asiáticas mostram traços tanto Caucasianos quanto Orientais.

Os problemas com esse argumento é que a mesma coisa poderia ser dita das cores, climas e água.

Quando se olha para o arco-íris as cores individuais do espectro parecem distintas, mas cada cor vaza na adjacente formando um gradual movimento.  De acordo com os teóricos da ?construção social?, cor não deve existir.

A tundra do norte é congelante e árida, a floresta amazônica é quente e úmida, mas entre esses dois extremos encontra-se um longo movimento gradual em que o frio lentamente funde-se com o calor.  Existem diferentes climas?

Na foz de um rio há transições da água do oceano salino para água potável.  Não há limite claro em que uma se torna a outra.  Água fresca e salgada existe?

Etnias misturadas não desacreditam a existência de distintas categorias raciais.  Pelo contrário, elas a confirmam.

SENSO COMUM

A razão pela qual raça seja um conceito persistente é que nossos sentidos naturais percebem a natureza orgânica dele.

Raça aparece naturalmente.  Dois pais euro-americanos não podem dar à luz a uma criança afro-americana.  Dois pais ameríndios não podem dar à luz a um aborígene australiano.  Dois pais escandinavos não podem dar à luz a um afro-étnico.

Humanos sabem naturalmente que raça é um fenômeno real controlado pelas leis imutáveis da natureza.  ?Gosto produz gosto?.  Cristãos, especialmente, deveriam entender que organismos reproduzem-se a partir de seus próprios tipos.

Além disso, se a etnia não é nada mais que uma construção social como os humanos se identificam tão facilmente? O cérebro humano identifica a etnia de uma pessoa em alguns segundos ao vê-la.  Até pessoas cegas categorizam as pessoas de acordo com a ancestralidade racial baseadas na voz e na textura capilar. [6]

Michael Jackson submeteu-se a um desconhecido número de cirurgias plásticas, branqueamentos de pele e transplantes de cabelo para assemelhar-se a um euro-americano.  Por que tanto esforço para imitar um membro de outro grupo étnico se raça é somente uma construção social?

?COMPARTILHAMOS A MAIORIA DE NOSSO DNA?

Numa tentativa de desacreditar a existência de raça muitos apontaram que a diversidade genética no interior de uma raça é maior do que diversidade entre as raças.  Por exemplo, 85% das diferenças genéticas no interior da espécie humana ocorre numa raça, e somente 15% das diferenças não cruzam limites raciais.

O problema com esse argumento é que seus defensores estão somente brincando com números.  Humanos e bananas compartilham 50% de nosso DNA. [7] Humanos e Chimpanzés compartilham 98% de nosso DNA.  Humanos e ratos compartilham 97,5% de nosso DNA. [8]

Obviamente, os 2,5% de DNA que diferenciam ratos e humanos criam monumentais diferenças.  Somente por causa do DNA que todos os humanos compartilham em comum seja mais elevado que o DNA que compartilhamos em comum, não significa que raça não exista, nem que ratos e humanos sejam da mesma espécie.

CONCLUSÃO

O conceito que raça não é nada mais que uma construção social é parte de um movimento Americano mais amplo fora da realidade.  Os mesmos que alegam que raça é uma construção social estão dizendo as mesmas coisas a respeito de gênero e sexualidade.

Se tudo é uma construção social, então nada tem poder restritivo, e humanos podem fazer o que avaliem seja correto aos seus olhos.  Raça não é uma construção social, é uma construção de Deus.

NOTAS

[1] Taylor, Jared. ?The Biological Reality of Race.? American Renaissance. March, 2014. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://www.amren.com/news/2014/03/the-biological-reality-of-race

[2] Patel, Roshni and Philip Steer and Pat Doyle and Mark Little and Paul Elliot. ?Does gestation vary by ethnic group? A London-based study of over 122,000 pregnancies with spontaneous onset of labour.? May, 2003. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://ije.oxfordjournals.org/content/33/1/107.full

EXCERTO: ?A idade média gestacional do parto era 39 semanas em negros e asiáticos e 40 semanas em brancos europeus.?

[3] Noronha, PA and GR Honig. ?Sickle cell anemia in two White American children: essential laboratory criteria for diagnosis.? February, 1978. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/440814

EXCERTO: ?A partir de uma análise da literatura, esses pacientes parecem ser os únicos americanos brancos com anemia de célula falciforme cujo diagnóstico foi inequivocamente estabelecido.?

[4] Stein, Rob. ?FDA Approves Controversial Heart Medication for Blacks.? The Washington Post. June, 2005. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://www.washingtonpost.com/wpdyn/content/article/2005/06/23/AR2005062301762.html

[5] Rowan, Karen. ?Scientists Theorize Why Black Athletes Run Fastest.? Live Science. July, 2010. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://www.livescience.com/10716-scientists-theorize-black-athletes-run-fastest.html

EXCERTO: ?Vinte e oito dos últimos 38 detentores de recordes mundiais nos 100 metros rasos masculinos foram atletas negros, e pesquisadores das suas universidades pensam que sabem o porquê.  Um novo estudo por pesquisadores da Universidade Howard, uma historicamente universidade negra em Washington D.C., e Universidade Duke na Carolina do Norte sugere o motivo pelo qual os atletas negros podem superar em desempenho atletas de outras raças em eventos de corrida.  Diferenças físicas no comprimento dos membros e a estrutura do corpo significa que o centro de gravidade tende a ser mais elevado nos corpos dos negros, dizem os pesquisadores.  Desde 1968, os detentores de recordes mundiais nos 100 metros rasos masculinos foram atletas negros.?

EXCERTO: ?Em contraste, brancos tendem a ter a vantagem na natação onde um torso maior permite velocidades mais rápidas.?

[6] Chow, Kat. ?Studying How The Blind Perceive Race.? National Public Radio (NPR). September, 2013. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://www.npr.org/sections/codeswitch/2013/09/29/226833165/studying-how-the-blind-perceive-race

[7] Pietras, Emma. ?Humans share 50% DNA with bananas: The fascinating facts about the scientific world around us.? Mirror. July, 2015. Acesso em 06 de Maio de 2016. http://www.mirror.co.uk/news/weird-news/humans-share-50-dna-bananas-2482139

[8] Coghlan, Andy. ?Just 2.5% of DNA turns mice into men.? New Scientist. May, 2002. Acesso em 06 de Maio de 2016. https://www.newscientist.com/article/dn2352-just-2-5-of-dna-turns-mice-into-men/#.U3ozvLdOXcs


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/racas-sao-uma-construcao-social.html

A sinistra festa do Judaísmo: "Purim" - 03Jun2016 18:51:00



No Purim de 1994, o colono israelense nascido no Brooklyn, Baruch Goldstein, massacrou 40 Palestinos enquanto eles rezavam em Hebron.

No Purim de 2003, os EUA invadiram a nação soberana do Iraque, oficialmente, para eliminar as armas de destruição em massa.  Porém, na realidade o fizeram para neutralizar uma possível ameaça iraquiana ao governo de Israel.  Aproximadamente 5 mil americanos mortos e um trilhão de dólares mais tarde e o Iraque foi totalmente castrado, assim com os israelenses e seus agentes americanos desejavam, apesar dos danos à economia dos EUA e nossos soldados homens e mulheres.

No caminho do Purim de 2012, o Senador John McCain exigiu que uma América cheia de dívidas se responsabilizasse num bombardeio multimilionário na Síria, enquanto o Senador Joseph Lieberman, falando pelo lobby de Israel na conferência AIPAC, pediu um ataque americano ao Irã se o governo daquela nação Persa não cessasse seu inexistente programa de armas nucleares.  O filósofo alemão G.W.F. Hegel observara que a única coisa que nós aprendemos da história é que nada aprendemos da história.

GUERRA RACIAL ANTIGA REVIVIDA

J.D. Longstreet no website da "Fundação Salve América: Patriotas em Ação" declara que: "Antes que o Irã fosse renomeado Irã era Pérsia.  A fenda entre os Judeus e os Persas não é nova.  Ela data de muitos séculos...É impossível ler o livro de Ester essa semana, especialmente, e não enxergar os paralelos entre um antigo Judeu aproximando-se de um grande potentado pedindo por ajuda para salvar as vidas do povo Judeu.  Pode-se somente esperar que Obama reaja como fez o Rei Asuero e que tanto Obama quanto Netanyahu possam curtir um pouco daqueles famosos cookies "Orelha de Haman" na celebração da ocasião especial quando os Judeus foram salvos e Haman, o mau primeiro-ministro da Pérsia, não teve sucesso em seu complô para matar todos os Judeus..."

No domingo, 4 de março, Herb Keinon escreveu no Jerusalem Post que: "Netanyahu...encontrar-se-á com o Presidente norte-americano Barack Obama na segunda-feira para discutir como para um tirano persa interessado em matar Judeus.  O encontro é justamente dois dias antes do Purim, uma festa narrando novamente um conto similar, envolvendo o intento de um tirano Persa em matar Judeus milhares de anos atrás.  Não se surpreenda se de certo modo conecte esses dois pontos durante comentários públicos que ele fará em Washington."

Por que nós não ficamos surpresos com isso, de acordo com o National News de Israel, durante as três horas que o Presidente Barack Obama gastou com o Primeiro Ministro Israelense Binyamin Netanyahu na Casa Branca em 5 de março, "Netanyahu aproveitou a oportunidade para descrever um paralelo entre a narrativa do Livro de Esther ? onde o malvado Haman procura destruir o povo Judeu por todo o Império Persa ? com o atual conflito de Israel com o Irã...Irã é geograficamente Pérsia e os Iranianos são descendentes dos antigos Persas."

Uma guerra racial milhares de anos atrás é invocada em deliberações do Presidente dos Estados Unidos, concernindo política de guerra de nossa nação.  A moderna nação do Irã é identificada com a antiga nação da Pérsia pelo Primeiro Ministro de Israel e seus apoiadores na imprensa sionista e a direita ?patriótica? americana.  O alto funcionário Persa é vinculado aos funcionários do atual Irã.  O antigo estereótipo racial contra o qual os rabinos e a mídia uivam quando aplicado aos ?Judeus? é livremente aplicado aos iranianos em nome da sobrevivência nacional e auto-defesa de Israel.

Esse contemporâneo objetivo racial se torna mais ameaçador quando consideramos que Haman foi identificado como parte da nação de Amalec que Deus ordenou fosse aniquilada.  No ensinamento cristão, a nação de Amalec não é mais mencionada.  Essa crença está de acordo com a Bíblia em Deuteronômio 25,17-19 "apagar a memória de Amalec sob o céu".  Na medida em que Amalec foi embora da face da terra e crentes na Bíblia a removeram de sua memória, aqueles que mantêm esta memória viva estão em violação da vontade profética de Deus.  Esse desafio emana do Talmud Babilônico, que antevê uma guerra em andamento com Amalecitas que são definidos pelos rabinos do século XXI como os anti-semitas entre nós, significando qualquer um que obstaculize o Sionismo ou o Judaísmo.

Em acréscimo à grave ameaça de extermínio que essa crença deturpada apresenta ao desumanizado povo do Irã, é também uma justificativa para o assassinato de todos os oponentes do Judaísmo Talmúdico e do apartheid do "Estado de Israel", que são classificados como ?anti-semitas?, sejam eles iranianos ou não.

AMALEC FOI O PRIMEIRO ?ANTI-SEMITA?

O Rabino Eliezer Melamed é um líder do movimento de colonos propensos à violência e o chefe do Yeshivat Har Bracha Cisjordânia ocupada da Palestina.  Ele é estimado como uma autoridade na lei rabínica.  Seus maiores trabalhos incluem sua pesquisa legal, Pininei Halacha.  Melamed usa sua coluna semanal no jornal Israelense Basheva para defender ataques ("vingança") sobre Palestinos pelo governo e exército Israelense: "Não aspiramos vingança privada, mas vingança estatal liderada pelas Forças de Defesa de Israel e todos os sistemas de governo." (Cf. Haaretz, March 18, 2011).

O Rabino Melamed declarou que aqueles que adoram Jesus Cristo são idólatras: "...eles (Cristãos) ainda abraçam a idolatria, acreditando que 'oto ha'ish' [Jesus] é Deus e o Messias, que ressuscitará para redimir o mundo... Essa ilusão que Jesus é o Messias é na realidade uma crença falsa.  Como nós aprendemos das palavras do Rambam (Moses Maimonides, Leis dos Reis 11:4): 'Jesus o Cristão, que pensava fosse ele o Messias... foi o assunto de uma profecia no Livro de Daniel (11:14): 'Nesse momento, muitos se levantarão contra o rei do sul; homens violentos de teu povo revoltar-se-ão para cumprir a visão, mas fracassarão."

Para o Purim de 2012, o Rabino Melamed fez a seguinte declaração: "Embora o principal mitzvah de extermínio de Amalec repousa sobre a comunidade em geral, todo Judeu individual é também obrigado a realizar esse mitzvah.  Portanto, se alguém encontrar um Amalecita e tiver a chance de matá-lo, mas não o faz ? ele tem anulado esse mitzvah (Sefer HaChinuch, 604).

Amalec foi o primeiro anti-semita.  Hoje, a semente de Amalec foi perdida; porém, se se torna claro que uma certa pessoa é um Amalecita, seguindo esses caminhos, seria um mitzvah (façanha abençoada) matá-lo (ver Kol Mevaser 2:42)...Somente depois que o mal for erradicado do mundo pode haver alegria completa.  Desta forma, no Purim, depois da obliteração de Hamam e de seus filhos, felicidade é especialmente grande." Cf. Rabbi Eliezer Melamed, "Amaleck: War Against the Root of Evil," Israel National News, Feb. 28, 2012.

O Rabino Melamed, então, cria uma cláusula de escape no caso de algumas pessoas se horrorizassem com a noção de matar alguém rotulada como um "anti-semita": "...se um Amalecita decide tomar sobre si a realização dos Sete Mitzvoth dos filhos de Noé, de acordo com a lei Judaica, não há mais uma obrigação de matá-lo..."

Os "Sete Mitzvoth dos filhos de Noé, de acordo com a lei Judaica" (em outras palavras, a lei Talmúdica e sucessivas halachas delas derivadas), decreta morte aos idólatras.  No Judaísmo, a adoração de Jesus Cristo é definida como avodah zorah (adoração idólatra).  Os Amalecitas "anti-semitas" e aqueles que adoram Jesus são sujeitos à morte.  Eles somente podem escapar da pena capital aceitando as Sete Mitzvoth dos filhos de Noé e negar que Jesus é Deus.  Isso é o que significa "tomar sobre si" as "Sete Mitzvoth dos filhos de Noé" (Leis de Noé): o status de Messias e divindade de Jesus Cristo deve ser negado.  O congresso norte-americano está no registro (Lei Pública 102-14) recomendando o decreto dessas falsificadas leis de "Noé" (no Judaísmo Ortodoxo o patriarca Noé é ridicularizado como de baixo caráter; cf. Judaism's Strange Gods [2011] p. 108).

Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/a-sinistra-festa-do-judaismo-purim.html

Rabino Israelense: Estado Islâmico é um aliado de Israel - 03Jun2016 18:48:00



Um rabino israelense assegurou na sexta-feira que a presença do grupo takfirí Estado Islâmico (Daesh, em árabe) na região do Oriente Médio é um apoio para que o regime de Tel Aviv alcance seus objetivos. ?Deus lançou o Estado Islâmico contra as nações que querem acabar com Israel?, alegou Nir Ben Artzi durante seu sermão semanal nos territórios ocupados citado pela agência palestina de notícias ?Sama News?.

A incorporação dos europeus às fileiras do Estado Islâmico e seu posterior retorno a seus países para perpetrar atos terroristas, estimula a imigração judaica aos territórios palestinos, razão pela qual, a juízo de Ben Artzi, este grupo takfirí é aliado do regime de Israel na região.

Os integrantes do Estado Islâmico, em seu avanço no Iraque e Síria, cometem crimes de lesa-humanidade contra todos os grupos étnicos e religiosos, incluídos sunitas, curdos e cristãos.  O rabino israelense deu tais declarações no momento em que, segundo o portal norte-americano ?Veterans Today?, o líder do Daesh, Ibrahim al-Samarrai, recebeu preparação militar dos serviços secretos do regime de Tel Aviv.

Segundo agrega a fonte, a inteligência do regime israelense, o Mossad, submeteu durante dois anos o líder do Estado Islâmico a um treinamento militar contra guerras psicológicas e de propaganda de terror e medo entre os muçulmanos.


O ex-analista da Agência de Segurança Nacional dos EE.UU. (NSA, por suas siglas em inglês), Edward Snowden, deu a conhecer recentemente que o Estado Islâmico havia sido criado mediante um trabalho conjunto dos serviços de Inteligência dos Estados Unidos, Reino Unido e do regime de Israel.  Em suas memórias ?Hard Choises? (Escolhas Difíceis), a ex-secretaria de Estado de EE.UU., Hillary Clinton, confessa que o Estado Islâmico foi criado no Oriente Médio por Washington, para utilizá-lo na materialização de seus objetivos.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/rabino-israelense-estado-islamico-e-um.html

Maximilian Kolbe aos maçons: vocês são controlados pelos Judeus - 03Jun2016 18:45:00



Em 1917 Maximilian Kolbe fundou a Milícia da Imaculada.  Sua luta não era voltada para matar os inimigos da Igreja, mas almejava convertê-los de forma que pudessem atingir a salvação eterna.  Munido desse espírito ele dirigia-se aos seus inimigos.

Num artigo intitulado ?Aqueles Pobres?, ele descreve o ódio expressado para Cristo e Sua Igreja no Talmud: ?O homem foi redimido, e Cristo fundou Sua Igreja sobre uma rocha.  Alguns dos povo Hebreu reconheceram-No como o Messias, mas outros ? entre eles principalmente os Fariseus ? não queriam reconhecê-Lo.  Em lugar, perseguiram seus Seguidores e lançaram numerosas leis obrigando os Judeus a perseguirem os Cristãos.  Essas leis, ao lado e estórias e appendices, se tornaram seu livro sagrado chamado Talmud, por volta do ano 500.

Nesse livro, os Cristãos são chamados de idólatras, piores que os turcos, assassinos, libertinos impuros, animais em forma humana, piores do que animais, filhos do demônio etc. Padres católicos são chamados de videntes e tolos carecas ? a Igreja é chamada uma casa de estupidez e sujeira, estátuas sagradas, medalhas e rosários são chamados de ídolos.  No Talmud, domingos e dias obrigatórios de festividades são considerados dias de perdição.

Esse livro ensina, entre outras coisas, que um Hebreu pode enganar um Cristão e roubá-lo na medida em que todas as propriedades de um Cristão são ? desde o próprio texto ? ?como o deserto, o primeiro a tomá-los torna-se o proprietário.?

Esse livro, escrito em 12 volumes e respirando ódio a Cristo, é considerado pelos Fariseus um livro sagrado, mais importante que as Sagradas Escrituras.?

Ao tempo do Congresso Internacional da Franco-maçonaria em Bucareste, em 1926, Pe. Kolbe escreveu o artigo "Rycerz Niepokalanej" [O Cavalheiro da Imaculada] em que se lê:

?Esses homens [os Franco-maçons] acreditam que são aqueles que governarão tudo, mas vamos ouvir o que está escrito nos Protocolos dos Sábios de Sião.  Protocolo n. 11 declara que: ?Nós criaremos e colocaremos em prática as leis e os governos ? nos momentos oportunos ... por meio de rebeliões nacionais. ... O que nós queremos é que as multidões, desorientadas pela revolta, ainda numa condição de terror e incerteza, deveriam entender de uma vez e por todas que somos tão fortes, tão intocáveis, tão poderosos que de nenhuma forma levaremos em conta suas opiniões e desejos.  Em vez disso, nós estamos prontos e somos capazes de romper, com irresistível poder, suas manifestações em qualquer momento e em todo lugar. ... Então, com temor e tremor, eles fecharão seus olhos a tudo e aguardarão as conseqüências. ?

Por qual propósito criamos essa política e a insinuamos ao interior das mentes dos maçons, sem dar-lhes qualquer possibilidade de examinar seu significado fundamental? ... Isso é o que serviu como a base para nossa organização secreta da Maçonaria, cuja existência não é conhecida ou mesmo suspeita por esse rebanho bovino atraído por nós ao exército das lojas maçônicas.?

Aqui, o Pe. Kolbe dirige-se aos maçons, dizendo: ?Franco-maçons, vocês ouviram isso? The Hebreus, que os têm organizado secretamente e dirigido secretamente, consideram-lhe como bestas, recrutadas às lojas maçônicas para fins que você nem conhece ou suspeita ? Vocês estão cientes, franco-maçons, do que aguarda aqueles entre vocês que começarão a pensar por si mesmos? Preste atenção a isso no mesmo Protocolo: ?Morte é a inevitável conclusão de toda vida ? Nós executaremos os maçons de uma forma que nenhum possa suspeitar, nem mesmo as próprias vítimas: Eles morrerão todos no momento que seja considerado necessário, aparentemente por causa de doenças comuns.??

Pe. Kolbe queria salvar os Judeus, mas isso não o impediu de denunciar sua conspiração.

O santo fundador continua: ?Franco-maçons, vocês que recentemente durante o Congresso de Bucareste contentaram-se com o fato que a maçonaria está se tornando mais forte em toda parte, reflitam bem e respondam sinceramente: não é melhor server o Criador com paz interior ? do que obedecer as ordens daqueles que os odeiam??

Finalmente, Maximilian Kolbe dirige-se aos chefes secretos da Franco-maçonaria com essas palavras:

?E vocês, pequeno esquadrão de Hebreus, os ?sábios de Sião?, que já provocaram conscientemente tantas desgraças e estão preparando ainda outras, a vocês eu dirijo essa pergunta: O que vocês ganharão? ? Um gigantesco acúmulo de ouro, prazeres, diversões e poder, mas nada disso torna o homem feliz.  E se ainda fosse dar alguma felicidade, por quanto tempo duraria? Dez anos talvez, ou vinte ? Eu pergunto a vocês, líderes Hebreus, vocês que têm se deixado seduzir por Satã, o inimigo da humanidade, não seria melhor parar vocês também retornar sinceramente a Deus?

Noutro artigo de 1926, Pe. Kolbe, novamente citando os Protocolos dos Sábios de Sião, escreveu: ?Eles dizem de si mesmos: ?Quem ou o que está numa posição de derrubar uma força invisível? E isso é precisamente o que é nossa força.  A Franco-maçonaria gentia somente serve comouma cortina para nós e nossos objetivos, mas nosso plano de ação sempre permanecerá desconhecido pelo povo.?

O Santo então apresenta sua posição com irona sutil: ?Mas nós somos um exército cujo ?Comandante? conhece cada e todos seus inimigos, que tem observado e observa cada uma de suas ações ocultas, cada uma de suas palavras, e até mesmo seus completos pensamentos.  Perguntem a si mesmos, sob tais condições, pode alguém falar de planos secretos, ações clandestinas e invisibilidade??

E aqui o Pe. Kolbe revela o nome do ?Comandante? de seu exército: ?É a Virgem Imaculada, o refúgio dos pecadores, mas também aqueles que pisam a Serpente infernal.  Ela esmagará sua cabeça!?


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/maximilian-kolbe-aos-macons-voces-sao.html

O Projeto do Grande Israel - 03Jun2016 18:41:00



Resumido de ?Syrian Free Press?

O Projeto do Grande Israelrepousa no centro da estratégia de triangulação geopolítica dos Judeus cabalistas por todo o Oriente Médio.  Os Estados Unidos, o Reino Unido e o Moderno Estado de Israel colaboraram rigorosamente, por mais de um século, para implementar essa fase final de destruição de várias nações orientais.  Porque sua outrora clandestina agenda tornou-se agora transparente a vários países angustiados, essas 3 nações tornaram-se conhecidas como o verdadeiro Eixo do Mal no mundo atual.

Da mesma forma que Israelnasceu do terrorismo, o absoluto roubo da terra Palestina tem se sucedido por meio de incessantes operações de bandeira falsa.  Essas e muitas outras táticas altamente enganadoras e destrutivas foram utilizadas? semelhante ao que vem sendo empreendido na Síria.  A completa essência de seu ?Plano de Remanejamento? é o emprego de toda forma de terror.  Assim comoo Holocausto Armênio foi implementado pela mesma cabala Sionista para espantá-los de suas comunidades, o que foi feito, o ISISe grupos terroristas Al Nusra têm sido instalados e capacitados para fazer o mesmo.

O genocídio lento e intencional do povo Palestino tem igualmente promovido a agenda cabalista do Grande Israel.  Livrar-se sistematicamente daqueles povos autóctones por todo o Oriente Médio é um componente central daquela agenda.  Nesse particular respeito os globalistas procuram não somente remover os Palestinos, mas os Sírios de suas terras.  Testemunhamos o que talvez seja a maior migração em massana história moderna do povo Sírio para a Europa.  Independentemente do fato que os ancestrais dos Sírios e Palestinos da mesma forma viviam no Oriente Médio por séculos e em Israelpor milênios, a cabala Sionista tem objetivo de sua remoção.

Que os EUA financiaram, equiparam e armaram o ISISé hoje um fato da vida geralmente aceito no Oriente Médio, mesmo que o Presidente Barack Obama tenha já negado uma verdade auto-evidente.

SERVIÇOS DE INTELIGÊNCIA TRABALHAM PARABANQUEIROS CENTRAIS

Todas as agências de inteligência e serviços secretos, incluindo primeiro e principalmente a já mencionada "conexão da CIA, MI6, DGSE e MOSSAD", tem um lar comum na Suíça.  A Suíça não é somente a capital bancária mais protegida no mundo como demonstrado pela seu status único de neutralidade durante a Segunda Guerra, bem comolar para o altamente sigiloso BIS (?Bank for International Settlements? ? Banco para Assentamentos Internacionais), é também o lar verdadeiro do quartel general da CIA.

Deve ser óbvio para qualquer um com destreza de raciocínio que a aparência do ISIS e Al Nusra na posição do Oriente Médio ? vindo praticamente fora de qualquer parte como se sucedeu ? poderia somente ter ocorrido com o enorme apoio de uma bem estabelecida rede do tamanho da companhia.  Levando-se em consideração que a CIA é intimamente conectada a toda Fortune 500 company, bem como a um complete pântano de corporações super-secretas, privativamente estabelecidas ao redor do planeta.

Claramente, a rápida emergência do ISISe da Al Nusra foram ambas estabelecidas e financiadas de um modo maior.  Dada essa realidade, há muito pouco padrinhos estatais (com bem conectadas agências de inteligência) que qualificariam, e, portanto, que devem também estar trabalhando em acordo no intuito de levar a cabo essa trapaça do milênio.  Conseguintemente, a CIA, MI6, DGSE e MOSSAD devem todos necessariamente estar trabalhando conjuntamente para sustentar o Estado Islâmico.  Já foi provado que os poços petrolíferos controlados pelo ISIS e rotas de transporte foram cuidadosamente protegidas pela mesma rede coordenada pela CIA, da mesma forma que seus rendimentos de petróleo foram salvaguardados nas ultra-secretas contas bancárias suíças.

Quem poderia talvez refutar os efeitos que tantas altamente públicas decapitações e crucifixões teriam sobre as comunidades da Síria cruzando os países do Mediterrâneo Oriental? Assim como o holocausto armênio, as muitas comunidades espirituais que dotam a zona rural Síria, avaliam corretamente o perigo associado com o Fric & Frac do terrorismo --ISIS & Al Nusra.  Eles haviam visto isso tudo antes, quando os Armênios, Assírios e Gregos, que também já viveram no lugar errado no tempo errado, foram exterminados pelos Jovens Turcos e seus mestres criptojudeus.

Qual a melhor foram para a cabala sionista limpar a terra de cidadãos, seitas e comunidades sírias indesejadas, que poderiam permanecer na rota de seus projetos para um Grande Israel?

Não somente colocaram em operação as assustadoras táticas, como quando crucificaram garotas armênias retratadas acima, eles agora inundaram a Europa com uma crise de refugiados sem paralelo.  Porque a mesma cabala Sionista controla efetivamente todos os maiores líderes da União Européia, tem sido bastante fácil assegurar-lhes uma política da parte da União Européia de amplas fronteiras abertas.  A despeito de um retrocesso sem precedente ao progressivo êxodo terminando tanto na Alemanha quanto na França, tanto a Chanceler Angela Merkel quanto o Presidente François Hollande obedeceram muito bem seus mestres.

Muito poucos percebem que a incidência de decapitações pelo ISIS e as execuções em massapelo ISIL foram cuidadosamente descritas num roteiro para assustar os olhos viventes for a de todo Oriente Médio.  Casualmente, se esses atos grotescos de violência foram falsificados não têm conseqüências nesse ponto.  Tudo que a cabala queria era aterrorizar suficientemente as massas do Oriente Médio de forma que elas pudessem ser encurraladas.  Instigando-lhes medo de terror perverso e bárbaro, a desejosa migração em massatomaria lugar.  E foi o que se deu em 2015!


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2016/06/o-projeto-do-grande-israel.html

HAARP: o projeto militar dos EUA que pode ser uma arma geofísica - 09Dez2015 19:42:00

Em 1993, começou a funcionar no Alasca (Estados Unidos) o HAARP, um projeto de estudos sobre a ionosfera terrestre. O HAARP, que significa ?Programa de Investigação de Aurora Ativa de Alta Frequência?, visa a compreender melhor o funcionamento das transmissões de ondas de rádio na faixa da ionosfera, parte superior da atmosfera.
Segundo relatos oficiais, o projeto tem como objetivo principal ampliar o conhecimento obtido até hoje, sobre as propriedades físicas e elétricas da ionosfera terrestre. Com isso, seria possível melhorar o funcionamento de vários sistemas de comunicação e navegação, tanto civis quanto militares (o que gera desconfiança em grande parte dos conhecedores do HAARP).
Para realizar estes estudos, as antenas de alta frequência do HAARP enviam ondas para a ionosfera visando a aquecê-la. Assim são estudados os efeitos das mais diversas interações de temperaturas e condições de pressão.
Visão aérea do HAARP
Fonte da imagem: HAARP

Por que no Alasca?

A criação das instalações foi possível graças a uma parceria entre a Força Aérea Americana, A Marinha dos Estados Unidos e também da Universidade do Alasca. Esta última foi escolhida a dedo, graças à localização: a ionosfera sobre o Alasca é pouco estável, o que garante uma maior gama de condições para os estudos.
Outro fator que pendeu para que os pesquisadores escolhessem o Alasca é a ausência de grandes cidades nas proximidades. Assim, não há ruídos na captura de imagens e sinais, pois os sensores ficam localizados ao alto de algumas montanhas.  Também há informações de que este local sofreria o menor impacto ambiental entre as áreas candidatas a receber o HAARP.

Ionosfera: íons e mais íons

Esta faixa recebe este nome porque é bastante ionizada, ou seja, perde e ganha elétrons com facilidade, o que a deixa em constante carregamento elétrico. O grande agente ionizador da ionosfera é o sol, que irradia muita carga na direção da Terra, mas meteoritos e raios cósmicos também influenciam bastante na presença dos íons.
Ionosfera fica entre 100 e 350 Km sobre a superfície
Fonte da imagem: Wikipédia
A densidade dos íons livres é variável e apresenta alterações de acordo com vários padrões temporais, hora do dia e estação do ano são os principais pontos de variação da ionosfera. Outro fenômeno interessante acontece a cada 11 anos, quando a densidade dos elétrons e a composição da ionosfera mudam drasticamente e acabam bloqueando qualquer comunicação em alta frequência.

Reflexão ionosférica

Há frequências de ondas que são, quase, completamente refletidas pela ionosfera quando aquecida pelas antenas HAARP. Os pesquisadores do HAARP pretendem provar que essa reflexão pode ser utilizada como um satélite para enviar informações entre localidades, facilitando as comunicações e também a navegação, melhorando os dispositivos GPS utilizados atualmente.
O problema é que ainda não se conhecem as reais propriedades da reflexão ionosférica. Além disso, há o fato de as propriedades da ionosfera se modificarem durante a noite, por exemplo, quando a altitude dela aumenta e as densidades ficam mais baixas. Essas variações tornam difícil uma padronização para o envio de ondas, independente do comprimento delas.

HAARP: um novo modo de estudo

Há várias formas de estudo das faixas da atmosfera terrestre. Para as camadas mais baixas, até mesmo balões podem ser utilizados para capturar dados sobre diferenças nas condições naturais. A camada de ozônio, por exemplo, é verificada com balões meteorológicos que realizam medições das taxas de radiação que ultrapassam pela atmosfera.
Antenas de transmissão
Fonte da imagem: HAARP
Por ficar muito mais acima, balões meteorológicos e satélites não podem ser utilizados para realizar medições e análises sobre a ionosfera. Por isso o HAARP é tão importante, já que utiliza a maneira mais eficiente de contatar o setor: antenas de emissão de ondas de frequência altíssima.
Os resultados são utilizados para entender como o sol influencia no sinal de rádio em diversas faixas de frequência. Utiliza-se também um ?Aquecedor Ionosférico?, conhecido como ?Instrumento de Investigação Ionosférica?, ele transmite frequências altas para modificar a ionosfera e entender os processos produzidos em sua composição.
Antenas de recepção e diagnóstico
Fonte da imagem: HAARP
As antenas do Instrumento de Investigação emitem sinais para altitudes entre 100 e 350 Km. Outros aparelhos do mesmo projeto são responsáveis pela recepção dos sinais, interpretando-os e permitindo a criação de relatórios sobre a dinâmica do plasma ionosférico e também sobre a interação entre o planeta e o sol.

Aquecendo a ionosfera: riscos?

O HAARP não é o único aquecedor ionosférico do planeta. Há também um localizado na Noruega e outro na Rússia. Todos eles realizam o mesmo processo: utilizam antenas de alta frequência para aquecer a ionosfera e criar uma aurora artificial.
Geradores de energia poderosos
Fonte da imagem: HAARP
Essa aurora artificial é muito aquecida, o que pode gerar elevação nas temperaturas em determinadas localidades do planeta. Em uma espécie de efeito estufa ionosférico, locais abaixo da ionosfera atingida pelas antenas do HAARP podem ter suas temperaturas elevadas em alguns graus centígrados.

O outro lado da moeda: as conspirações

Assim como boa parte de tudo o que é produzido sob tutela de alguma das forças armadas norte-americanas, o HAARP também gera uma série de desconfianças por parte das mentes mais conspiratórias. Ameaça global ou apenas melhorias nas tecnologias de comunicação? Confira as teorias de conspiração que envolvem este projeto.

Arma geofísica: a denúncia russa

E nem todas estas teorias surgem de movimentos independentes. A prova disso aconteceu em 2002, quando o parlamento russo apresentou ao então presidente Vladimir Putin documentos que afirmavam veementemente que os Estados Unidos estariam produzindo um novo aparelho, capaz de interferir em todo o planeta, a partir de pontos isolados.
Vladimir Putin
Fonte da imagem: Kremlin
O relatório dizia que o HAARP seria uma nova transição na indústria bélica, que já passou pelas fases de armas brancas, armas de fogo, armas nucleareas, armas biológicas e chegaria então ao patamar de armas geofísicas. Segundo estas teorias, seria possível controlar placas tectônicas, temperatura atmosférica e até mesmo o nível de radiação que passa pela camada de ozônio.
Todas estas possibilidades podem gerar uma série de problemas para as populações atingidas. Atingindo países inteiros, desastres naturais podem minar economias, dizimar concentrações populacionais e gerar instabilidade e insegurança em toda a Terra.

Terremoto no Haiti

Quais seriam os efeitos dos controles de frequência sobre as placas tectônicas? Segundo a imprensa venezuelana a resposta é: terremoto. O jornal ?Vive? afirma que teve acesso a documentos que comprovam a utilização do HAARP para manipular a geofísica caribenha e ocasionar os terremotos do Haiti, que causaram a morte de mais de 100 mil pessoas.
Mapa dos terremotos no Haiti
Caso esteja se perguntando os motivos para a escolha de um país tão pobre, as teorias conspiratórias também possuem a resposta para esta pergunta. Os Estados Unidos precisavam de um local para testar o potencial de sua nova arma. Os testes oceânicos não davam informações suficientes e atacar os inimigos no oriente médio seria suicídio comercial.
Afinal de contas, terremotos poderiam destruir poços de petróleo muito valiosos. Assim, o governo norte-americano viu no Haiti, um país já devastado, o perfeito alvo para seus testes. Sem potencial econômico e sem possuir desavenças com outros países, dificilmente haveria uma crise diplomática com a destruição do Haiti.

Bloqueio militar

Outra teoria bastante defendida diz que os Estados Unidos poderiam causar um completo bloqueio militar a todas as outras nações do mundo. Causando interferências nas ondas habituais, impedindo que qualquer frequência seja refletida pela atmosfera e até mesmo que dispositivos de localização possam ser utilizados.
Para isso, a defesa norte-americana só precisaria aquecer a ionosfera com seus aquecedores HAARP. Com a potencia correta, todo o planeta ficaria em uma completa escuridão geográfica. Então, apenas quem possui o controle do aquecedor ionosférico poderia ter acesso aos dados de localização e navegação de seus veículos militares.
Radares poderiam ser bloqueados facilmente
Fonte da imagem: Marku 1988
Também se fala em mapeamentos de todo o planeta em pouco minutos, pois as ondas de frequências extremas poderiam criar relatórios completos de tudo o que existe na superfície terrestre. Elementos vivos ou não, tudo poderia ser rastreado pelas ondas do HAARP. Pelo menos é o que dizem as teorias conspiratórias.

Controle mental

Existem ondas de rádio em diversas frequências, por mais que não sintonizemos nossos rádios para captá-las, elas estão no ar. O som também é emitido em frequências e há amplitudes delas que os ouvidos humanos não são capazes de captar, mas isso não quer dizer que elas não existam. Somando estes dois pontos, temos mais uma teoria conspiratória.
Utilizando uma mescla de ondas de rádio com frequência sonora, os Estados Unidos poderiam manipular a mente coletiva para que algum ideal fosse defendido ou algum governo rival fosse atacado. Enviando as informações para toda a população em frequências que não poderiam ser captadas por aparelhos, não demoraria para que a ?lavagem cerebral? estivesse concluída.
Ondas de controle mental estão no ar
Há quem diga que este tipo de manipulação será utilizado em breve no Irã. O governo atual não é favorável às políticas norte-americanas, portanto seria vantajoso que o povo se rebelasse contra os seus líderes. Mensagens antigoverno seriam incutidas na mente do povo iraniano com o auxílio das antenas HAARP.
Nota sobre as teorias conspiratórias
É necessário lembrar que estas teorias são originadas em fontes que, muitas vezes, não possuem informações concretas sobre os assuntos tratados. Logo, a utilização delas neste artigo possui fins ilustrativos e não devem ser encaradas com verdades absolutas.

Pura ficção?

No desenho G.I. Joe: Resolute, o programa HAARP é capturado por vilões que desejam transformar o potencial do projeto em uma arma de destruição em massa. Além dos danos que citamos nas teorias conspiratórias, nesta história as antenas transformavam-se também em canhões de energia.
Enviando enormes quantidades de energia para a ionosfera, que refletia toda a energia, os vilões poderiam acabar com qualquer lugar do planeta, apenas mirando e concentrando o poder energético das antenas de frequências altíssimas localizadas no Alasca.
Quando se fala no mundo real, tudo o que se tem de concreto sobre o HAARP é que estudos são feitos constantemente sobre a ionosfera terrestre para que ela possa ser transformada em uma antena de transmissão de informações, beneficiando as comunicações e sistemas de navegação.
Frequências altíssimas saem destas antenas
Fonte da imagem: HAARP
Mas será que é somente para isso que os investimentos bilionários do governo norte-americano estão sendo utilizados? Nunca foram revelados dados concretos sobre o dinheiro empregado no projeto, mas há especulações de que mais de 200 milhões de dólares sejam gastos por ano com as antenas do HAARP.
.....
O que você pensa sobre tudo isso? Será mesmo que as intenções do governo americano são baseadas nos estudos dos benefícios da ionosfera para as comunicações ou isso é apenas álibi para pesquisas sobre armas geofísicas? Deixe um comentário contando o que pensa sobre este poderoso projeto situado no Alasca.


Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2015/12/haarp-o-projeto-militar-dos-eua-que.html


Destrutivo Dogma Cabalista Amaldiçoa a Humanidade - 09Dez2015 19:12:00


Por que os cabalistas iniciam guerras?  Como cabalistas (maçons), eles estão determinados a destruir a ordem social como uma precursora a estabelecer uma ditadura comunista mundial.  Essencialmente, cabalistas necessitam causar desordem no mundo de forma que Satã possa estar no topo.

Todas as guerras são desenhadas para escravizar e matar os fracos goyim que de bom grado abraçam o papel de traidores ou tolos

por Henry Makow Ph.D

A doutrina cabalista da destruição fornece uma chave para entender os eventos mundiais.

De acordo com a Cabala, que é a doutrina secreta do Judaísmo e da Franco-maçonaria, "O mal e a catástrofe [são] fatores endêmicos no processo de criação.  Sem o mal não poderia haver o bem, sem a destruição, a criação não poderia ter lugar." (Kabbalah: An Introduction to Jewish Mysticism, by Byron L. Sherwin, p. 72.)

Os cabalistas acreditam que a Antiga Ordem (Cristã) deve ser brutalmente destruída antes que a Nova (Satânica) Ordem Mundial, baseada na Cabala, possa ser erguida.

Por conta disso, o provérbio Illuminati: "Ordem Fora do Caos".  Conseguintemente, o Manifesto Comunista defende a destruição da nação, religião e família e a transferência de toda riqueza particular para as mãos dos banqueiros cabalistas, à guisa do Estado.

A doutrina de destruição explica o motive pelo qual a Guerra e a revolução têm sido caracterizadas por genocídio gratuito, terror e destruição.

Isso explica o banimento de Deus do discurso público e a aceitação difundida de obscenidade, pornografia e ocultismo.  Isso explica o ataque sobre o sexo e a promoção do homossexualismo aos heterossexuais.  Isso explica o dilúvio de operações de bandeira falsa que é uma marca da vida moderna.

Isso explica o motive pelo qual a humanidade parece amaldiçoada por crises e catástrofes sem fim.  Elas são engenhadas pelos cabalistas para atacar e destruir qualquer coisa que lembra a saudável ordem divina ? espiritual ou natural.

OS ILLUMINATI

Os Illuminati atuais brotaram da satânica heresia Judaica "Sabbateana-Frankista" nos séculos XVII e XVIII.  Os banqueiros e metade dos Judeus da Europa adotaram essa pestilência e difundiram-na às elites Gentias através da Franco-maçonaria.

Desta forma, os Judeus Illuminati caracterizam o papel "Judaico" em termos da destruição da civilização.

Por exemplo, no livro "Vocês Gentios" (1924) Maurice Samuel escreve:

"Em tudo, nós somos destruidores ? até nos instrumentos de destruição aos quais nos socorremos? Nós Judeus, os destruidores, permaneceremos os destruidores para sempre.  Nada que você fará encontrará nossas necessidades e demandas.  Nós destruiremos para sempre porque nós queremos um mundo nosso."  (p. 155)

Em 1928, Marcus Ravage, um biógrafo do Judeu Rothschild escreveu um ensaio intitulado, "O Caso Real Contra os Judeus".

"Você não começou a apreciar a real profundidade de sua culpa.  Nós somos intrusos.  Nós somos baderneiros.  Nós somos subversivos.  Nós tomamos seu mundo natural, seus ideais, seu destino, e neles introduzimos o caos.  Nós temos estado no fundamento não meramente da última grande Guerra, mas de aproximadamente todas suas guerras, não somente da Rússia, mas de todas outras maiores revoluções em sua história.  Nós trazemos discórdia e confusão e frustração em sua vida pessoal e pública.  Nós ainda fazemos isso.  Ninguém pode dizer por quanto tempo ainda faremos isso."

(THE CENTURY MAGAZINE, JANEIRO DE 1928, Vol. 115, No. 3, pp. 346-350.)

A maioria dos Judeus (e liberais/esquerdistas em geral) são inconscientes dessa conspiração cabalista.  Eles têm sido enganados por apelos espúrios aos ideais de "justiça social" e "igualdade."

POR QUE A CABALA É SATÂNICA?

Religião significa "religar" p.e. "conhecer e obedecer" a Deus.  Em qualquer verdadeira religião, Deus compreende ideais espirituais absolutos ? amor, verdade, justiça, bondade, beleza e harmonia ? puros.

O mal é a ausência de Deus, assim como a escuridão é a ausência de luz.

A Cabala é satânica porque diz que Deus é desconhecido e não tem forma.

"Ao cabalista, Deus é um Mar infinito de Ser (En Sof) sem qualquer limite, conseqüentemente sem quaisquer qualidades, sem desejo ou vontade de qualquer tipo.  Ele é totalmente incompreensível". (Jacob Angus, The Meaning of Jewish History, 1963, p. 286).

Em verdade, Deus é perfeição, a forma necessária para a evolução humana.  Sede perfeito como seu Pai é perfeito. (Mateus 5, 48)

A verdadeira religião assume que Deus está presente na alma humana.  Obedecer sua voz, consciência, é o que nos torna humanos.

Quem quer que negue a existência de Deus é um Satanista, não um ateísta.

A Cabala é satânica porque diz que o mal é parte de Deus: "Deus tem dois lados; [ambos] são essencialmente uma coisa; o que nós experimentamos como mal é tão Divino quanto o que nós experimentamos como bem."

Por conseguinte, esta expressão ganha ciclo hoje: "Está tudo bem."

A exegese cabalista prossegue:

"Muitos textos na Kabbalah, incluindo o Zohar, dizem que a tarefa não é destruir o mal, mas retorná-lo a sua fonte ? para ?incluir a esquerda no interior da direita?, na metáfora do Zohar, ?para levantar as centelhas caídas? na metáfora Luriânica.  No Hassidismo Chabad, é declarado que o mal existe como parte da própria revelação Divina.  Deveras, pensar que o mal realmente seja separado de Deus é, em si, a essência do mal, que é precisamente a ilusão da separação."

"Desistir da realidade do mal separado, e aceitando realmente que a sitra achra [o reino do mal] é um lado da Divindade, é fácil no papel e muito difícil na realidade. ... Ainda, na medida em que seja possível fazê-lo, a noção tem conseqüências pra toda vida.  Tudo é um sabor da Divindade."

Cabalistas também acreditam na "redenção sem pecado" p.e. gabar-se deliberadamente da Antiga Lei para fazer o mal (adultério, incesto, pedofilia).  A destruição da civilização (p.e. caos) provocará o retorno do Messias (o Anticristo) que reconstruirá o mundo de acordo com as especificações dos Kabbalistas, com os banqueiros Illuminati representando Deus.

Isso é tudo Satanismo.  Deus é inerentemente bom.  Numa verdadeira religião, você não obedece Deus fazendo o mal, ou pretendendo que o mal seja parte de Deus.

SATANICAMENTE POSSUÍDO

Quer se chame iluminismo, secularismo, luciferianismo, humanismo, paganismo ou ocultismo: isso é tudo Cabalah.

A moderna civilização Ocidental não tem qualquer legitimidade moral (e nenhum futuro) porque é baseada numa rebelião contra Deus, que representa o caminho de nosso desenvolvimento espiritual.

A humanidade foi raptada pela tentativa de psicopatas para destruir a "antiga ordem" e construir em seu lugar uma distopia bizarra, violenta e depravada.


Esses psicopatas controlam nosso crédito governamental e as mídias de massa.  Assim, eles são capazes de comprar nossos líderes e enganar a sociedade para abraçar sua própria degradação.



Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2015/12/destrutivo-dogma-cabalista-amaldicoa.html

Brancos necessitam de uma estratégia de sobrevivência? - 09Dez2015 19:07:00


por Mark Green
(from Occidental Observer Site)

Brancos estão em desvantagem nessa competição moderna, na medida em que a solidariedade (racial) branco ? ao contrário da Judaica ? é um tabu nos EUA.

Por quê? A narrativa dominante Judaica efetivamente barra os brancos de formarem times étnicos/raciais do modo como fazem os Judeus.  Isso mantém os brancos divididos e sem equilíbrio para competir com os Judeus.

Ao mesmo tempo, esse duplo padrão permite que os times Judaicos floresçam.  Alianças judaicas aumentam a unidade, a moral e a cooperação Judaicas, e infundem em Judeus um senso de propósito coletivo.  Mas, por favor, não mencione isso.  (Dizer isso é considerado ?anti-semita?).

Um entrincheirado duplo padrão criou raízes.  No interior dele repousa um melancólico e complexo feixe de regras que emanam de uma coleção de histórias antigas, mitos modernos e tabus confeccionados.  Juntos, eles formam a Grande Nova Narrativa Judaica.

Os seis pilares que sustentam essa Narrativa são: fascismo, racismo, o Holocausto, democracia, liberdade e igualdade humana.  Eu não quero despejar a conclusão aqui, mas os caras legais nesse grande drama são sem dúvida alguma os pobres, brilhantes, amantes da igualdade, altamente democráticos e sempre sofredores Judeus!

E se você não acredita em mim, ligue sua TV ou obtenha um livro best-seller.

Os Judeus estão definitivamente no topo.  Testemunhas: dinheiro, comprometimento, poder, orgulho, coesão e visibilidade.

Os brancos, porém, estão se movendo em sentido reverso.  Nós estamos rapidamente sendo substituídos e perdendo o controle sobre nossa cultura, idioma e país.  Mas, por favor, não mencione isso.  (Visões desta natureza são consideradas ?reacionárias? e talvez mesmo racistas!)

Os brancos estão claramente na defensiva.  O outro time está claramente na posição ofensiva.

Culturalmente, Judeus organizados utilizam Hitler/Nazismo (e a imagem da KKK) para sujar qualquer e todo Americano derivado da Europa que ousa defender a promoção de alianças baseadas em linhas de parentesco (brancas), muito embora as alianças de parentesco Judaicas sejam exatamente o que a Judiaria organizada está promovendo hoje e sempre promoveu.  Assim, por que o duplo padrão?  Isso é bom para os Judeus.

E como eles escapam disso? É onde entra a narrativa oficial do Holocausto.

De acordo com a história oficial, os Judeus não tiveram escolha.  Nós (almas menores) nos mantemos perseguindo e matando-os.  E por nenhuma boa razão!  Assim, eles absolutamente DEVEM ficar juntos.  Todos os ódios e discriminações dirigidos aos Judeus é ?somente porque eles são Judeus?.  É isso.  Fim da história.  Incrivelmente, a raiz do problema não é a respeito das crenças Judaicas ou mesmo o que eles fazem.  Tudo é a respeito de nós, pessoas más, e nosso ?virulento? anti-semitismo.

Assim, o que um suposto bom e decente americano faz? Luta contra o fascismo, obviamente? O grande problema CLARAMENTE é o anti-semitismo e com certeza o racismo branco.  Agora vamos!

Assim, os Judeus permanecem orgulhosos, militantes, imunes a culpas, unidos e (justificável, é óbvio) defensivos, enquanto incontáveis brancos sentem-se envergonhados, desorganizados, desmoralizados, e até alienados de sua própria fraternidade racial.  O time deles está vencendo, o nosso não.

A ?comunidade branca? (posso usar essa expressão?) pode agora juntar-se a (não-discriminatórios) interesses corporativos, limites regionais, fé religiosa, ou estreitas diferenças ideológicas tais como liberal/conservador, Democratas/Republicanos.  Isso é muito belo.

Os Judeus, no entanto, podem ser escancarados, apaixonados defensores de sobreviventes do Holocausto e colonos israelenses ou somente leal a maravilhosos Judeus! Eles podem trabalhar como equipes com objetivos estritamente Judaicos.  E isso não é notável?! E se você não gosta, não os culpe.  Culpe Hitler.  O anti-semitismo fez eles assim.

Simplesmente não entre em seu caminho.

Infelizmente, atomizados, Americanos brancos estão agora numa caixa.  Os representantes Judeus no time Judaico não somente personificam diferentes papéis, mas esses mesmos programadores culturais desempenham um enorme papel em administrar e moldar as modernas ortodoxias políticas.  Eles também contribuem com milhões de dólares para ambos partidos políticos ao mesmo tempo.  Até incontáveis igrejas cristãs estão hoje sob a folha de pagamento Judaica/Sionista.

Esses oprimidos sobreviventes do holocausto (e seus descendentes) também escrevem/editam os roteiros para muitos dos shows que nossos vizinhos/amigos/crianças assistem.  Eles também sucedem de censurer/editar muitas das notícias que os americanos médios também consumem.  Industriosos, não?  Nada errado com isso!

Os Judeus são os principais guardiões da América (E, pensem nisso, eles parecem ter muita influência na Europa, também.)

Curiosamente, enquanto os Americanos saúdam seu time profissional favorito, assim como nossas tropas (Deus Abençoe nossas Tropas!) milhões de pobres, deseducados, pobres meso-americanos que falam espanhol através das descuidadas fronteiras americanas, para sempre mudando a civilização Americana.  Para sempre.

Podemos falar disso? (É racista assim proceder?) Infelizmente, os intelectuais Judeus e seus apaniguados hoje insistem que os EUA são uma 'nação problema'.

A raça não importa aqui.  Não agora.  Não mais.  Nós somos todos iguais na América!

Talvez essa experiência não funcione.  Mas o que fazer? Ah bem, pelo menos os Judeus têm Israel para ir.

Surpreendentemente, em Israel onde os Judeus são 80% da população um grande evento esportivo ocorre em Jerusalém todo ano.  Mas é restrito.  Somente atletas Judeus podem competir.  É chamado (supresa!) ?Os Jogos Macabeus?.  Nenhum Jackie Robinson nessa arena, obrigado.  Em verdade, nenhum gentio em quaisquer dos times.

Por enquanto, a América trava guerras para Israel, subsidia a limpeza étnica no 'grande Israel', mas não faz nada para obstruir a invasão de milhões de meso-americanos que falam espanhol que vem inundando os EUA por décadas.  Curioso, não?

Sim, os Judeus dirigem Hollywood.  Em verdade, eles quase dirigem a América.

Eis um segredo: Incrivelmente, enquanto ninguém estava observando que o ?grande Israel? gradualmente se tornou a principal super-potência mundial.  Isso ocorreu.  É real.

Por exemplo, se você quiser procure sobre onde a próxima guerra dos EUA (ou invasão da OTAN) acontecerá, descubra o que o lobby de Israel deseja.  É um perfeito indicador.  Eu o chamo de 'Israel Index'.  Observe.  Aprenda com isso.

(Mas por favor, não mencione que eu lhe contei isso.  Provavelmente é anti-semita.)

Fonte: http://henrymakow.com/2014/07/Do-White-People-Need-a-Survival-Strategy.html

Fonte: http://judaismoemaconaria.blogspot.com/2015/12/brancos-necessitam-de-uma-estrategia-de.html

O Futuro
Tradutor
Procura
Arquivo
Perseguição Notícias

christian_persecution.jpg

Islão: matar e submeter

Jihad_sword_index.png

Carta de Notícias

Subscreva a carta de notícias "Acordem" de Xavier Silva


Email:
Subscrever RSS

RSS url_to_submit_my_site_sites_websites_submission_rss_sm_1.jpg

Como escapar?

Rescue_Portug__sun_.jpg

PORTUG___Sheeple_37_190.jpg

David Dees galeria
Últimos Comentários
Música

Ouça música enquanto navega!

img_musica.jpg

Contacto
Online

Mortes iraquianas...

Mortes iraquianas devido à invasão norte-americana

Iraq Deaths Estimator

©2017, BlogTok.com | Plataforma xSite. Tecnologia Nacional